sexta-feira, 28 de abril de 2017

DESPERTANDO O CONHECIMENTO - SOBRE ENERGIA VITAL

O QUE É?




energia vital que circula pelo corpo está em tudo: na natureza, nos alimentos, nos líquidos que bebemos, mas é absorvida principalmente através do ar que respiramos. 

Esta energia desprende-se do sol e impregna toda a atmosfera. Você pode vê-la como pontinhos brancos movimentando-se rapidamente em todas as direções ao fixar seu olhar num céu azul.

Ela é a energia de vida do Universo, ou seja, amor. Vivemos num mar de energia e de amor que nossos afazeres diários nos impedem de perceber.
A natureza desta energia é nos preencher de alegria, felicidade, amor, prazer, paz e sensibilidade. Portanto, quanto mais energia vital você absorve, mas sensível à vida e feliz você se torna.

Autor desconhecido

ENERGIA VITAL OU CHI


O Chi, a energia vital e os meridianos podem se desequilibrar de várias formas. Quando existe muita ou pouca circulação do Chi o corpo todo é afetado podendo entrar num estado de hiperatividade ou letargia, respectivamente.

Também é possível que o Chi esteja em excesso num determinado órgão do corpo e que seja deficiente em outro. E também pode estar em desequilíbrio ao longo de um meridiano específico.

Segundo a Medicina Oriental, as causas da doença estão divididas de acordo com três principais fontes:
• Interna (emocional)
• Externa (climática)
• Mista

(3)Yin corresponde a força centrífuga e Yang a força centrípeta. Segundo a Medicina Oriental não há fenômeno ou assunto humano que não represente esta eterna e universal lei das mutações. O movimento circular e cíclico de yin e yang é a própria infinidade. Que podemos chamar de única totalidade, eterna e universal.

Na categoria mista estão incluídos também: constituição fraca, maus hábitos alimentares, fadiga, atividade sexual excessiva, trauma, parasitas e venenos.
As terapias tradicionais através dos meridianos regulam e equilibram o fluxo de Chi pelo sistema de meridianos.

A Medicina Tradicional Chinesa diz que existem cinco modos diferentes de manifestação e circulação do Chi, no universo. Estas cinco expressões diferentes são apresentadas com a Teoria dos Cinco Elementos ou Teoria dos Cinco Estágios de Transformação: fogo, água, terra, madeira e metal.

Como parte do universo, o corpo e a mente também estão sujeitos às regras e influências desses cinco elementos.

Cada elemento representa um clima ou emoção. Como vimos anteriormente, as influências climáticas (externas) e as emocionais (internas) são duas das três causas da doença (sendo a mista a terceira causa). Com isto em mente podemos começar a entender a importância desta teoria na hora de fazer um diagnóstico.

Os cinco elementos são vistos como fases de um processo dinâmico, não são unidades separadas. Estão relacionados com as representações da natureza – estação, cor, movimento, som, etc.

“Nas cordilheiras há fontes, cachoeiras e rios, bem como vulcões, vales, florestas e planícies.
Cada um destes lugares tem certas características, produzidas pela pressão atmosférica e condições de superfície, juntamente com forças e movimentos subterrâneos.
Analogamente, ao longo dos meridianos do corpo há vários pontos caracterizados como fenômenos naturais nas cordilheiras. Alguns pontos dos meridianos são de natureza aquosa – o fluxo de energia corre, alaga, precipita-se, borbulha. Outros são
caracterizados mais pela natureza do fogo, do metal, da madeira...”
(3) Mishio Kushi

Fonte: Leugin - Terapia do Ser

ENERGIA VITAL


Segundo a medicina chinesa e as constatações ocidentais através da máquina Kirlian, o corpo humano possui meridianos energéticos - ou linhas - distribuídos no nível subcutâneo. Esses meridianos têm seus terminais principais nas extremidades do corpo, ou seja, nos pés e nas mãos.

As técnicas orientais de tratamento de doenças - como shiatsu, do-in, moxabustão e acupuntura - utilizam os pontos ao longo dos meridianos do corpo, das mãos e dos pés para reequilibrar a energia do organismo. Conforme diz o mestre Juracy Cançado: A energia que corre por esses canais é denominada ki, que para os orientais resulta da combinação de duas forças opostas: yang (ativa ou positiva) e yin (passiva ou Negativa), criadas continuamente do tao (unidade primordial ou origem do Universo). 

Yang e yin são dois princípios antagônicos que se atraem e geram a energia concretizadora da matéria e de todos os seres vivos.
Isso se compara à teoria da Grande Explosão, respaldada pelos cientistas para explicar a origem do Universo.
Yin e yang geram movimentos de contração e expansão, correspondendo às forças centrípeta e centrífuga, respectivamente. São a pulsação do Universo. Essa pulsação propaga a energia que, por sua vez, dispersa-se e condensa-se, criando e modificando a matéria.
(Juracy Campos L. Cançado em Manual de primeiros socorros do do-in) 
Os filósofos taoistas japoneses nos mostram que o homem é constituído pela mesma energia primordial e regido pelo mesmo princípio que o Universo. Portanto, está sujeito às mesmas leis que regem a natureza. A física quântica expressa cientificamente essa verdade em um de seus princípios: 

Cada parte contém o todo: um elétron é todos os elétrons; uma partícula é todas as partículas. Tanto uma cadeira quanto um ser humano, quando olhados de suficientemente perto, não são sólidos.
São, sim, uma fantástica interação de anéis de luz, vibrando e rodopiando no turbulento mar do espaço. (Bob Toben e Fred Alan Wolf em Espaço, tempo e além. São Paulo, Cultrix, 1982.)
As fontes de energia que constituem o corpo humano são cinco:
Energia cósmica: vibrações verticais captadas pelos sentidos e pelos pontos de energia;
Energia ancestral: partícula hereditária transportada nos gametas que formam o ovo fecundado (informação genética);
Vibrações microcósmicas: ondas horizontais dentro dos indivíduos;
Respiração: energia (prana) captada da atmosfera pelas vias respiratórias;
Alimentação: energia solar concentrada nos alimentos mediante a clorofila e as bactérias do solo.
Observe que o ser humano, para manter-se em equilíbrio, necessita, antes, estar em harmonia com suas fontes de energia. O conhecimento milenar da saúde nos mostra que podemos transmutar as energias da natureza em nosso corpo mesmo sem alimentos sólidos ou líquidos. Para conseguir a harmonização de fluxos energéticos, invisíveis aos olhos, é necessário saber usar o pensamento. Se o homem emite pensamentos de raiva, agressividade e ansiedade, age sob a força de yang, gerando excesso de energia no corpo, causando tipos específicos de doenças e até de um formato do corpo. Por outro lado, se o homem mantém pensamentos de tristeza, mágoa ou ressentimentos, então ficará sob a força de yin, gerando deficiência de energia no organismo, que por sua vez provoca doenças equivalentes.
O homem pode controlar todo o fluxo energético do corpo equilibrando os pensamentos, as palavras e as ações.
Para ajudar você a compreender melhor os aspectos yin e yang e acelerar o processo de mudanças internas e externas de seu corpo e sua mente, transcrevo, a seguir, o quadro das doenças do ki extraído dos estudos da medicina chinesa (do-in) pelo terapeuta e mestre Juracy Cançado, de quem me orgulho ter sido aluna.

