quinta-feira, 12 de maio de 2016

O PODER DO PENSAMENTO - MUDE SUA FORMA DE PENSAR E VOCÊ MUDARÁ TUDO! - Tudo sobre Formas-Pensamento

MUDE SUA FORMA DE PENSAR E VOCÊ MUDARÁ TUDO, você é o que pensa...



SEU PENSAMENTO DETERMINA SEU SENTIMENTO, 


SEU SENTIMENTO DETERMINA SUA ESCOLHA 


E SUA ESCOLHA DETERMINA TUDO!! 


MUDE SUA FORMA DE PENSAR E VOCÊ MUDARA TUDO...

(caio)

 

Energia: Estamos imersos em um enorme mar de energia. Seja ela condensada (matéria) ou radiante (Energia).  

Diante disso temos um principio vital que pode ter diversos nomes, Mana, Fluido Cósmico Universal (FCU), Prana, Chi, Ki e etc
            
Estes nomes são utilizados para descrever a energia primaria e criadora de tudo que conhecemos. 

A princípio apenas religiões ou doutrinas espiritualistas tratam deste principio que tudo permeia. (Vale salientar que a pouco foram realizados experimentos a respeito das partículas subatômicas e foram descobertas partículas ainda menores que foram “apelidadas” de Partícula de Deus ou Bóson de Higgs. 

Esta partícula é o que os cientistas apostam ser a partícula fundamental).

          


Além disso, temos algumas leis naturais descobertas pela física que nos dizem que as partículas se propagam em ondas e que estas ondas dependendo da frequência dão nome aos elementos/coisas, da mesma forma que se afenizam por ressonância com outros elementos que vibram na mesma frequência.

            Ação e reação: para toda força exercida o elemento recebe em troca exatamente a força empregada como reação a primeira.

            Temos na física que toda matéria é dual, possuem polos negativos e positivos que se atraem e se complementam, dando estabilidade aos elementos como os conhecemos (força eletromagnética). 

Deste modo um elemento em equilíbrio (não doa nem recebe elétrons) é considerado neutro, equilibrado. 

No ocultismo e em filosofias espiritualistas ocidentais temos diversas menções sobre os opostos e como se equilibram, dentre elas a mais famosa é o Taoísmo que através de seu símbolo principal (Ying e Yang) nos dá a ideia clara de dualidade, em que temos os opostos se interlaçando e complementando formando um símbolo perfeito de equilíbrio, mostrando que a troca entre eles leva ao equilíbrio e que mesmo aquele que tem a energia de um polo como predominante não é totalmente livre de ter uma pequena parte do outro e assim por diante.

Aprendemos da mesma forma sobre a Teoria da Relatividade. Esta parte da ciência nos diz que tudo é relativo e que cada ângulo de possibilidade é interpretado de acordo com o seu observador (bem resumido pois o tema é demais complexo).  

Einsten nos mostrou que tempo e espaço são relativos e dependem basicamente da posição que o observador tem do fenômeno analisado em questão, ou seja, em uma mesma imagem temos dois raios acontecendo de maneira simultânea (ou aparentemente simultânea) em um campo aberto. Imaginemos uma pessoa parada e outra passando de carro, ambas viram os raios, no entanto para a que estava parada, sob o ponto de vista dela, os raios caíram ao mesmo tempo no local, no entanto a que estava no carro se movia em direção ao raio do lado esquerdo e por este motivo afirma que os raios caíram em ordem diferente, sendo primeiro o do lado esquerdo e depois o direito. 

Para a teoria de Einsten ambas estão corretas, pois o fenômeno deve ser analisado de acordo com a ótica do observador.

Adicionalmente temos o estudo da Física Quântica que analisa o mundo das sub partículas ou partículas elementares. 

Tal parte da física é considerada relativamente recente e desde então vem causando grandes mudanças na forma de pensar e experimentar não só a física, mas também campos antes não explorados pela área da ciência exata como a filosofia e a psicologia.

            O choque que a física quântica deu foi apresentar através de experimentos que ao contrário da física clássica o resultado de determinados experimentos na mecânica quântica não eram os mesmos analisados na física Newtoniana. Para a física clássica as partículas passam por determinado “caminho” gerando resultantes sempre iguais, ou seja, é como se jogássemos bolas através de um determinado buraco e cada bola (partícula) passasse sempre pelo mesmo buraco, no entanto para partículas subatômicas não se tem tal resultado exato, pois o “buraco” em que a partícula passa não é necessariamente o mesmo, gerando inúmeras possibilidades, cujo resultado será analisado a partir do comportamento da partícula e não pré-determinado pela mesma. Poderíamos chamar de física das possibilidades. 


