segunda-feira, 1 de agosto de 2016

DESPERTANDO O CONHECIMENTO - Crioterapia: O que é e para que serve?

A crioterapia utiliza-se do frio para o tratamento de disfunções inflamatórias e traumáticas



Principalmente agudas, e para diminuição do edema e indução do relaxamento muscular quando o calor superficial não é eficaz. 

A crioterapia leva à vasoconstrição por aumento da atividade neurovegetativa simpática e por ação direta do frio nos vasos sanguíneos, causando relaxamento muscular e analgesia em decorrência da redução da atividade dos fusos musculares, junção neuromuscular, velocidade de condução dos nervos periféricos e redução da atividade muscular reflexa. 

Para obtenção de efeitos terapêuticos, a temperatura da pele deve cair para aproximadamente 13,8°C, para que ocorra a diminuição ideal do fluxo sanguíneo local e para 14,4°C para que ocorra analgesia. 

A redução do edema, que acompanha a aplicação da crioterapia em seguida a uma lesão aguda, pode ser atribuída a vasoconstrição imediata das arteríolas e vênulas, o que reduz a circulação até a área e, portanto, reduz o extravasamento de líquido para o espaço intersticial.

As contra indicações são: aplicação em áreas anestesiadas, em doentes com alteração do nível de consciência e da cognição, doença de Raynaud, crioglobulinemia, hemoglobinúria paroxística ao frio, insuficiência circulatória periférica e em casos de alergia ou intolerância ao frio. Nos processos artríticos ou de rigidez articular a contraindicação é relativa, pois em geral, nestes casos, o frio não é bem tolerado. 

O frio é utilizado nas fases iniciais do pós-operatório de cirurgia plástica, com a intenção de conter o edema. Pode ser realizado através da aplicação de bandagens frias ou compressas geladas entre 20 e 40 minutos por região.

Os banhos de contraste consistem na combinação do uso do calor e da crioterapia. Possuem intenso efeito vasomotor, sendo indicados quando objetiva-se efeito analgésico maior e resolução mais acentuada do edema.


A crioterapia é uma técnica que usa baixas temperaturas para tratamentos estéticos e terapêuticos na pele. Para isso, podem ser usados jatos em spray ou sondas previamente resfriadas.
O procedimento pode ser com gelo seco ou nitrogênio líquido, chegando a temperaturas de 196º C negativos. Existem também crioterapias mais leves em que são usados cremes, géis e sprays que levem cânfora ou mentol em sua composição.
Ela pode ser usada em tratamentos estéticos, tanto melhorando a tonicidade da pele e reduzindo gorduras localizadas e a celulite, quanto em tratamentos de manchas escuras e claras da pele.
A crioterapia também tem indicações terapêuticas. Em alguns casos de vitiligo, ela pode repigmentar algumas regiões do corpo, assim como ajudar no nascimento de pelos na alopecia areata. Além disso, também pode ser usado para tratar verrugas, tumores benignos da pele, alguns tipos de cânceres e lesões infecciosas localizadas.
A crioterapia estética mais simples, que envolve cremes e bandagens, pode ser feita de duas a três vezes por semana, em um total de 10 sessões. Cada sessão dura cerca de 30 minutos e é importante depois do tratamento continuar em avaliação, caso seja necessária a manutenção dos resultados obtidos.
Já a crioterapia com nitrogênio líquido ou gelo seco depende muito da finalidade, e a quantidade de sessões e seus intervalos precisam ser analisados por um dermatologista experiente.
Pessoas com infecções na pele, feridas abertas e psoríase devem evitar esse tipo de tratamento.
Fonte: Portal Minha Vida
Fonte: PORTAL EDUCAÇÃO - Cursos Online : Mais de 1000 cursos online com certificado 
http://www.portaleducacao.com.br/estetica/artigos/34756/crioterapia-o-que-e-e-para-que-serve#ixzz4G6TuYV32