Yin

Deficiência de energia 

Doença crônica 
Sonolência
Hipoestesia 
Flacidez
Hipotensão
Suor frio 
Inchação 
Obesidade 
Paralisia 
Inatividade, torpor 
Hipotonicidade 
Pele úmida e fria 
Olhar morto e opaco
Movimento lento 
Voz fraca, sem ressonância 
Tristeza, depressão 
Psicose 
Falta de iniciativa 
Áreas volumosas, inchadas 
e desproporcionais
Área fria, insensível

Yang

Excesso de energia
Doença aguda
Insônia
espasmo
Contração
Hipertensão
Hipersecreção
Inflamação
Magreza
Convulsão
Hiperatividade
Hipertonicidade da pele
Pele seca e quente
Olhar vivo e claro
Movimento lento Movimento rápido
Voz forte, rude
Ansiedade, mania
Neurose
Hiperatividade
Área raquítica e fina
Área quente, inflamada
e insensível
Quando a pessoa não consegue, por si mesma, encontrar o equilíbrio emocional, aconselha-se que procure terapias alternativas como massagem oriental, psicologia, dança bioenergética, acupuntura, shiatsu, moxabustão, tratamento com ventosas, reiki, musicoterapia, cromoterapia, aromaterapia etc. Deficiência de energia aqui significa não deixar a energia fluir. Obesidade e gordura localizada são resultado de energia não utilizada, ou energia que não flui. A preguiça nada mais é do que deficiência de energia, gerada por pensamentos indecisos, medrosos e controladores.

As técnicas orientais de tratamento pelo do-in (automassagem cujo nome significa "caminho de casa"), o shiatsu (massagem aplicada por terapeuta) e a acupuntura (tratamento com agulhas), além de detectarem as doenças bem antes de estas se manifestarem no corpo, também promovem a cura das já existentes.

Os especialistas nesses tratamentos utilizam métodos milenares para diagnosticar os desequilíbrios da energia vital do paciente, através do toque nos meridianos ou sentindo o calor da pele. Outro processo se dá pelo posicionamento da mão do terapeuta vinte centímetros acima da coluna vertebral do paciente, deslizando lentamente da cabeça ao cóccix sem tocar o corpo, ou apenas tocando seus pulsos. Essas técnicas profiláticas foram desenvolvidas pelos chineses há mais de cinco mil anos e têm como seu fundador o lendário imperador HuangTi, considerado o pai da acupuntura.

Muitas pessoas buscam curar-se através desses métodos.
Outras hesitam em fazê-lo, por medo ou descrença, mas o importante é saber que qualquer tratamento, seja pela medicina ocidental, seja pela medicina oriental, só servirá quando a pessoa tiver consciência de seu
poder e usar a mente para interagir com os tratamentos até assumir o comando pela sua saúde e não necessitar mais usar técnicas auxiliares.

Devemos evoluir através da mudança comportamental, procurando manter uma vida mais limpa no âmbito emocional. Toda ajuda é bem vinda quando se deseja crescer espiritualmente, e evoluir é desapegar-se para sentir o verdadeiro amor por tudo e por todos.

Enquanto as pessoas persistirem no erro de pensar sobre assuntos ruins, tristes e arrogantes, estarão sempre gerando doenças e infortúnios em suas vidas, perdendo precioso tempo buscando, inutilmente, soluções para seus problemas. 

O significado da palavra Ki

Em japonês a palavra inochi significa vida, iku ou ikuru quer dizer viver e iki significa sopro de vida, respiração, segundo nos ensina Masaharu Taniguchi, no livro A verdade da vida, da seicho-no-ie.

O som i é emitido pela oclusão dos dentes superiores - que simbolizam o céu - e inferiores - que simbolizam a terra. Representam, então, a palavra da verdade, que soa ao se juntarem o céu e a terra. O som de i representa inochi (vida) de todas as criaturas. Representa o sopro da vida do ser humano. Fogo, em japonês é hi ou ka. Juntando o som de k e o som de i, que representa a união do céu e da terra, temos ki, sopro da vida. E a partir do sopro da vida presente no céu e na terra, surgem todas as criaturas.

O som de i representa a verdade de que todos os seres do Universo são, originariamente, um, e 1 em algarismo romano é I.

O amor é o aspecto em que o eu e o outro constitui uma unidade inseparável. Portanto, pessoas dominadoras, controladoras e ciumentas não compreendem que o ser humano é uma unidade e que não há necessidade de possuí-lo. O fato de os aspectos externos serem diferentes é que provoca a ilusão da divisão, que por sua vez causa o apego e a dor. No vimalakirti sutra consta: "Se amais alguém considerando-o um ser que existe no mundo objetivo, separado de vós, deveis eliminar logo essa ilusão.”

Quanto mais trabalharmos em nós o amor desapegado, tanto mais conseguiremos nos libertar das pessoas e dos acontecimentos, tornando o nosso coração livre das cobranças alheias e, também, de nossas próprias cobranças. O desapego emagrece o corpo, pois gera no indivíduo a liberdade e a autoconfiança para tocar sua vida sem sentimentos de posse ou de culpa. Isso o leva a ser mais ativo e alegre, acelerando o fluxo sangüíneo e fazendo com que o excesso de energia acumulada em forma de gordura seja dissolvida. A energia não deve ser estocada, não precisamos de tanta reserva para viver. Deixe portanto as energias fluírem pelo seu corpo através de pensamentos e atitudes livres e amorosas. De acordo com o pensamento do oriental e sua lógica da correlação, quanto mais pensamentos e atitudes alegres e livres a pessoa mantiver em sua mente, tanto mais o corpo responderá com a mesma atitude, desfazendo-se de gordurinhas indesejáveis e gerando saúde, porque a energia vital estará percorrendo livremente todo o organismo, reequilibrando o sistema corporal. Desapego significa perdoar. O perdão desperta na pessoa desejos de mudança, levando-a a fazer algo por si mesma. Nesse ímpeto ela se sente atraída por atividades físicas, pela vida social e por novos objetivos, abandona seu casulo e passa a conhecer, verdadeiramente, a vida lá fora, consciente do tempo que perdeu escondida em si mesma vivendo a vida de alguém que não era ela. Deixe as pessoas viverem suas próprias lições. Liberte-as! Liberte-se, perdoe a tudo e vá à luta!