OBS: Existem outros aspectos, mas acredito que o paralelo que pretendo fazer fica bem embasado levando em conta tais estudos da física.

CAMPO ENERGÉTICO:  

De acordo com estudos Herméticos e Espirituais somos seres multidimensionais. Atuamos além das dimensões que conhecemos. Para termos uma noção exata do que estamos falando podemos exemplificar da seguinte maneira: 

Quando estamos na Av Paulista e vemos diversas pessoas passando por nós, se olharmos para o lado conseguimos ver um número “X” de pessoas caminhando e se esbarrando. 

Se subirmos no topo de um prédio na mesma Av. Paulista e olharmos para baixo, exatamente no mesmo local em que estávamos teremos uma amplitude muito maior do que esta acontecendo. Conseguimos ver além das pessoas também os carros, lojas, motos e um número muito maior de individuos. 

Podemos dizer que a visão que temos do alto do prédio é mais ampla e engloba a visão que tínhamos no chão somada a outros fatores que agora nos parecem complementar a paisagem, gerando assim uma amplitude maior de consciência daquilo que estávamos presenciando anteriormente. 

O que quero passar é que a realidade que enxergamos não é exatamente a realidade total das coisas, ou seja, além da nossa percepção física temos elementos que vibram em uma frequência diferente e não nos faz perceptível através dos 5 sentidos materiais.

Inúmeros estudos espiritualistas nos mostram que temos em essência 7 corpos que juntos se manifestam, criando a nossa noção de realidade. Cada um destes corpos representa uma etapa evolutiva a ser deixada de lado e são veículos de comunicação do Espírito ou Centelha Divina.

Estes corpos se interpenetram e nutrem o corpo físico e o duplo etérico (negativo do corpo físico, corpo da saúde. Corpo que permite a ligação dos corpos mais sutis ao físico. O Duplo Etérico também é considerado físico, pois com a morte do veículo material ele também se dissolve). Os estudiosos do assunto nos passam a descrição como camadas, mas este termo é apenas didático. Seria mais fácil colocar que cada um destes corpos mudam uma oitava de vibração para serem acessados, tanto quanto uma nota musical em Dó menor vira Dó maior. Sua composição fica cada vez mais sutil se considerarmos como referência o Plano Material.

A união de tais corpos é o que dá origem ao nosso campo áurico (Aura = Corpo energético que circunda e interpenetra o corpo material). Cada um destes corpos também está intimamente ligado a frequência dos 7 Chakras principais (Vórtices energéticos de captação de Prana ou FCU) (Fig. Abaixo). Os Chakras captam as energias necessárias e a distribuem para o corpo. O bom funcionamento de cada Chakra está ligado ao estado psíquico da pessoa. De acordo com seu momento eles podem ou não estar livres e desbloqueados. O bloqueio de um Chakra pode, no futuro, gerar desequilíbrio no corpo físico através de doenças.
Assim como os Chakras temos 3 corpos energéticos mais ligados a experiência da matéria (Basico, Genito Urinário e Umbilical), cada um ligado ao veículo de manifestação do plano físico através dos corpos Etérico (Físico), Mental e Emocional (Plano Físico), Corpo Astral (O corpo astral neste caso está ligado ao veículo extrafísico que se desdobra e projeta-se para a dimensão espiritual em uma projeção astral,pode ser chamado de Perispirito, Psicossoma e outros), ligado ao Chakra Cardíaco, corresponde a ponte da realidade material para uma realidade espiritual,  3 chakras superiores (Laringeo, Frontal e Coronário) estão ligados aos corpos Mental superior, Budico e Atmico. 

Estes corpos estão ligados ao nível de consciência espiritual.

No atual estágio evolutivo em que nos encontramos trabalhamos na realidade material. Em termos de evolução podemos descrever o seguinte: o dia em que um ser humano controlar sua realidade física através do equilíbrio saudável de seus pensamentos e sentimentos caucados no amor ao próximo, não um amor como conhecemos, mas um amor incondicional, algo que transcende o interesse de cada ser e passa a ser aplicado para todos os seres, ai sim abriremos um diamante escondido por uma flor de lótus que está adormecido em nossos corações. 

