quarta-feira, 23 de julho de 2014

EQUILÍBRIO E HARMONIA - POR QUE VOCÊ OBTÉM O OPOSTO DAQUILO POR QUE REZOU?

POR QUE VOCÊ OBTÉM O OPOSTO DAQUILO POR QUE REZOU?


537114_568289926523200_2101726942_n



















Coué, o famoso psicólogo francês que visitou os Estados Unidos há cerca de 40 anos, definiu a lei do esforço invertido com a seguinte frase : “Quando seus desejos e sua imaginação estão em conflito, sua imaginação invariavelmente ganha a batalha.”
Por exemplo:
se lhe pedirem que caminhe sobre uma prancha colocada no chão, você o fará sem dificuldade.
Suponha agora que a mesma prancha esteja colocada a uma altura de seis metros, entre duas paredes.
Você andaria por ela?
Seu desejo de andar seria contrabalançado por sua imaginação ou medo de cair. Sua idéia dominante, a de cair, acabaria por vencer. Seu desejo, vontade ou esforço para caminhar sobre a prancha seria invertido e a idéia dominante da queda seria reforçada.
O esforço mental invariavelmente se derrota a si próprio, resultando sempre no oposto do que é desejado.
As sugestões de impotência para superar o condicionamento acabam dominando a mente – e o subconsciente é sempre controlado pela idéia dominante.
O seu subconsciente aceitará sempre a mais forte entre duas proposições
contraditórias.
Portanto, o caminho sem esforço é o melhor.
Se você diz frases como:
“desejo ficár curado, mas não consigo”, “tento tão desesperadamente”, “obrigo-me a
rezar” e “uso toda a minha força de vontade”,deve compreender agora que seu erro está no esforço que faz.
Nunca tente compelir o seu subconsciente a aceitar a idéia com o uso da força de vontade.
Tais tentativas estão fadadas ao fracasso e você obtém apenas o oposto daquilo por que rezou.
Há uma experiência muito comum que ilustra isso. Estudantes, quando estudam para exames finais, muitas vezes descobrem que todo seu conhecimento subitamente se desvaneceu. As suas mentes se transformam num vazio aterrador e ficam incapazes de coordenar as idéias.
Quanto mais rangem os dentes e recorrem à força de vontade, mais as respostas parecem afastar-se.
CERTO?
Mas, quando deixam a sala de exames e a pressão mental é aliviadas, as respostas que procuravam voltam a jorro a suas mentes.
Tentar lembrar-se pela força de vontade foi a causa do fracasso.
Este é um exemplo da lei do esforço invertido, pela qual você obtém o oposto daquilo por que rezou.
O CONFLITO ENTRE O DESEJO E A IMAGINAÇÃO DEVE SER CONCILIADO
Usar a força mental é pressupor que há oposição. Quando sua mente está concentrada nos meios para superar um problema, não mais se preocupa com os obstáculos. Em S. MATEUS 18:19 pode-se ler:
OPS:Se dois dentre vós, sobre a Terra, concordarem a respeito de qualquer coisa que porventura pedirem, ser-lhes-á concedida por meu Pai que está nos céus.
Quem são estes dois?
Significam a união ou acordo harmonioso entre o consciente e o subconsciente sobre
qualquer idéia, desejo ou imagem mental.
Quando não mais houver controvérsia alguma em nenhuma parte de sua mente, então sua oração será atendida. O acordo entre os dois pode ser também representado como você e seu desejo, seu pensamento e sentimento, sua idéia e emoção, seu desejo e imaginação.
Você evita todo conflito entre seus desejos e sua imaginação ao cair num estado de sonolência, que reduz todo esforço ao mínimo.
A mente consciente fica amplamente submersa no estado de sonolência.
A melhor ocasião para impregnar seu subconsciente é instantes antes de dormir.
A razão para isso é que o grau mais alto de afloramento do subconsciente ocorre instantes antes de adormecermos e imediatamente após despertarmos.
Nesse estado, os pensamentos e imagens negativos, que tendem a neutralizar seu desejo e impedir a aceitação da idéia por parte de sua mente subconsciente, não mais estão presentes.
Quando você imagina a realidade do desejo satisfeito e sente a sensação da realização, seu subconsciente transforma o seu desejo em fato concreto.
Muitas pessoas resolvem todos os seus dilemas e problemas com o uso da imaginação,controlada, orientada e disciplinada, sabendo que o que quer que se imagine e sinta como verdadeiro será trazido ao mundo exterior como
manifestação concreta…
O caso seguinte…demonstra claramente como uma jovem superou o conflito entre seu desejo e sua imaginação.
PRESTEM ATENÇÃO AO ERRO DELA ANTES E GERALMENTE IGUAL AO NOSSO!!!
Ela desejava uma solução harmoniosa para seu problema legal, mas suas imagens mentais fixavam-se constantemente no fracasso, falência, bancarrota e miséria.
Era uma ação complicada e ocorreram sucessivos adiamentos no processo sem nenhuma solução à vista.
Por sugestão minha, todas as noites, antes de dormir, ela entrava em estado de sonolência e começava a imaginar um final feliz para o caso, sentindo-o em toda a sua plenitude.
Ela sabia que a imagem em sua mente tinha de estar de acordo com o desejo em seu coração.
Dramatizava, de maneira tão real quanto possível, seu advogado travando uma acalorada discussão e ela assistindo, à espera do resultado.
Fazia-lhe perguntas e ele respondia da maneira mais apropriada.
O advogado dizia-lhe repetidas vezes : “Houve uma solução perfeita e harmoniosa.
O caso foi resolvido por acordo, fora do tribunal. Durante o dia, quando pensamentos de medo lhe assaltavam a mente, ela reagia com seu cinema mental, animando-o com gestos, voz e todo um equipamento de som.
Ela podia facilmente imaginar o som da voz do advogado, seu sorriso e gestos,
Tantas vezes ela imaginou a cena que esta se transformou num padrão subjetivo seu.
Poucas semanas depois, foi chamada por seu advogado, que confirmou objetivamente o que ela imaginara e sentira como verdadeiro subjetivamente.
Foi isso que o salmista quis dizer quando escreveu: As palavras dos meus Lábios (seus pensamentos, imagens mentais) e o meditar do meu coração (seu sentimento, natureza, emoção) sejam agradáveis na tua presença, Senhor (a lei do seu subconsciente), rocha minha, redentor meu!
(o poder e sabedoria de seu subconsciente podem redimi-lo da doença, da escravidão e da miséria) SALMO 19:14.
(sem mistificação nenhuma)
Joseph Murphy