Fonte: Linguagem do Corpo 2 - Beleza e Saúde 
Por: Cristina Cairo

POR QUE FICAMOS DOENTES?


Todos nós somos seres animados, temos magnetismo, alma, carisma. Essa força que nos anima é um sopro de vida, uma energia primordial que habita nossos corpos, nos confere vitalidade, movimento, força, ação.

Essa energia já foi ao longo da história e de acordo com os diferentes povos, denominada de vários nomes. Para facilitar, aqui, vamos chamar apenas de força de vida.

Podemos chamar assim porque esse sopro de vida é a força da existência que nos ilumina, nos ativa e faz com que todos os nosso movimentos, sistemas e possibilidades aconteçam.

Um equipamento elétrico só funciona se ligado na tomada. Um ser vivo, só pode assim ser considerado se estiver recebendo essa força de vida. Nós seres humanos estamos sempre procurando formas de definir Deus, pois bem, essa é mais uma definição: Deus é a força que nos dá vida.

Captamos esse fluxo a todo instante, abundantemente. Você não precisa acionar um botão ou abrir uma torneira para que essa energia lhe abasteça, basta você existir que ela fluirá.

É um tipo de energia sutil, invisível, emanada pelo universo em freqüências muito elevadas. Quando essa força se aproxima da Terra e mais precisamente dos homens, ela se torna um pouco mais densa a fim de encontrar maior compatibilidade com nossas frequências. Poderíamos dizer que essa força se ajusta na sintonia perfeita para alimentar de vida nossos corpos e mentes.

O espírito é quem recebe diretamente essa força de vida. Ele consegue absorver constantemente esse fluxo. Todo espírito possui uma aura, assim como toda lâmpada acesa oferece uma luminosidade que abrange determinada área.

Essa aura é responsável por alimentar o corpo físico, mental e emocional com vitalidade, formando um verdadeiro campo de força, sempre abastecido por essa energia primordial. Esse fluído da vida dança livremente por nosso campo energético, abastece os chácras e os nadis, e por conseqüência energiza todas as funções orgânicas do corpo físico. Dessa forma a vida acontece, organiza e mantém a fisiologia de nossos corpos.

Fazendo uma analogia, vamos imaginar que o corpo físico de uma pessoa é um motor e a força vital é o seu combustível. Todo motor necessita do combustível ideal baseado na sua especificação. A exemplo: um motor a álcool não pode usar óleo diesel, por que se assim for, vários problemas surgiram decorrentes da não compatibilidade desse combustível com a mecânica do motor, não é mesmo?.

O motor a álcool foi projetado para usar álcool, logo esse será sua fonte de energia, de movimento, de trabalho. Essa especificação deve ser respeitada.

E quanto a nós seres vivos? Que tipo de combustível nos alimenta, nos dá força e movimento?

É exatamente essa força de vida a qual estamos falando. Uma energia não física, abundante em nossa atmosfera planetária. Contudo, existem vários agentes capazes de modificar demasiadamente o padrão dessa força. Os principais são: nossos pensamentos e sentimentos! Sim, nossos pensamentos e sentimentos! Eles tem a capacidade de qualificar ou desqualificar esse fluído, e o mal maior da humanidade é que nossos equívocos conscienciais, nossas emoções densas, desejos primitivos e materialismo tem moldado em nós mesmos um campo de energia que retém a passagem desse fluxo. Em outras palavras, nossas emoções e pensamentos confusos estão barrando a absorção da força de vida, essencial aos nossos corpos.

Por que ficamos doentes?

Porque essencialmente geramos pensamentos e emoções que densificam a nossa aura corpórea, impedindo que a energia vital nos abasteça. E somos nós que causamos a doença, somos sempre os criadores. Somos nós que modificamos os nosso combustível!
E o motivo pelo qual a dor e doença são sinais que avisam conduta mental emocional desequilibrada é pelo simples fato que os sentimentos e emoções densas são os bloqueadores dessa força de vida. Se estamos ficando doentes é porque bloqueamos energia vital, logo estamos pensando e sentindo vibrações densas.

A lição que uma doença traz é sempre a mesma, os recados são sempre iguais: mude os pensamentos, mude as emoções!

Da mesma forma que os pensamentos e emoções desqualificados formam energias corpóreas densas que travam a passagem da força de vida através de nossos corpos, os pensamentos e emoções elevados tem a capacidade de limpar e sutilizar essas energias, proporcionando livre trânsito da força de vida através de nós.

Daí a importância da oração, da meditação, do equilíbrio emocional, do controle mental. Tudo que pudermos fazer, de forma natural, para encontrar esse equilíbrio, será benéfico curativo e reparador a nossa existência.

Toda força densa, pesada, confusa gerada por nossas condutas, será nociva tanto paro o corpo quanto para alma. Nosso maior desafio nessa vida é esse controle, esse equilíbrio. Mais uma comprovação que a verdadeira evolução espiritual acontece quando aprendemos a equilibrar nossos pensamentos e emoções. Também a constatação que evolução espiritual faz bem a saúde, pois quando nos elevamos, nossos corpos ficam mais saudáveis.

E essa talvez seja uma das explicações mais razoáveis que mostram que a dor e a doença ainda são tão importantes para a evolução humana, porque é o sofrimento que tem levado o homem a refletir sobre seus valores e seus papéis.

No nosso corpo, essa comunicação que ocorre para nosso consciente através da dor é codificado de acordo com o tipo de doença ou sintoma. De forma geral, toda dor ou doença mostra necessidade de mudança, no entanto, a localização, o tipo de doença tem uma linguagem precisa, muitas vezes direta. Hoje em dia, existem inúmeras literaturas que apresentam estudos aprofundados a respeito da linguagem do corpo e sua comunicação direta, que relaciona o tipo de aprendizado ao tipo de doença e localização específica. Por exemplo: se a dor é no dedo médio direito há um ensinamento específico, se é no ouvido esquerdo também há, e assim por diante.

Podemos concluir que qualquer atividade ou ação realizada no sentido de mudar o sentimento ou emoção que a mensagem intrínseca a doença traz, surtirá efeito de cura e bem estar. Essa visão mostra a importância de cultivarmos um estilo de vida voltado para o equilíbrio e a paz interior. Vai além quando demonstra claramente a importância da abordagem holística para tratamento de doenças em geral, e que, principalmente o corpo é apenas o sinalizador que manifesta que algo vai errado. Logo a cura deve ultrapassar a barreira do físico, chegando ao não físico.