Este coração não mais precisará de experiências materiais, pois ele não pertencerá mais a este mudo e estará pronto para viver em um mundo diferente, aonde a forma não é mais dual, aonde o amor impera acima de tudo. 

Por este motivo dizem os grandes mestres que o verdadeiro caminho é aquele que vem do coração (chakra cardíaco – Corpo Astral) e é somente através dele que se chegará a outro nível de consciência.

Os iluminados (Buda, Cristo, Krsinha, Maomé e etc) ensinam que é através deste sentimento que se ascende. 

Nos liberamos das condições físicas através da abertura integral de todos os chakras e assim forma-se um grande fluxo de energia margeando a coluna vertebral como uma grande serpente de luz (Kundalini) até o topo de nossa cabeça (coronário) nos religando ao todo, não somos mais somente uma gota no oceano, mas sim parte dele, centelha divina, 

Amor puro e Luz, não temos mais forma. Chegamos ao estado de Nirvana, Estado Cristico. 

Estado superior de consciência.

Quando reencarnamos nosso espírito entra pelo topo da cabeça e mora por uma vida dentro do coração. É através dos Chakras que experimentamos as impressões da vida na terra e tentamos superar as lições de Maya (Ilusão) . Um sujeito que se desenvolve espiritualmente ao longo da vida inicia sua senda dominando as energias ligadas a cada chakra e/ou corpo espiritual, através deste domínio de pensamentos e sentimentos, enfrentando seus medos com a única cura real a eles, o Amor. Seu coração se abre e no momento de seu retorno ele atravessa o topo da cabeça e volta para o lugar de onde veio.
Os nativos Kahunas (descendentes de Lemuria e nativos do Havai) nos ensinam que o oposto do Amor não é o ódio, mas sim o medo. Quem tem Amor entende a complexidade da vida como um todo e não mais possui medo das coisas mundanas, pois entende que elas são passageiras e cada experiência é o que tinha que ser naquele momento. Para eles a vida é enfrentar seus medos.

Mataji Devi (Conselheira espiritual de Gandhi. Com 10 anos de idade foi morar com ele em seu Ashram e o mesmo pedia conselhos espirituais a ela a respeito da vida em geral) nos explica que margeando a nossa coluna e se entrelaçando nos pontos de cada chakra principal temos dois filamentos energéticos que ligam-se ao final de seu curso um ao lado direito do cérebro e outro do lado esquerdo do cérebro. Esta energia a medida que é despertada leva a pessoa a um estado de superconsciência. O interessante é notar que o hemisfério esquerdo do cérebro é responsável pela mente racional e o lado direito pelo emocional, portanto podemos concluir que a ascensão desta energia também é o equilíbrio das emoções e pensamentos, que juntas despertam no ser que as atingiu um novo estado de consciência, até mesmo na parte física. 

ESTADOS PSIQUICOS:  PENSAMENTO, SENTIMENTO, MANIFESTAÇÃO

            Vimos que pela ótica sutil o domínio dos pensamentos e sentimentos através do emprego do Amor a pessoa supera seus medos e ascende em direção a um novo nível de consciência, podendo então trabalhar a realidade espiritual, entendendo que ela é integrada a um universo expandido e que sua união com o Todo é latente e agora para ela não existe mais divisão, mas são eles um só, a realidade é Uma. Ela é única com a criação.

            Do ponto de vista psíquico vamos buscar desenvolver mais estas questões e pontuar de forma mais clara como cada uma dessas funções agem em nosso dia a dia.

            Temos através do pensamento a ferramenta racional que nos dá a opção de escolha do que vamos pensar, como vamos captar a realidade, como vamos interagir com ela, ela que nos dá o discernimento para interpretar as coisas do dia a dia. É através do pensamento que nos reeducamos e é através dele que colocamos nossa mente para funcionar. É através dos pensamentos que moldamos nosso mundo interno e reeducamos nossas emoções.

            Os sentimentos são inconscientes, eles despertam de acordo com a realidade experimentada e desta forma fazem o registro daquilo que captamos de tais experiências, de modo que ao passarmos por outra situação parecida acessamos aquele registro e experimentamos aquela realidade novamente. 

