segunda-feira, 6 de junho de 2016

DESPERTANDO CONSCIÊNCIA - A ARTE DE SIMPLIFICAR - UMA VIDA SIMPLES É UMA VIDA SEM COMPLICAÇÕES...10 coisas que pode fazer hoje para simplificar a sua vida

Há diversas maneiras de ser simples. Encontre a ideal para você e seja feliz!



Felizmente existe a ideia da simplicidade, e esta é, digamos, simples desde sua origem.
A palavra é formada por duas outras de origem latina: sin, que significa único, um só, e plex, que quer dizer dobra. 
Ser simples significa ter uma só dobra, ao contrário do complexo, que tem várias. Simples!

Simplificar significa evitar a complexidade e criar uma vida sem mistérios? Há uma diferença fundamental entre ser simples e ser simplório. Os simples resolvem a complexidade, os simplórios a evitam. Eu conheço pessoas sofisticadas, intelectualizadas, que levam uma vida plena, realizam trabalhos difíceis, apreciam leituras profundas e têm hábitos peculiares. 

E continuam sendo pessoas descomplicadas. 

Conheço também pessoas simplórias, com pouca profundidade, que realizam trabalhos repetitivos, que têm poucas ambições, que apreciam rotinas e evitam os sustos de uma vida aventurosa. E mesmo assim são pessoas complicadas, para elas tudo é muito difícil, em geral impossível.




Não há um paradoxo em construir uma vida simples em meio à vida moderna, cada vez mais exigente? 

Hiroshi criou a Ecovila Clareando, uma comunidade autossustentável no interior de São Paulo que atrai gente comprometida com a natureza e com seus valores, como a sustentabilidade, sem a ingenuidade das "sociedades alternativas" de antigamente, mas tendo a simplicidade como filosofia. 

Ele planta e produz praticamente tudo o que precisa para se alimentar, domina as técnicas de construção ecológica e de produção de energia limpa. Mas não é um isolado, viaja, participa de congressos, dá palestras, toca violão, compõe músicas. E é alegre em tempo integral.


Goldberg é professor da New York University, onde faz pesquisas sobre o cérebro humano, e consegue falar sobre seu funcionamento de maneira compreensível. Escreveu alguns livros, entre eles O Paradoxo da Sabedoria, em que afirma que, apesar do envelhecimento do cérebro, a mente pode manter-se jovem. 

Seus textos são o melhor exemplo de como se pode simplificar o complexo, pois são sobre neurofisiologia, mas qualquer um entende. 

Eu não poderia imaginar vidas mais diferentes e, ao mesmo tempo, mais parecidas. Ambos carregam uma leveza própria das pessoas que decidiram não complicar, sem abrir mão de seus desejos, projetos, pequenos luxos, enfim, da vida normal. 

Pessoas assim, que fazem a opção da simplicidade, têm alguns traços comuns. Identifico cinco deles:




1. São desapegadas: não acumulam coisas, fazem uso racional de suas posses, doam o que não vão usar mais.


2. São assertivas: vão direto ao ponto com naturalidade, mesmo que seja para dizer não, sem medo de decepcionar, não "enrolam" nem sofisticam o vocabulário desnecessariamente.


3. Enxergam beleza em tudo: em uma flor no campo e em um quadro de Renoir; em uma modinha de viola e em uma sinfonia de Mahler; em um pastel de feira e na alta gastronomia.


4. Têm bom humor: são capazes de rir de si mesmas e, mesmo diante das dificuldades, fazem comentários engraçados, reduzindo os problemas à dimensão do trivial.


5. São honestas: consideram a verdade acima de tudo, pois ela é sempre simples e, ainda que possa ser dura, é a maneira mais segura de se relacionar com o mundo.


Ser simples, definitivamente, não é abrir mão de nada. É possível apreciar o conforto, a sofisticação intelectual, as artes, o prazer da culinária, a aventura das viagens e continuar sendo simples.