Os remédios e as cirurgias da medicina ocidental são realmente importantes e salvam vidas, mas não tem a capacidade de tocar na alma, onde reside a cura profunda, completa. Precisamos de uma vez por todas compreender que o ser humano avançará muito no que tange a sua qualidade de vida, quando aprender a unir medicinas, jamais provocar movimentos que criem competição entre elas, porque são igualmente importantes. Acima de tudo, o homem jamais poderá ser negligente com a sua própria existência, acreditando ilusoriamente, que uma dor, doença ou acontecimento negativo em sua vida seja mera obra do acaso. Enquanto necessitarmos da pedagogia da dor e do sofrimento para nosso aprendizado, precisaremos ficar de olhos bem abertos para qualquer tipo de ocorrência em nossas vidas. Dessa forma nos tornaremos bons alunos e aumentaremos muito as nossas chances de ter saúde integral, em todos os aspectos, físico, mental, emocional e espiritual.


COMO MANTER A ENERGIA EM ALTA?


Como aprendemos nas aulas de química, quando dois átomos se aproximam, aquele que tem mais elétrons na última camada, doa elétrons ao que tem menos, até que eles tenham então, a mesma quantidade. Assim eles entram em equilíbrio e se forma uma molécula. Nós somos um amontoados de átomos, e sendo assim, a eletricidade em nosso corpo obedece a este mesmo princípio. Se olharmos isso como uma referência numa dimensão um pouco maior, imagine que cada pessoa é um átomo. Quando uma pessoa se aproxima de outra, aquela das duas que tiver mais energia, automaticamente irá doar energia para a que tem menos, assim, como acontece com os átomos isoladamente. Este é o princípio da transferência de energia! A energia flui do objeto de maior gradiente para o de menor gradiente. Isso se aplica não só entre pessoas, mas também entre objetos e ambientes. Sendo assim, quando estamos num ambiente que está com "falta de energia" doamos energia para ele. Por isso às vezes vamos a um lugar ou conversamos com uma pessoa e saímos cansados, desvitalizados... Nesta situação nós doamos energia para quem tem menos, e sentimos que faltou para nós. Mas, será que isso é correto? Ficar sem energia sempre que encontramos alguém com baixa vitalidade, será que isso é justo conosco? Olhando por este aspecto parece realmente algo injusto e que nos coloca constantemente numa posição defensiva. Mas, se olhamos por outro lado veremos que tudo tem uma função na natureza. Se a pessoa que doa energia conseguir repor a vitalidade constantemente, então, nunca lhe faltará energia, nem ficará cansada, nem doente. Aí então, as coisas "negativas" não mais lhe farão mal. É aí que está o segredo! Como estamos sempre doando e recebendo energia e não sabemos em que beco encontraremos alguém faminto pela nossa vitalidade, é preciso saber repor, encontrar a fonte de energia vital pra que esta não nos falte. E como fazemos isso então? Esta reposição pode ser através de coisas simples como:

1. Cultivar sempre bons pensamentos e sentimentos. Isso repele os que estão vibrando de forma semelhante e mantém o nível de energia vital elevado. Assim, se você doar um pouco para alguém, estará contribuindo para o bem estar de outrem sem se prejudicar.
2. Manter contato com a Terra, com a natureza.  Pisar desçalço na terra ou na grama faz o "fio terra" acontecer. Assim, o excesso de eletricidade estática, que faz mal para nosso organismo desce para a Terra e também recebemos energia Telúrica (energia que vem da Terra);
3. Estar Feliz! Isso aumenta o nível de vitalidade em nosso corpo e reflete em todas as áreas: físico, mental, emocional e espiritual! Fazer coisas que te deixam feliz lhe ajuda a manter sua Vitalidade;
4. Descansar. E isso não é necessariamente dormir, pois, muita gente acorda se sentindo mais cansado do que estava antes de deitar. Descansar é principalmente dar um tempo! Dar uma parada, meditar um pouco, ou apenas contemplar a natureza, uma planta, uma árvore, um animal, o céu ou o arco-íris. Isso ajuda a relaxar o corpo e a mente e então, repomos nosso nível de energia vital!
5. Usar a criatividade. Fazer trabalhos artísticos ou criar alguma coisa, cuidar de um animal, de uma planta. Fazer trabalhos manuais faz com o que nosso lado lógico e racional também descanse, reduzindo o stress, fortalecendo os chakras inferiores e melhorando a energia de uma forma geral.
6. Fazer atividade física. Dentro de seus limites e preferências pessoais, a atividade física, renova a energia vital no organismo, traz movimento e ajuda a colocar pra fora aquilo que não nos serve mais. Ela traz portanto, muito mais do que apenas um corpo são...
7. Boa alimentação. Alimentar-se bem não é comer muito... É comer o que é necessário, e o que faz bem. Pessoas que comem carne vermelha em excesso, por exemplo, têm uma energia vital mais baixa e portanto, roubam constantemente energia de outras pessoas pra se manterem vivas! A carne é um alimento desprovido de qualquer energia vital, ela apenas consome energia de quem a ingere. Outros alimentos com muita química e toxinas também baixam a nossa energia. Mas é importante lembrar que alimentação não é apenas sólida: ela também é líquida e gasosa! Precisamos beber muito líquido com qualidade e preferencialmente, com energia vital! Precisamos também saber respirar conscientemente!
A maior parte da energia vital que temos em nosso corpo vem através da respiração. Por isso, respirar bem, fazer algumas inspirações profundas diariamente, aumenta o nível de energia vital no organismo! É simples, barato e todos têm acesso. Muitas pessoas, durante alguma atividade, devido à tensão, suspendem momentaneamente a respiração e isso bloqueia a energia vital e a pessoa então, se sente cansada mais uma vez. Passe a observar mais sua respiração em diversos momentos do dia.

Intercalar estas atitudes simples dentro de sua rotina irá garantir uma vitalidade maior para enfrentar os desafios da vida. Quem quer trabalhar com a harmonização de pessoas e ambientes, deve saber destes princípios e praticá-los a fim de realmente poder ajudar outras pessoas mantendo-se bem por dentro e por fora! Assim, qualquer recurso adicional que seja utilizado, terá seu resultado amplificado. Então, um bom trabalho e muita Energia para você!

