sexta-feira, 3 de junho de 2016

SAÚDE E EQUILÍBRIO - A ALIMENTAÇÃO PODE CURAR - Alimentos anti-estresse combatem a depressão e a ansiedade

VENCENDO O ESTRESSE E ANSIEDADE PELA ALIMENTAÇÃO



A ansiedade está mais presente em nossas vidas do que imaginamos. Ela vai do grau mais leve até os casos mais graves, os quais necessitam de tratamentos severos com a presença de psicoterapia e medicação. Os sintomas vão desde àquelas vontades incontroláveis de atacar a geladeira até as crises que envolvem nervosismo, tremores, tensão muscular, sudorese, palpitações, tonturas, medos e insônia.

O médico psiquiatra Marcelo Caixeta aponta que as pessoas incriminam o estresse da vida moderna como o grande vilão para doenças como a ansiedade, mas problemas nas substâncias químicas cerebrais conhecidas como neurotransmissores, que são formados também pela alimentação e influências físicas, são decisivos no processo do desenvolvimento da patologia.
“É inegável o aumento moderno do número de casos de transtornos afetivos. Mas, hoje em dia, consumimos coisas que há 100 ou 500 anos atrás, nunca tivemos acesso, e, pelo contrário, não consumimos coisas que há pouco tempo consumíamos. Tudo isto leva à enormes distorções em nossa neuroquímica cerebral”, explicou Caixeta ao portal Diário da Manhã.

Para evitar esses efeitos negativos nas emoções, nada melhor que conhecer alimentos que auxiliam no processo do combate à ansiedade. O EcoD listou 10 opções, conheça:
1. Banana
O Instituto de Pesquisas de Alimentos e Nutrição das Filipinas realizou uma pesquisa a qual afirma que a fruta auxilia no combate da depressão e alivia os sintomas da ansiedade, devido ao alto teor de triptofano, que colabora com a produção de serotonina.
2. Frutas Cítricas
A vitamina C, presente nas frutas cítricas, reduz a secreção de cortisol, hormônio liberado pela glândula adrenal em resposta ao estresse e a ansiedade. Elas promovem o bom funcionamento do sistema nervoso e aumentam a sensação de bem-estar.
3. Ovos, leite e derivados magros
Eles são excelentes fontes de triptofano, um tipo de aminoácido que alivia os sintomas de ansiedade. De acordo com a nutricionista Rosana Farah, membro da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade. Uma vez no cérebro, o triptofano aumenta a produção de serotonina, o hormônio da felicidade. Rosana indica o consumo diário de duas a três porções deste tipo de alimento.
4. Carboidratos
Proveniente dos cereais e integrais, os carboidratos elevam o nível de açúcar no sangue, ao fornecerem energia, disposição e bem-estar. Pães, arroz, aveia, feijão, massas, batata e uvas fazem parte deste grupo alimentar.
5. Carnes e Peixes
Segundo a nutricionista, eles são as melhores fontes naturais de triptofano, aminoácido que em conjunto com a vitamina B3 e o magnésio produzem serotonina, importante também no processo do sono.
Além disso, as carnes e peixes contêm outro aminoácido chamado taurina, substância que aumenta a disponibilidade de um neurotransmissor chamado Gaba, que o organismo usa para controlar fisiologicamente a ansiedade.
6. Espinafre
O espinafre contém folato (ácido fólico), uma potente vitamina antidepressiva natural. Segundo um estudo da Universidade da Califórnia, o cérebro consome muita energia para funcionar e isso resulta na sobra de resíduos químicos oxidantes. É neste momento que alimentos como o espinafre começam a trabalhar para eliminar as substâncias em excesso.
7. Maçã
As maçãs são ricas em fibras de carboidratos, vitaminas A, B1, B2, B6, C, minerais, zinco, magnésio e selênio. Além de combater a ansiedade, relaxa.
8. Mel
O mel auxilia o organismo a produzir uma maior quantidade de serotonina, neurotransmissor que está intimamente ligado às mudanças de humor.
9. Jabuticaba
A fruta, que também é rica em carboidratos, fornecendo energia para o reânico físico, possui vitaminas do complexo B, que agem como antidepressivos. A jabuticaba também contém ferro (que combate a anemia) e vitamina C (que aumenta as defesas do organismo).
10. Chocolate
A nutricionista explica que o chocolate “é rico em flavonoides, um tipo de antioxidante que favorece a produção de serotonina, neurotransmissor responsável pela sensação de bem-estar e que melhora o humor, reduzindo a sensação de ansiedade”. São recomendados cerca de 30 gramas de chocolate por dia, de preferência amargo, bem menos calórico e mais rico em flavonoides.


Alimentos anti-estresse combatem a depressão e a 

ansiedade




Mulheres que são mães, donas de casa e profissionais, tudo ao mesmo tempo. Homens bem sucedidos e que praticam esportes como atletas. 
Crianças que além das provas, ainda possuem muitas atividades após as aulas. 
Adolescentes em fase de vestibular. Com essa vida corrida é inevitável sentir os efeitos da pressão. No entanto, existem maneiras de amenizar estes sintomas. 
Que tal aliviar o stress através da alimentação? Existem alguns alimentos que podem ajudá-lo!

Alface: substâncias encontradas principalmente nos talos das folhas como a lactucina e lactupicrina, atuam como calmantes naturais.

Espinafre e brócolis: previnem a depressão. Contêm potássio e ácido fólico, importantes para o bom funcionamento das células, assim como o magnésio, o fosfato e às vitaminas A e C e ao Complexo B, que garantem o bom funcionamento do sistema nervoso. 
Peixes e frutos do mar: diminuem o cansaço e a ansiedade, pois contêm zinco e selênio, que agem diretamente no cérebro. Cereais integrais e chocolate (com moderação) também são ótimas fontes de zinco. O selênio também pode ser encontrado no atum enlatado e na carne de peru.

Laranja: promove o melhor funcionamento do sistema nervoso. É um ótimo relaxante muscular, ajuda a combater o estresse e prevenir a fadiga. A fruta é rica em vitamina C, cálcio e vitaminas do Complexo B. A ingestão de vitamina C inibe a liberação de cortisol, principal hormônio relacionado ao estresse no corpo.

Castanha-do-pará: melhora sintomas de depressão, auxiliando na redução do estresse. Também é rica em selênio, um poderoso agente antioxidante. Uma unidade ao dia já fornece a quantia diária recomendada de 350mg. 

Alimentos ricos em vitaminas do complexo B: Quando o estresse está presente, o corpo utiliza a glicose desordenadamente, consumindo então as proteínas do músculo como fonte de energia. O ideal então é se alimentar de alimentos ricos em carboidratos complexos e uma dose extra de proteína magra como: leite em pó, queijo minas, amêndoas e carne que contém vitamina B12; ovo, leite, banana, aveia, batata, ricos em vitamina B6.

Maracujá: Ao contrário do que diz a crença popular, a fruta não é calmante, mas sim suas folhas. As folhas contêm alcalóides e flavonóides, substâncias depressoras do sistema nervoso central (SNC), o conjunto do cérebro com a medula espinal, responsável pela sensibilidade e pela consciência. Por isso, elas atuam como analgésicos e relaxantes musculares.

Escrito por: Daniela Cyrulin

* Publicado originalmente no site EcoD.