Pois ser simples não é contentar-se apenas com o mínimo para manter-se fisicamente vivo, uma vez que não somos só corpo, também somos imaginação, intelecto, sensibilidade e alma. E esta última é, sim, simples, mas não é pequena, a não ser, é claro, que a pessoa queira.
Por Eugênio Mussak 

10 coisas que pode fazer hoje para simplificar a sua vida


Simplificar é mais fácil dizer do que fazer, porque a quantidade de tarefas e afazeres que exigem a nossa atenção dia após dia, muitas vezes parece o monte Everest – difícil de escalar! Mas o que é tão bom no acto de simplificar é que não tem de o fazer de uma só assentada. Pode e deve fazer uma coisa de cada vez. Mesmo com pequenos passos, vai conseguir percorrer o seu caminho e divertir-se durante a viagem!
Na realidade, pode começar hoje mesmo a viver uma vida mais simples, com recurso a estas 10 dicas! São coisas importantes mas simples, que pode colocar em prática já hoje, não amanhã, nem na próxima semana ou mês. Hoje. Escolha uma destas sugestões hoje e outra amanhã. Quando der por ela, terá conquistado a lista inteira, efectuando alterações significativas na sua vida e com um esforço mínimo!

1. Elabore uma pequena lista. Numa pequena folha de papel ou post-it, faça uma lista curta com as 4 ou 5 coisas mais importantes da sua vida. O que é realmente mais importante? A que dá mais valor? Quais são as 4 ou 5 coisas que mais quer fazer na vida? O acto de simplificar começa precisamente com estas prioridades, uma vez que, e graças a esta lista, vai certamente conferir-lhes mais espaço na sua vida, dedicando-lhes mais tempo.
2. Acabe com uma obrigação. Pense em todas as coisas que preenchem a sua vida e descubra aquela que lhe dá menos prazer fazer. Algo que lhe “roube” tempo, mas à qual até não dá muito valor. Pode ser a equipa de futebol onde joga todos os sábados, pode ser um cargo de direcção numa associação local ou a administração do seu condomínio. Estamos a falar de uma tarefa ou obrigação que realiza diária, semanal ou mensalmente, mas que na realidade o deixa a pensar: quem me dera livrar-me disto! Então livre-se! Telefone, envie um e-mail, marque uma reunião e comunique a decisão a quem de direito. Faça isso hoje, vai sentir-se muito aliviado.
3. Limpe uma gaveta. Ou uma estante ou um armário ou um canto de um quarto. Não precisa de ser um quarto inteiro ou um armário inteiro. Apenas uma pequena área, que pode utilizar como a sua base de simplicidade, expandindo a partir daí. Organize assim: 1) Esvazie o conteúdo da gaveta ou da estante para uma pilha. 2) Dessa pilha, escolha apenas as coisas mais importantes, ou seja, os objectos que realmente usa e que adora. 3) Deite o resto fora. Agora mesmo. Deite para o lixo, para a reciclagem ou coloque em sacos, e de seguida no carro, para poder dar ou doar. 4) Volte a guardar, de forma ordeira, os objectos que valoriza e que têm real utilização.
4. Estabeleça limites. Basicamente, isto implica estabelecer limites para as coisas que faz regularmente: consultar o e-mail, navegar na Internet, falar ao telemóvel, enviar SMS, ver televisão, tarefas diárias e outros aspectos do seu quotidiano, etc. E tente cumprir esses limites. Hoje, apenas tem de fixar limites para algumas das coisas da sua vida. Amanhã, tente cumpri-los.
5. Simplifique a sua lista de “coisas para fazer”. Observe atentamente a sua lista. Se esta contiver mais do que 10 tarefas, provavelmente pode simplificá-la. Decida quais são as tarefas que podem ser eliminadas, delegadas, automatizadas, entregue a terceiros ou ignoradas. Encurte essa lista. Este é um excelente hábito para praticar, pelo menos, uma vez por semana.
6. Ganhe tempo livre. Em geral, simplificar a sua vida significa ganhar tempo livre para fazer as coisas que realmente gosta. Infelizmente, o simples acto de arranjar tempo para pensar como vai simplificar a sua vida, pode ser difícil. Se for o seu caso, tente encontrar pelo menos 30 minutos por dia para pensar em simplificar. Ou, em alternativa, dedique um fim-de-semana inteiro a pensar nas formas como pode tornar a sua vida mais simples. E como é que vai encontrar esses 30 minutos diários? Eis algumas ideias: levante-se mais cedo, veja menos televisão, almoce no escritório, dê um passeio na hora do almoço, desligue a Internet, veja os seus e-mails apenas uma vez por dia, desligue os telemóveis, faça menos uma coisa todos os dias.