Por: Roberta Dias - robertaholistica@hotmail.com 

ALIMENTO E ENERGIA VITAL

Em todos os seres vivos existe uma energia circulante chamada Energia Vital, que é aquela energia que mantém em admirável atividade harmônica as células, órgãos e sistemas do organismo vivo. Para que tal ocorra da maneira mais perfeita possível, é importante que se cumpram certas leis biológicas que regem o funcionamento normal deste organismo, evitando assim, excessos ou negligências que podem ser prejudiciais ao ser humano como um todo.
É esta força que, em determinadas circunstâncias e quando necessário, desencadeará o processo da vis medicatrix naturae, ou seja, do reequilíbrio e da auto-cura.

Alimento e saúde

A saúde é uma condição normal dos seres vivos. É um estado de equilíbrio fisiológico em que todos os órgãos trabalham harmonicamente, executando com perfeição as funções a que foram destinados. Desta forma, a alimentação é fundamental para que as funções orgânicas se desenvolvam normalmente, sendo natural, portanto, que o organismo se ressinta quando esta dieta ao invés de mantê-lo em harmonia, represente uma agressão.
Nossas células estão preparadas para metabolizar o que é natural, entretanto, se tiverem que processar o artificial, gerará um custo, que deverá representar um decréscimo na qualidade de vida e longevidade, e um aumento na predisposição às enfermidades.

Dieta balanceada

Claro que nada há de mau em se comer doces, ou mesmo alimentos industrializados de vez em quando, mas há que se ingerir também outros tipos de alimentos. A quantidade exata de cada um constitui o que chamamos de uma DIETA BALANCEADA. Precisamos de alimentos de muitas espécies, cada um com uma detarminada função, seja para promover o crescimento, seja para promover o rejuvenescimento ou para nos manter sadios.
Assim, podemos perceber que é muito difícil ditar uma dieta alimentar única, pois, esta deve se adequar a cada indivíduo, respeitando suas características próprias.

Alimentação da criança

Comecemos pelas crianças, para que sejam adultos saudáveis é necessário que tenham na infância uma alimentação adequada.
É triste perceber que o gosto do suco de laranja é igual e da mesma cor a de um refrigerante. O que está acontecendo? Uma inversão total dos valores, que muitas vezes leva a crer que a cor laranja é igual ao gosto da fruta desta cor. As crianças, devido a inúmeros motivos, estão cada vez mais se distanciando da natureza. O ideal é, mesmo dentro de uma sociedade de consumo, estimular e educar as crianças de forma a desenvolverem hábitos mais salutares, ensinando-os a alimentar-se com frutas e alimentos caseiros em vez de refrigerantes e enlatados.

Alimentos com vitalidade

A nossa energia vital é sustentada e suprida com vitalidade também, e esta vitalidade está em tudo o que é vivo, ficando claro que neste aspecto, os alimentos mais adequados serão as verduras, legumes, raízes e frutas, e os cereais também, pois são verdadeiros repositórios de energia concentrada - lembremos que todo o potencial energético de uma árvore se concentra em sua semente. Enquanto que os alimentos refinados/industrializados, como o açucar, sal, farinha, arroz, leite em pó acabam perdendo praticamente todas as suas propriedades vitais. Concluindo, ao pensarmos em uma vida melhor, deveremos preferir os cereais integrais, sal marinho, mel, leite in natura, etc.
Devemos também nos lembrar dos alimentos crus que além de estimular a mastigação, que já é o início da digestão, nos oferece quase toda água que necessitamos num dia de atividades normais e as fibras necessárias para um bom funcionamento intestinal.

Sobre a procedência dos alimentos
E a carne, indispensável para uns e abominável para outros. 
Ela chega à mesa somente após ser morto seu dono, portanto sem vitalidade, tendo passado inclusive por processos de congelamento e depois aquecimento, sem falar no que se passou com o animal durante sua criação e crescimento: confinamento, alimentação de engorda, antibióticos, vacinas, hormônios e muito mais. É importante também saber a procedência dos alimentos e saber variá-los e, eventualmente, substituí-los.

Dieta ideal

Mas quão difícil é comer corretamente, ainda mais, com tantas opções oferecidas. O importante é tentar fazer o melhor possível. Não medir esforços para encontrar verduras e frutas sem agrotóxicos, preparar o alimento em casa e, fundamentalmente, com amor. A natureza esteve sempre a nosso favor e nos oferece de tudo sem a necessidade de acidulantes ou corantes. A dieta ideal deve ser aquela onde existe uma preocupação com a qualidade, no bom senso com relação ao que vai se comer, e também com relação à quantidade ingerida.

Fonte: Similia - Página de Homeopatia
NÍVEL PSICOLÓGICO, MENTAL, EMOCIONAL E FÍSICO

Somos dotados de um espírito que unido a um corpo físico, vivemos na Terra, apresentando uma carga fluídica Vital de acordo com o tempo previsto para cada ser aprender e evoluir neste planeta. O fluído é, pois a própria vida, é o movimento, a energia para enfrentar os desafios existentes nesta vida.
A produção de Energia através da respiração e a descarga de Energia no movimento são as funções básicas da vida. 
A quantidade de Energia que uma pessoa tem e como a usa determinam o modo como responde às situações da vida.
Como promover esse fluxo de Energia também é uma forma de terapia que combina o trabalho do corpo com a mente para ajudar as pessoas a resolverem os seus problemas emocionais e perceberem seu potencial para o prazer e para a alegria.
            O corpo e a mente são idênticos. O que ocorre na mente reflete o que está ocorrendo no corpo e vice-verso, influenciando-se mutuamente:
Pensar ←→ Sentir→← Agir

Tudo o que existe no universo físico surgiu primeiro na mente. Pensamento é energia e energia segue pensamento. Se não estamos gostando do nosso universo físico, analise o que tem pensado, vivido, quais as crenças que estão atuando. Mude as crenças, renovando valores, e novas manifestações surgirão na sua vida.

Em nível consciente conseguimos verificar este fluxo, mas em nível mais profundo, inconsciente, o pensar e o sentir são condicionados por Energia. É quase impossível uma pessoa com depressão sair da depressão somente com pensamento positivo, pois seu nível de Energia está baixo.
Quando o seu nível de Energia for aumentado através da respiração profunda, a pessoa sairá do seu estado de depressão, pois sua respiração que estava reduzida junto com todas as suas funções vitais, sensações e sentimentos foram liberados, desbloqueados e energizados.

A rigidez acontece no corpo devido a conflitos emocionais não resolvidos e a mente por intermédio da emoção interfere no corpo provocando a doença.
As doenças psicossomáticas advém de uma Energia em desequilíbrio (atitudes incorretas, metas não concluídas, emoções frustradas, crenças desgastadas, auto percepções que levam a reagir a determinadas circunstâncias sempre da mesma maneira instalando-se a doença psicossomática, repetindo-se o sintoma.