Os sentimentos podem ser reeducados pelo pensamento consciente, no entanto a absorção da realidade desencadeada por um sentimento não é necessariamente processado pelo pensamento, embora sempre cause impressões racionais após vivenciarmos as situações.

            Gosto de dizer que o sentimento é o combustível da realidade e o pensamento é o motorista do carro que se chama vida. Através dos pensamentos educamos nossos sentimentos para que experiências negativas sejam retrabalhadas para se tornarem positivas e assim por diante.

            Dentro desta analise psíquica devemos considerar os atos instintivos, ou o instinto propriamente dito. O instinto, do latim instinctu, é algo inato ao ser vivo, um tipo de inteligência no seu grau mais primitivo. Ele guia o homem e os animais que possuem um grau mais elevado em sua trajetória pela vida, nas suas ações, visando justamente a preservação do ser. 

Os instintos são adquiridos nas experiências vividas, no confronto com determinadas situações e nas respostas a elas, e então herdados pelas gerações posteriores. Eles se manifestam nos homens, na maior parte das vezes, através das reações a certas emoções.

            Podemos entender que o instinto é uma ação primitiva inerente a necessidade de sobrevivência natural do ser. O instinto de comer, de sobreviver, de proteger um filho, de reagir a uma situação de perigo e assim por diante.
            A medida que evoluímos em consciência passamos a dominar de certa forma estas ações instintivas e com isso  nos distanciamos cada vez mais da animosidade que precede o ser humano.

            Outro ponto importante é levarmos em consideração a mente. A mente não é o pensamento propriamente dito, mas sim quem executa aquilo que se está pensando. Na metafísica da saúde o correspondente físico da Mente é o Cérebro, ou seja é através dele que executamos as impressões realizadas através da mistura de sentimentos e pensamentos, ou seja, é como interpretamos as nossas crenças.

            A manifestação ou comportamento é a resultante deste sistema de crenças. Desta forma agimos de acordo com aquilo que vivenciamos e experimentamos. Se está certo ou errado também é relativo, pois as crenças de cada um vão de acordo com aquilo que o individuo julga ser verdade. A verdade é relativa e pode mudar de acordo com um novo conjunto de crenças que venham a surgir em detrimento das experiências ao longo da eternidade.

            O fato é que o conjunto de crenças é o que leva o ser a seu estado de saúde e felicidade ou para a doença e infelicidade. Cabe a cada um identificar essas nuances e o quão importantes são em suas vidas de modo que possam experimentar de maneira diferente a sua realidade.

            Mecanicamente podemos dizer que o Espírito é a força criadora de tudo, é nele que está nosso principio e fim. A consciência é o que através da experiência vivemos e trabalhamos, moldando o certo e o errado para cada individuo. 

O instinto é a parte natural que vem com o ser humano, trazendo a ele reflexos de sobrevivência e proteção para o que ele julga ser vital. 

O sentimento é como experimentamos a vida, é através dele que temos as sensações de cada momento. O pensamento é como discernimos os acontecimentos de nossa realidade e reeducamos, é como processamos aquilo que vivenciamos. 

A mente é o que coloca o pensamento e o sentimento em funcionamento para o mundo real. Podemos dizer que a mente é o que comanda nosso cérebro, tornando as experiências reis.

MUDANDO A REALIDADE. RESPONSABILIDADE. NÃO EXISTE CULPA

            Diante de tais situações nos encontramos frente a frente com nossas responsabilidades como ser. Percebemos que o conjunto de experiências que processamos ao longo da vida e a influência do meio nos leva a interpretar a realidade que vivenciamos.
            
Somos absolutamente responsáveis pelo que presenciamos em nossas vidas. Temos muitas vezes o mecanismo de defesa de transferir para outros a responsabilidade dos acontecimentos, mas já vimos que quem cria sua realidade é você, atraindo para si de acordo com seus pensamentos e sentimentos situações em ressonância com o que vibra.
            A medida que o ser toma consciência do padrão que criou aquela realidade basta que ele exercite sua mente para mudar aquela crença e ao trabalhar tais padrões criar novos que sejam melhores para si.
            Os processos de mudanças são cíclicos, enquanto o ser ainda não adquiriu total consciência daquela mudança ele verá aquela situação se repetir por algumas vezes até que através de um estimulo maior (seja o fundo do poço ou uma mudança por amor) o individuo muda sua realidade para algo melhor para si.
            Mais uma vez exemplificando os nativos Havianos, Kahunas, eles passavam a ideia de que não havia culpa neste processo de reforma intima. Todo o ser que realizava algo que não condizia com o que lhe fazia bem eles consideravam somente que era necessário passar por aquilo no percurso da vida e com isso bastava a pessoa mudar aquela realidade a partir do momento que tomava consciência do fato.