7. Organize a mesa do seu escritório. Uma mesa de trabalho limpa e organizada produz sentimentos positivos e surpreendentes no seu proprietário! É das tarefas mais simples de fazer e o retorno é excelente! Se a sua secretária estiver coberta de documentos, livros, post-its e material de escritório, pode não conseguir executar esta tarefa hoje, no entanto, estes são os passos básicos: 1) Retire tudo de cima da sua mesa e coloque numa pilha no chão. 2) Comece a filtrar essa pilha de cima para baixo, analisando um artigo de cada vez. Não adie decisões sobre qualquer um dos itens, mas sim decida rapidamente o destino de cada um. 3) Arquive, recicle, deite fora, encaminhe para outra pessoa ou coloque na sua capa de afazeres. Se for um gadget ou material de escritório disperso, procure guardá-los numa das gavetas da sua secretária ou então desfaça-se deles. 4) Repita até eliminar essa pilha de coisas e a sua mesa estar completamente livre. Livre-se ainda de todas as bugigangas e outros itens inúteis. Sobre a sua secretária deve estar apenas o seu computador, um tabuleiro para assuntos pendentes, um bloco de notas, e talvez uma ou duas fotografias (mas não mais do que isso!). Ahh, uma mesa limpa! 5) A partir de agora, coloque tudo dentro do tabuleiro para assuntos pendentes e organize-o da mesma forma, pelo menos uma vez por dia.
8. Esvazie a caixa de entrada do seu e-mail. Fazer isto tem o mesmo efeito psicológico que ter uma secretária limpa. A caixa de entrada do seu e-mail está sempre cheia de mensagens lidas e não lidas? Sim? Então isso significa que está a demorar muito tempo a tomar decisões relativamente aos seus e-mails. Se tiver, por exemplo, 50 e-mails ou menos na sua caixa de entrada, pode processá-los todos hoje! Se tiver centenas de e-mails, coloque-os numa pasta temporária e veja-os em blocos, por exemplo, 20 por dia. Para esvaziar a sua caixa num abrir e fechar de olhos – incluindo futuros e-mails – aproveite estas sugestões: 1) Verifique os e-mails de cima para baixo, um de cada vez, tomando decisões e eliminando cada um imediatamente. 2) Tem diversas escolhas à sua disposição – apagar, arquivar, responder na hora (seguido do arquivo ou lixo), encaminhar (seguido do arquivo ou lixo), assinalá-los de alguma forma específica e tomar nota da sua lista de afazeres para responder mais tarde (seguido do arquivo). 3) Repita este processo com cada e-mail até esvaziar a caixa de entrada. 4) Agora, cada vez que consultar o seu e-mail, processe as mensagens sempre com o intuito de esvaziar a caixa de entrada. Que bom que vai ser ter uma caixa de entrada finalmente vazia!
9. Mais devagar é melhor. Passamos o dia em “modo apressado”, correndo entre tarefas, reuniões e compromissos diários até ao final do dia, quando nos estendemos, exaustos, em cima do sofá. Em vez dessa correria diária, simplifique a sua vida, fazendo menos (veja os pontos 1, 4 e 5) e de forma mais lenta. Coma mais devagar, conduza mais devagar, caminhe mais devagar, tome banho mais devagar, trabalhe mais devagar. Seja mais deliberado. Esteja presente. Isto não é algo que vai conseguir dominar hoje, mas pode começar a praticar agora mesmo.
10. Uma coisa de cada vez. Em vez de executar múltiplas tarefas em simultâneo, faça uma coisa de cada vez. Livre-se de todas as possíveis distracções, resista a qualquer desejo para conferir o seu e-mail ou para atender o telemóvel enquanto está a executar alguma coisa. Concentre-se exclusivamente na tarefa que tem em mãos até terminar. O impacto nos seus níveis de stress e de produtividade será enorme.

SIMPLICIDADE!



“Simplicidade é ser livre de complicações, perguntas inúteis, dúvidas e expectativas. 

Quando sou simples nas minhas ações, sou naturalmente preciso e inspirador. 

Quando sou simples nos meus pensamentos, também sou simples nas minhas respostas ao ambiente externo (pessoas e situações). 

Assim permaneço contente comigo. 

Esse contentamento traz novidade e criatividade a medida que vou respondendo às situações com essa simplicidade. 

Ser simples não é ser comum ou superficial. 

Ser simples é ser capaz de trazer soluções fáceis para a complexidade da vida. 

Para ser simples é preciso entendimento, ponderação e sabedoria ”

 Brahma Kumaris.