Muitos são os métodos  de cura utilizados para aliviar e/ou curar certas doenças entre eles a Meditação que é uma forma eficaz para equilibrar, relaxar e posicionar o corpo em harmonia. 
A Meditação usa um método simples de concentração. Pode-se usar uma palavra ou frase um   mantra procurando criar um estado de paz interior. Todo praticante escolhe uma palavra significativa para ele   como: a luz do céu , luz da vida,    paz na Terra, natureza, realização, equilíbrio, relaxamento , prosperidade, etc.
A pessoa senta-se de olhos fechados e repete mentalmente seu mantra por cerca de 15 minutos. A concentração fixa no mantra permite ao praticante que se “liberte” do redemoinho de pensamentos, receios, desejos que surgem quando a mente tenta serenar. Se os pensamentos persistirem a pessoa deve novamente retomar o mantra. O mantra predomina e afasta as interferências do dia.   Os adeptos repetem esse mantra várias vezes ao dia e conquistam a serenidade que lhes serve de apoio.

Essa técnica de relaxamento depende de 4 fatores: ambiente tranqüilo, posição confortável, atitude passiva e programação mental.

A pessoa deve escolher um lugar calmo e relaxar (ambiente e posição) concentrar-se numa palavra ou frase (programação mental) e deixar os pensamentos fluírem através da mente (atitude passiva).
Essa é uma maneira de mudança de pensamento que muda a vida. Se nós não mudarmos  as coisas à nossa volta nada mudam, pois somos movidos pelas nossas crenças adquiridas desde crianças onde os juízos de valores impostos pela sociedade, família, associações, instituições, grupos religiosos e carregamos estas normas pela vida afora interferindo em nossas atitudes, sem serem revistas, atualizadas ou desprezadas e substituídas, causando prejuízos em nossa Auto Estima e Sucesso.  

As crenças contaminam o Adulto e ele não consegue ver a realidade. Bloqueia as emoções e as transforma em disfarces como: ansiedade, angústia, ódio, ira, orgulho, desprezo, ciúmes, etc.

Outro fator para mudanças em nossa vida e nossa Energia é a forma como nos sentimos  acerca de nós mesmos, afetando a maneira de agirmos no trabalho, no amor, no sexo, com os pais e até onde iremos à vida (vencedores ou perdedores).
A auto-estima é o sentimento do valor pessoal. Ter Auto-Confiança é sentir-se merecedor de alguma coisa.  Ter auto-estima baixa é sentir-se errado sobre si mesmo como pessoa.   

Desenvolver a Auto-Estima é ter a convicção de que somos capazes de viver merecedores da felicidade, ser otimista.

Auto Estima é o que eu sinto sobre mim mesmo e não o que o outro pensa ou sente sobre mim. Conforto material não é auto-estima, mas sim um estado de consciência gerado por mim mesmo. É onde entra o processo energético. A mágoa, a raiva, a revolta, o ressentimento criam obstáculos na mente e no físico reforçando a baixa estima.
Para mudar esse estado emocional é necessário colocar novos comportamentos, nova programação. Estar disposto a mudar, estar insatisfeito com a maneira antiga é um ponto muito importante do processo. A disciplina, o treino, a persistência é fundamental para a mudança.
Nossa concepção de “SER” não se forma em um instante - tem uma história – desenvolve-se com o tempo. Para avaliar nossa auto-estima é preciso voltar ao passado, abraçar e perdoar a nós mesmos, unir ao nosso EU CRIANÇA e ao nosso EU ADOLESCENTE.

Muitas vezes os nossos medos acabam se concretizando pelos mesmos motivos que tornariam reais os nossos sonhos: devido à carga elevada de energia e ao tempo que destinamos a eles. Cuidado com a força que você dá aos seus sonhos e seus medos, eles podem se realizar!
Para realizar as mudanças em nossa vida é necessária uma seqüência de atitudes a considerar: Desejar, querer, planejar, agir e ter.
É necessário que o desejo se transforme em querer, pois querer implica em assumir riscos que podem ser calculados. O planejamento é o elo entre a construção subjetiva e a objetiva. Planejar é criar ações e agir. Agir é lançar a nossa melhor energia para a realização do próximo passo em direção à mudança.
Quero mudar de profissão? Quero sentir paz interior? Quero ter saúde? Comece algo em relação a essas mudanças. Seu futuro agradece!

Permita-se a ter, sentir-se grato pelo que já chegou e merecedor pelo que chegará! A sensação de merecimento está fortemente ligada à auto-estima.
Gratidão é a mãe de todos os outros sentimentos. Existe uma escassez de gratidão no mundo, que gera desarmonia e infelicidade no nosso viver. Gratidão gera Prosperidade!
“É bom demais para ser verdade”, “Se melhorar estraga”, Está ótimo, não vou melhor senão causo inveja”, Se eu rir hoje, amanhã eu vou chorar”, etc. Todas são expressões que diminuem as possibilidades de crescimento e satisfação.
Sofrimento e felicidade são contagiosos. Expandem-se em sintonia com o outro

Toda crença, uma vez estabelecida, procura perpetuar-se, mas toda nova informação, quando penetra na sua mente, tende a substituir a informação antiga relacionada com o mesmo assunto. O indivíduo caiu da bicicleta e ficou com medo, esta cena vai ser gravada pelo cérebro. Caiu-se da bicicleta, levantou-se, andou novamente, o que vai gravar e perdurar é a capacidade de andar de bicicleta.

Visualização é um recurso fundamental para a instalação de experiências no sistema nervoso, pois o cérebro não se importa em saber se aquilo realmente aconteceu ou é imaginário, pois a visualização fica implantada no cérebro e pode tornar-se realidade.

EXERCÍCIOS PARA REFORÇAR A ENERGIA E A AUTO-ESTIMA:

-  Aprove-se sempre;
-  Olhe-se no espelho: Valorize-se;
-   Expresse GRATIDÃO;
-   Escreva afirmações: Eu me amo, portanto...
-   Medite e Ore;
-   Faça afirmações em voz alta;
-   Visualizações - Imagens criativas e curativas;
-   Pedidos ao Inconsciente, através dos Sonhos;
-   Massagens, toques;
-   Passes Energéticos e espirituais;
-  Ao deitar faça revisão do seu dia, procurando melhorias para o amanhecer.

... e MEREÇA SER FELIZ!