            Fomos criados com base na culpa, muito em função de dogmas religiosos de um Deus punitivo, com quem inúmeras vezes tínhamos que barganhar através de promessas para entendermos que éramos dignos de tais dádivas. Muitos destes conceitos foram repassados por pais a seus filhos, e desta forma criou-se uma convenção coletiva de que tudo aquilo que era feito fora do eixo dos dogmas impostos eram dignos de uma vaga no inferno, ou purgatório.

            Deus é de amor Incondicional. Percebam o real sentido desta palavra. Se não existe condição por que deveríamos barganhar com ele? Diante de tal situação passamos a entender que a culpa é uma criação de controle de massa através do medo, para que determinados preceitos fossem seguidos por uma maioria e para que o MEDO fosse usado como ferramenta de controle. É muito mais fácil impor e dominar o outro através do medo do que encoraja-lo no Amor. Aquele que ama não julga, mas respeita o momento e a necessidade de cada um. 

Estende uma mão para que caminhe junto, mas sabe que a prova é do outro e que este só vai superar tal prova a medida que  expande sua consciência em direção aquilo.
            
Os grandes mestres iniciam seus discípulos rumo à lapidação do diamante que esconde em seu coração. Ensinam a eles os preceitos básicos da realidade que eles experimentam, mas em momento algum eles sofrem as provas de seu iniciados, pois sabem que cada prova é necessária. Veja que os grandes mentores jamais lhe passam respostas taxativas sobre como devemos ou não agir, eles apenas procuram nos guiar no Bem maior, no caminho do amor e da bem aventurança. Um mestre de verdade lhe ensina a ser mestre de si mesmo.

            Ser mestre de si nada mais é do que dominar sua realidade e interpreta-la de modo saudável. Ser mestre de si não é desenvolver capacidades parapsiquicas, operar “milagres” através de fenômenos parapsiquicos e mediúnicos, ou mesmo aplicar exercícios de meditação e desenvolvimento sem entender a essência que está por trás disso tudo. Ser mestre de si é crescer internamente e todo o resto é ferramenta para isso.
            Para a metafísica a cura está em quebrar paradigmas, mudar suas crenças doentes, trazer para sua realidade aquilo que lhe faz bem, nada além disso. Viver em plenitude, respeitar seu coração, entender que se algo não vai bem na sua vida isso é fruto das escolhas feitas pelo individuo. 

            Se o que você está vivendo não lhe parece ir no sentido correto, então esta verdade não lhe faz bem e bloqueia sua condição saudável. Perceber se o caminho que está trilhando é o correto para você é de foro intimo, nos perguntarmos se este caminho  lhe traz sofrimento ou alegria é uma das formas de perceber se esta realidade lhe produzirá frutos saudáveis.
            Outro ponto importante a ser percebido é como divagamos em pensamentos ao longo da vida. Em pouquíssimos momentos estamos plenos em nossas funções e concentrados na realidade presente. 

Perceba que o passado não pode ser mudado, da mesma forma que o futuro é somente resultado da sua escolha presente, portanto é mera possibilidade.

 Focar no presente é uma das formas de quebrar paradigmas, pois aquele instante, aquela ação, aquela percepção do momento pode mudar todo um acontecimento futuro. 

Desta forma a mudança de cada um esta implícita na forma como estamos agindo no agora. Se tem algum momento para mudar ele sempre será agora, nunca a frente e nem no passado.
            
Todo o ser humano tem um potencial dúbio, somos ao mesmo tempo bondosos ou maldosos, nossos atitudes podem ser extremamente altruístas ou egoístas. Somos Luz e Sombra. 

Esta manifestação é potencial a todo ser humano. 

O lado negativo e positivo é inerente à natureza do planeta, o impulso para caminhar no equilíbrio está em obtermos através de exemplos positivos ou negativos uma nova visão de realidade. Quando bloqueamos o caminho da Luz, batemos fundo na escuridão e está nos impulsiona para a mudança, ao passo que se estamos na Luz entendemos a melhor forma de lidar com as alegrias sem perder o foco do Bem maior.
           