Autora: Célia Simioni

ATITUDES QUE DRENAM NOSSAS 

ENERGIAS


Imagem relacionada


1. Pensamentos obsessivos:


Pensar gasta energia, todos nós sabemos disso. Ficar remoendo um problema cansa mais do que um dia inteiro de trabalho físico. Quem não tem domínio sobre seus pensamentos - mal comum ao homem ocidental - torna-se escravo da mente e acaba gastando a energia que poderia ser convertida em atitudes concretas, além de alimentar ainda mais os conflitos. Não basta estar atento ao volume de pensamentos, é preciso prestar atenção à qualidade deles. Pensamentos positivos, éticos e elevados podem recarregar as energias, enquanto o pessimismo consome energia e atrai mais negatividade para nossas vidas. Antídotos: mantras, afirmações positivas, meditação.

2. Sentimentos tóxicos:

Choques emocionais e raiva intensa também esgotam as energias, assim como ressentimentos e mágoas nutridos durante anos seguidos. Não é à toa que muitas pessoas ficam estagnadas e não são prósperas. Isso acontece quando a energia que alimenta o prazer, o sucesso e a felicidade é gasta na manutenção de sentimentos negativos. Medo e culpa também gastam energia e a ansiedade descompassa a vida. Por outro lado, os sentimentos positivos, como a amizade, o amor, a confiança, o desprendimento, a solidariedade, a autoestima, a alegria e o bom-humor recarregam as energias, dão força para empreender nossos projetos e superar os obstáculos.

3. Maus hábitos, falta de cuidado com o corpo:

Descanso, boa alimentação, hábitos saudáveis, exercícios físicos e o lazer são sempre colocados em segundo plano. A rotina corrida e a competitividade fazem com que haja negligência em relação a aspectos básicos para a manutenção da saúde energética.

4. Fugir do presente:

As energias são colocadas onde a atenção é focada. O homem tem a tendência de achar que no passado as coisas eram mais fáceis: “bons tempos aqueles!”, costumam dizer. Tanto os saudosistas, que se apegam às lembranças do passado, quanto aqueles que não conseguem esquecer os traumas, colocam suas energias no passado. Por outro lado, os sonhadores ou as pessoas que vivem esperando pelo futuro, depositando nele sua felicidade e realização, deixam pouca ou nenhuma energia no presente. E é apenas no presente que podemos construir nossas vidas.

5. Falta de perdão:

Perdoar significa soltar ressentimentos, mágoas e culpas. Libertar o que aconteceu e olhar para frente. Quanto mais perdoamos, menos bagagem interior carregamos, gastando menos energia ao alimentar as feridas do passado. Mais do que uma regra religiosa, o perdão é uma atitude inteligente daquele que busca viver bem e quer seus caminhos livres, abertos para a felicidade. Quem não sabe perdoar os outros e si mesmo, fica ”energeticamente obeso”, carregando fardos passados.

6. Mentira pessoal:

Todos mentem ao longo da vida, mas para sustentar as mentiras muita energia é gasta. Somos educados para desempenhar papéis e não para sermos nós mesmos: a mocinha boazinha, o machão, a vítima, a mãe extremosa, o corajoso, o pai enérgico, o mártir e o intelectual. Quando somos nós mesmos, a vida flui e tudo acontece com pouquíssimo esforço.

7. Viver a vida do outro:

Ninguém vive só e, por meio dos relacionamentos interpessoais, evoluímos e nos realizamos, mas é preciso ter noção de limites e saber amadurecer também nossa individualidade. Esse equilíbrio nos resguarda energeticamente e nos recarrega. Quem cuida da vida do outro, sofrendo seus problemas e interferindo mais do que é recomendável, acaba não tendo energia para construir sua própria vida. O único prêmio, nesse caso, é a frustração.

8. Bagunça e projetos inacabados:

A bagunça afeta muito as pessoas, causando confusão mental e emocional. Um truque legal quando a vida anda confusa é arrumar a casa, os armários, gavetas, a bolsa e os documentos, além de fazer uma faxina no que está sujo. Na medida em que ordenamos e limpamos os objetos, também colocamos em ordem nossa mente e coração. Pode não resolver o problema, mas dá alívio. Não terminar as tarefas é outro “escape” de energia. Todas as vezes que você vê, por exemplo, aquele trabalho que não concluiu, ele lhe “diz” inconscientemente: “você não me terminou! Você não me terminou!” Isso gasta uma energia tremenda. Ou você a termina ou assume que não vai concluir o trabalho. O importante é tomar uma atitude. O desenvolvimento do autoconhecimento, da disciplina e da terminação fará com que você não invista em projetos que não serão concluídos e que apenas consumirão seu tempo e energia.

9. Afastamento da natureza:

A natureza, nossa maior fonte de alimento energético, também nos limpa das energias estáticas e desarmoniosas. O homem moderno, que habita e trabalha em locais muitas vezes doentios e desequilibrados, vê-se privado dessa fonte maravilhosa de energia. A competitividade, o individualismo e o estresse das grandes cidades agravam esse quadro e favorecem o vampirismo energético, onde todos sugam e são sugados em suas energias vitais.

10. Preguiça, negligência:

Falta de objetivos na vida. Esse ítem não requer muitas explicações: negligência com a sua vida denota também negligência com seus dons e potenciais e, principalmente, com sua energia vital. Aquilo do que você não cuida, alguém vem e leva embora. O resultado: mais preguiça, moleza, sono….

11. Fanatismo:

Passa um ventinho: “Ai meu Deus!!!! Tem energia ruim aqui!!!” Alguém olha para você: “Oh! Céus, ela está morrendo de inveja de mim!!!” Enfim, tudo é espírito ruim, tudo é energia do mal, tudo é coisa do outro mundo. Essas pessoas fanáticas e sugestionáveis também adoram seguir “mestres e gurus” e depositar neles a responsabilidade por seu destino e felicidade. É fácil, fácil manipular gente assim e não só em termos de energia, mas também em relação à conta bancária!

12. Falta de aceitação:

Pessoas revoltadas com a vida e consigo mesmas, que não aceitam suas vidas como elas são, que rejeitam e fazem pouco caso daquilo que têm. Esses indivíduos vivem em constante conflito e fora do seu eixo. E, por não valorizarem e não tomarem posse dos seus tesouros – porque todos nós temos dádivas – são facilmente ‘roubáveis’.
O importante é aprender a aceitar e agradecer tudo o que temos (não confundir com acomodação). Quando você agradece e aceita fica em estado vibracional tão positivo que a intuição e a criatividade são despertadas. Surgem, então, as possibilidades de transformar a vida para melhor! 