FORMAS DE PENSAMENTO E INTERAÇÃO:

            Vimos no começo deste estudo que tudo é energia. Nada é sólido como parece na matéria, tudo é um grande emaranhado de partículas que ao interagirem formam os elementos.
O ser ao reencarnar reduz as capacidades do espírito. 

Através dos elementos físicos limitantes (corpo) passamos a experimentar uma ilusão de vida na matéria(Maya). Nosso cérebro não processa o potencial do espírito, da mesma forma que necessitamos desenvolve-lo ao longo de vidas para que a consciência material una-se a consciência espiritual, sendo que a segunda se sobrepõe a primeira, já que é ela que dita nossa realidade enquanto espíritos eternos e centelhas divinas. 

O véu que presenciamos na realidade física só pode ser mudado com o desenvolvimento da consciência. Ao despertarmos para a realidade espiritual nos alinhamos com aquilo que somos quanto espíritos. 

A necessidade da vida física é tão somente retrabalhar nossos desequilíbrios que nos impedem de nos tornarmos parte do Oceano de Amor que é Deus. 

Exercitar o Amor é voltar a Deus e ele vale para a realidade espiritual e material.

            Desta forma devemos pensar que o que é real aos nossos olhos não é exatamente aquilo que percebemos com nossos sentidos físicos, não vemos as ondas de radio no ambiente, mas sabemos que elas existem e são transmitidas ao redor de todo o globo.
            Podemos refletir sobre os  pensamentos com a mesma função. Somos como grandes antenas de rádio que propagam seus pensamentos de acordo com sua força de vontade. 
            Se somos emissores de ondas, logo ressoamos com aquilo que vibramos em igual teor, portanto tudo aquilo que molda nosso micro universo nada mais é do que o potencial vibracional interior. 

            Clarividentes desenvolvidos, em maior ou menor grau, perceberam ao longo de suas observações que ao emitirmos um pensamento este se estampa em nosso campo áurico através de formas e cores. 

Quanto mais firme, claro e focado o pensamento, mais tempo ele permanece no nosso campo áurico.

            Ao emitirmos tais pensamentos vibramos determinadas frequências, portanto educar os pensamentos também nos traz uma maior consciência do que vamos enfrentar pela vida.

            Um pensamento focado e determinado é forte o suficiente para atingir o seu alvo, porém um pensamento unido ou dinamizado pelo sentimento tende a durar mais tempo e sua força é ainda maior.

            Grandes magos, sejam brancos ou negros, conhecem a mecânica da magia do pensamento de forma muito clara. Uma grande magia necessita de foco (testemunho), persistência, determinação, sentimento e um dinamizador natural (meio pelo qual a energia se mantém ressoando com maior força por vibrar igual ao pensamento deliberado na ação da magia).

            É através das formas-pensamento que os Magos magnetizam objetos e amuletos, dando a eles funções para este ou aquele fim. Podemos também trabalhar as formas-pensamento, criando elementos artificiais moldados em matéria astral para exercerem diversas funções, como por exemplo, a proteção de seu lar, criar um ambiente favorável para uma reunião e assim por diante.

            Da mesma forma que emitimos também captamos outros pensamentos que ficam pairando no ambiente. Por vezes estas ideias são deixadas lá para que outros que se afenizem com elas possam captar. A partir do momento que captarmos este pensamento e pegarmos para nós, dermos força a ele e reemitirmos de volta ao ambiente, este pensamento passa a ser nosso, portanto também temos responsabilidade por sua emissão.

            Outro fator importante está na lei de ação e reação. A física explica que toda força aplicada retorna na direção contrária com a mesma força anteriormente enviada, com isso podemos considerar que tais pensamentos quando direcionados trarão consigo como resultante outros pensamentos na mesma força e intensidade do pensamento enviado, seja ele bom ou ruim. Este princípio pode ser tratado como lei do Karma ou causa e efeito.

            Na interação entre as pessoas as formas pensamento exercem uma função muito interessante. Quando a relação entre essas pessoas é saudável suas energias se entrelaçam de modo harmônico, trazendo para o campo bioenergético elos de luz e cores claras e definidas. 

Criam-se nos chakras verdadeiras ligações entre estes indivíduos, pois eles estão ressoando entre si de forma saudável. Nota-se no seu chakra cardíaco um fio que se une de coração a coração e as formas-pensamento emanadas são cheias de luz e bons sentimentos, de modo que a sensação de bem estar entre estas pessoas passa a ser cada vez mais prazerosa e harmoniosa.

            O outro lado também é verdade, formas-pensamento conflitantes entre as pessoas também criam laços energéticos e a troca de energia passa a ser roubo de energia, fazendo com que os indivíduos não compartilhem do sentimento de amor e vivam como verdadeiros vampiros sugadores de energia. Manter esta relação só vai reforçar os laços conflitantes e cada vez mais essas pessoas vão minar aquilo que possuem de energia.

            Além disso, as formas-pensamento não agem somente nas relações entre seres humanos, elas se desenvolvem em toda a realidade do individuo. Seja no trabalho, em casa, com a família, em seus bens pessoais, enfim, em todas as áreas da vida deixamos nossa impressão através das formas-pensamento, que exprimem aquilo que trazemos dentro de nós. 

            É através da vibração das formas-pensamento que espíritos assediadores compartilham com você dos seus prazeres. Perceba que ao vibrarmos tal energia ela não é proeminente do assediador, este por sua vez só comunga da mesma energia que você, portanto vocês são colegas, em alguns casos grandes amigos, daquela forma-pensamento e compactuam de um interesse comum. Por este motivo perceba que muitas vezes uma sessão de esclarecimento espiritual não é para o obsessor, mas sim para o suposto assediado, já que este também precisa retrabalhar aquele padrão interior.

            Perceba de que forma você está alimentado esta energia. Se mantiver este padrão nada vai mudar e sua forma-pensamento vai se solidificar cada vez mais na sua aura, uma vez que a cada momento que passa você exprime este sentimento e pensamento reiteradas vezes dando foco e força a esta forma pensamento negativa.
            Vamos entender que a resultante formadora da forma-pensamento é o pensamento, no entanto o dinamizador disso tudo está no sentimento. Para termos forma-pensamento saudáveis é necessário que nos sintamos assim. Reeducar nossos sentimentos e coloca-los em equilíbrio através dos pensamentos me parece ser o caminho ideal para o desenvolvimento intimo de cada individuo.

COMO TRABALHAR ISSO TUDO A NOSSO FAVOR 

            Criar formas-pensamento saudáveis é um exercício de terapia constante. O primeiro passo para que estas realidades sejam mudadas é entender que existe um sistema que sustenta a forma como enxergamos a realidade.

            Este sistema passa pelas impressões geradas nos sentimentos e depois expressadas através do pensamento e comportamento. 

O nosso lado emocional é inconsciente, ele apenas registra as impressões da realidade, é nossa criança interior. Como toda criança ela precisa ser ensinada, doutrinada e acompanhada ao longo do tempo para que na fase adulta ela saiba escolher aquilo que é melhor para ela.

            
Os pensamentos interpretam a realidade através de nossas experiências. Desta forma os pensamentos fazem parte do seleto grupo consciente. Tudo aquilo que racionalizamos fazer nos dá a opção de escolha de tornar aquilo real ou não.
            Para que possamos reeducar nossas impressões de realidade faz-se necessário o contínuo trabalho de autoconhecimento. Não vamos melhorar todos os nossos aspectos em alguns dias ou anos, talvez isso demore vidas.
            Um sentimento retrabalhado através de um pensamento e que liberta o individuo de impressões ruins torna-se um ato Consciente, pois a consciência é o que traz para o individuo a capacidade de entendimento e escolha da realidade. 

Um ato consciente possui um peso muito maior para a lei do Karma do que um ato por ignorância ou inconsciência.
        
            Alguns exercícios ajudam a identificar tais padrões, alguns são mais gritantes e fáceis de pegar do que outros, depende de nosso sistema de crenças.
            Nosso corpo emocional (Kahunas chamam de Unihipili ou Eu inferior) é sinestésico. Conforme mencionei ele não tem consciência, igual a uma criança ele fica acuado quando tolido e feliz e eufórico quando é alimentado com alegria.