Fonte: http://marcelodalla.blogspot.com/
ALGUMAS DICAS PARA MANTER A VITALIDADE EM ALTA E TER MAIS PIQUE PARA ENCARAR A CORRERIA DO DIA A DIA 

Pular da cama, abrir a janela sorrindo e realizar as tarefas do dia com disposição e entusiasmo - quantas vezes nos vemos distantes desse ideal de vitalidade ou, pelo menos, tentando alcançá-lo. Calma. Ficará mais fácil turbinar as reservas de energia se compreendermos - e respeitarmos - o sutil equilíbrio das forças envolvidas nessa equação.
"Na medicina tradicional chinesa, vitalidade é sinônimo de Qi (lê-se "tchi"), que quer dizer energia da vida ou sopro vital, presente na natureza como um todo", afirma Márcio de Luna, presidente da Associação Brasileira de Acupuntura, do Rio de Janeiro, e professor do Instituto Brasileiro de Medicina Tradicional Chinesa (IBMTC). Segundo essa tradição, nós nascemos com uma cota predeterminada de Qi, armazenada nos rins. "É por isso que os chineses procuram preservar a saúde desse órgão e cultivar bons hábitos no cotidiano", diz o acupunturista. A sabedoria desse povo desemboca no comedimento. Assim, eles pensam: se o montante de energia inata for gasto precocemente, a vitalidade despencará e as enfermidades não tardarão a se instalar.
Nas bandas ocidentais, não é muito diferente. "A medicina convencional entende a vitalidade como resultado da interação de aspectos físicos e psíquicos", diz João César Castro Soares, endocrinologista, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), e autor de Dieta Dissociada - Emagrecer com Saúde Comendo de Tudo (MG Editores). "Os estados psicológico e mental, os níveis de estresse diário, o ambiente domiciliar, a forma com que aproveitamos os períodos vagos da rotina, bem como a alimentação e o consumo de água são fatores que influenciam diretamente a vitalidade ou a falta dela", afirma a fisioterapeuta e acupunturista Arianne Nogueira, de São Paulo.
Trocando em miúdos, somos o reflexo de nossos hábitos, mas também não ficamos imunes às influências do meio em que vivemos. No âmbito fisiológico, devemos grande parte do ânimo que sentimos a atividade dos neurotransmissores, principalmente a serotonina e a endorfina. Uma vez fabricadas pelo cérebro, elas produzem a sensação de bem-estar e disposição. "Há aumento da taxa de serotonina quando ingerimos carboidratos e açúcares, e da taxa de endorfina quando praticamos exercícios físicos", diz Castro Soares.
Isso não significa que, a partir de agora, você esteja autorizado a se empanturrar de doces, chocolate, bolos e pães só para se sentir de bem com a vida. Melhor recorrer vez ou outra a esses bálsamos alimentares e deixar o trabalho pesado para as atividades físicas. Regulares, é bom que se diga. "Para gerar benefícios, a prática deve ser contínua, ou seja, pelo menos, três vezes por semana, com duração mínima de 30 minutos", ressalta o médico. Portanto, escolha uma modalidade prazerosa. Algo que a motive a ser aluna assídua e dedicada.
Há ainda dois personagens altamente envolvidos com a geração de entusiasmo. São eles: o cortisol e a adrenalina, os chamados hormônios do estresse. Em patamares normais, a dupla se encarrega do desempenho muscular e do despertar matinal. "Por isso, é recomendado se exercitar pela manhã, período em que esses hormônios preparam o organismo para o gasto energético", explica ele. Por outro lado, o excesso de malhação, em geral, motivado pelo culto ao corpo, pode levar ao esgotamento. Aí, adeus vitalidade. "Muitas pessoas não respeitam seus limites físicos e criam para si um quadro de estafa aliado a lesões musculares e articulares", alerta Castro Soares.
O desperdício de energia:
Segundo a medicina tradicional chinesa, devemos evitar os seguintes hábitos em nome de uma vida equilibrada e, consequentemente, cheia de disposição:
· Uso de drogas (incluindo cigarro e álcool) ou agentes intoxicantes, como corantes, principalmente a tartrazina, substância usada em tudo o que possui a cor amarela.
· Trocar o dia pela noite ou dormir tarde e pouco.
· Picos de preocupação, raiva, tristeza, medo, alegria e todo abuso emocional.
· Excesso de exercícios físicos e de atividade mental (os chineses recomendam técnicas de meditação para aprendermos a esvaziar a mente).
· Comer muito ou demasiado pouco.
· Exagerar num certo sabor como ácido, doce, amargo, salgado e picante (nossa sociedade abusa do doce e do sal).
· Devemos, sim, comer conforme a estação: alimentos mais calóricos e gordurosos no frio; e itens leves, frugais e frescos no calor.
Fontes borbulhantes:
Para manter constantes os níveis de energia, vale a pena investir em atividades como a ashtanga vinyasa ioga, conhecida como a vertente mais vigorosa dessa modalidade, centrada na respiração casada com sequências fixas de posturas. "A respiração profunda com base na contração das vísceras, chamada de ujjayi, aumenta a oxigenação dos órgãos internos, gerando um corpo rico em combustível", afirma Pedro Moreno, professor de ashtanga vinyasa ioga no Estúdio Anacã e na Escola de Ioga, ambas em São Paulo.
Se você já tem uma atividade física predileta, pode recorrer às agulhas a fim de reequilibrar o fluxo energético do corpo. "O estímulo dos pontos de acupuntura promove a liberação de diversas substâncias neuroquímicas, como serotonina, endorfina e dopamina, entre muitas outras, o que se traduz na recuperação da saúde e no aumento da disposição", explica Luna. Segundo ele, a sensação de bem-estar começa a ser sentida durante a sessão e se prolonga por até 72 horas. Nos casos de pacientes desvitalizadas, ele recomenda a frequência de duas vezes por semana, com intervalos de três dias entres as sessões, durante três meses.
Aquela massagem dos deuses também é providencial nos momentos de pilha fraca. Aposte na massagem revitalizante, com pedras quentes. "Ao dissolver as tensões por meio do toque combinado com a ação de óleos mornos e das pedras aquecidas, libera-se a energia represada", afirma Priscila. Sem falar que, quando estão deitadas na maca, as pessoas são induzidas a respirar profundamente, o que aumenta a oxigenação do sangue e relaxa a musculatura.
Como última cartada contra o cansaço, cogite se refugiar nos braços da natureza. Uma pesquisa conduzida pela Universidade de Rochester, nos Estados Unidos, mostrou que o simples contato com as paisagens naturais aumenta a sensação de vitalidade. Vinte minutos de interação com esses cenários foram suficientes para os pesquisadores constatarem os benefícios nos participantes do estudo. Não há brechas para desculpas. Só vai deixar a bateria arriar quem quiser.
Fonte: MdeMulher