            Nosso lado racional pode de fato conversar com nossa criança interior, trazer para ela novos significados para os medos impressos em seu campo energético. Converse com sua criança interior da mesma forma que você conversa com seu filho. Explique que os momentos em que ela se sentiu afrontada não eram para ser daquele jeito.   Use o pendulo, ou pedras, ou papéis com respostas como sim e não. Ao perguntar, conversar com sua criança interior pegue o papel e retrabalhe isso como se estivesse dando uma lição a esta criança. Com amor e paciência.

            Perceba que ao fazer isso você está curando o seu emocional através do seu racional. O resultado é fantástico. Quando as respostas não surgirem mais deixe para continuar no outro dia. A medida que você utiliza esta prática você começa a perceber as reações de sua criança interior no ato de cada acontecimento.
            Pratique exercícios de equilíbrio dos chakras através de praticas bioenergéticas. Faça a limpeza de suas formas-pensamento, tanto no seu campo áurico como nos ambientes em que frequenta. Mentalize luz, amor, limpeza. Faça deste hábito igual a tomar banho, ele vai lhe ajudar na lucidez, vai te deixar mais propenso a intuições benéficas, te tornará mais sensível a cada situação.

            Não trabalhe de forma impulsiva, se não tiver uma resposta para aquele momento medite a respeito, pense, reflita, sinta. Tome sua atitude visando os preceitos cosmoéticos, buscando melhorar o maior número de pessoas.

            Seja sincero consigo mesmo, reconheça seus potencias, explore suas qualidades e melhore cada defeito um pouco por dia através do bom senso e do discernimento. Embase suas atitudes dentro de sua verdade e não tente ser o que não é. 

Tenha compaixão e fraternidade para os seus semelhantes. Semeie o bem em você e isso vai se espalhar aos outros por consequência. Não seja hipócrita, pois se você assim for seu lado sombrio não é, este é extremamente sincero contigo, pois ele não se preocupa com o outro, mas ouvi-lo pode ser um bom exercício para retrabalhar um defeito.

            Respire fundo sempre que necessário, e saiba pedir aquilo que você quer, não aquilo que não quer. Vibrar aquilo que não quer trará a mesma energia de volta por ressonância, portanto curar um trauma é mudar a crença para o que você busca e para o que te faz feliz.

            Não se coloque limites. Sinta-se merecedor de tudo, até das coisas ruins que te acontecem, pois estas também são necessárias para você e elas te trarão de volta para a luz. Agradeça tudo o que tem, mas nunca coloque sua felicidade em outras coisas que não sejam em você mesmo. Um coração feliz e cheio de bons sentimentos ninguém tira, agora um carro, uma casa, um namorado ....... estes podem ir embora a qualquer momento. Basicamente o que está dentro de ti permanecerá até mesmo depois da sua morte física.

            Fazer o bem sem esperar algo de volta. Respeitar o momento de cada um. Ajudar sempre que for preciso, desde que não se prejudique. Carregar somente o seu fardo. Agradecer aos presentes da realidade que você criou. 

Experimentar aquilo que estudou. Ter a mente aberta para quebrar paradigmas. Respirar Fundo!! Meditar!!! Pulsar luz no seu coração!!! Equilibrar-se. 

Nem lá, nem cá! Fraternidade.! Universalismo! Dance, cante, se divirta! Trabalhe! Converse! Tenha amigos! Amigos aqui, e outros lá em cima! Busque o Amor.

           Aloha! Namastê! Amém!

BIBLIOGRAFIA:
Mãos de luz / Luz emergente – Barbara Ann Brennan
Teoria dos Chakras – Hiroshi Motoyama
Medicina Vibracional – Richard Gerber
O Tao da física – Frijof Capra
Metafisica da Saúde 1, 2, 3 e 4 – Valcapelli e Gasparetto
Autobiografia de um iogue – Yogananda
Formas de Pensamento – C. Leadbetter
Deepak Chopra (Diversos artigos)
Emit Goswami (Diversos artigos)
Curso Kahuna IPPB
Apostila Bionergia IPPB
Apostila Ocultismo IPPB
Mataji Devi (Diversos aritgos e vídeos)
Om Mikail Aivanhov (Artigos e vídeos)
Magia de redenção / Fisiologia da Alma / Missão do espiritismo / Mediunidade de cura (Diversos artigos) – Ramatis
Doença como linguagem da alma / Doença como simbolo - Rudigher Dhalke
Palestras IPPB