quarta-feira, 29 de junho de 2016

EQUILÍBRIO E HARMONIA - A RAIVA E SUAS CONSEQUENCIAS

A cor da raiva





              Contar até dez já não está mais adiantando? Pudera! A raiva é uma emoção intensa, que costuma bagunçar nossa alma com a força de um tornado. Diferente da melancolia, que nos paralisa, a raiva requer uma ação, de preferência imediata. É quase impossível ficar parado quando “enxergamos tudo vermelho” na nossa frente. Nossos músculos se contraem como se fossem se mexer sozinhos (e se deixarmos, eles se mexem mesmo, na direção do pescoço de alguém).
        Você deve estar pensando que passaria muito melhor sem sentir-se inundado e subjugado por essa emoção. Mas é aí que você se engana, a raiva tem um papel a cumprir. Se bem utilizada, a raiva é benéfica, desde que em “doses homeopáticas”.
         
           Vamos relembrar um pouco das aulas de biologia sobre o sistema nervoso central. Nosso cérebro é uma máquina perfeita, que funciona milimetricamente para promover nossa segurança e bem-estar. Em uma situação de perigo, só há duas alternativas: atacar ou fugir. Nosso cérebro irá escolher a melhor alternativa, e a adrenalina terá preparado nosso coração, nossa respiração, músculos, pupilas, para sermos eficientes diante dessa situação. Esse mecanismo instintivo foi moldado na época em que vivíamos nas cavernas, e perigos reais nos cercavam a todo instante. Ele é a matriz de emoções e estados como medo, estresse, fobia... e raiva! O problema é que o perigo já não é mais um leão faminto. O perigo agora é subjetivo... O que não impede uma bela descarga de adrenalina!
            Mas, afinal, que benefícios a raiva poderia trazer à sua vida?
         Em primeiro lugar, a raiva tem algo a dizer, ou melhor, a reclamar. Ela está dentro de você porque existe alguma situação te agredindo de alguma forma. Não existe raiva gratuita, pois ela sempre é uma resposta à nossa realidade. Sabe um detector de metal? Pois bem, ela funciona de forma semelhante, e irá apitar para indicar que uma situação ou problema está tirando o seu equilíbrio.
            Quando você souber o real motivo da sua raiva, estará pronto para deixá-la ir embora. O exercício a seguir pode te ajudar a se despedir dela:
        Escolha uma cor que represente a sua raiva. Munido de lápis de cor, giz de cera, canetinha, ou qualquer outro material, deixe ela fluir para uma folha de papel. Faça algum desenho, pinte, ou simplesmente risque, bastante, com força. Eu sei, você já é grandinho para pintar e desenhar, não pega bem... Não tem problema, você pode fazer esse exercício mentalmente, imaginando uma tela em branco. Só que não vai ser tão divertido... Para finalizar, rasgue o papel em muitos pedacinhos, e jogue fora.
             Lembre-se que a raiva nos convoca à ação. A energia que você teria gasto esbravejando e tentando se controlar estará disponível agora, para que você se motive a fazer mudanças na situação que estava te agredindo e desequilibrando.

Raiva - É como uma doença que vai corroendo de dentro para fora, e causa prejuizos físicos, mentais e espirituais





  1. 1. R A I V A

  2. 2. RAIVA É UM SENTIMENTO DE PROTESTO, INSEGURANÇA, TIMIDEZ OU FRUSTRAÇÃO, CONTRA ALGUÉM OU ALGUMA COISA, QUE SE EXTERIORIZA QUANDO O EGO SENTE-SE FERIDO OU AMEAÇADO. A intensidade da raiva, ou a sua ausência, difere entre as pessoas. A raiva pode ser um sentimento passageiro ou prolongado (rancor).

  3. 3. ORIGENS DA RAIVA -DESEJO DE VINGANÇA.  Quando alguém foi de alguma forma insultado, ou prejudicado por outra pessoa, e sente o desejo que ela sinta o mesmo que está sentindo. 

  4. 4.A INVEJA -Uma pessoa pode sentir raiva de outra pelo fato desta ter algo que aquela gostaria para si, no entanto, como não possui recursos próprios para adquirir estes objetos de desejos, e pela sua imaturidade moral, passa a sentir raiva de quem os têm. </li>

  5. 5. O EGO - Uma pessoa pode sentir raiva de uma outra pelo fato desta ter afrontado ou ridicularizado o seu ego. A raiva, neste caso, é uma tentativa de proteção ao impor-se uma postura agressiva diante da afronta.

  6. 6. Uma pessoa que no seu íntimo tem a falsa percepção de superioridade em relação aos demais, quando se vê em uma situação em que não é compreendida ou aceita como gostaria que o fosse, utiliza-se da raiva como mecanismo de evasão dos seus instintos violentos, afligindo a todos que encontram-se ao seu lado. O INSTINTO DE SUPERIORIDADE 

  7. 7. A FAMÍLIA - Pode ocorrer quando os pais não dão a devida atenção aos filhos, desinteressando-se pelos problemas que venham a afligir a prole. Inconscientemente o indivíduo começa a ressentir-se, o que ao longo dos anos pode gerar raiva acumulada.

  8. 8.O TRÂNSITO - Segundo Joanna de Ângelis (Conflitos Existenciais) é bem comum acidentes automobilísticos devido a &quot;raiva malcontida&quot; de motoristas que não se conformam em serem ultrapassados por outros carros, e ao invés de facilitar a ultrapassagem terminam expondo o outro automóvel a perigos que podem resultar em um acidente.

  9. 9. A raiva é como uma doença que vai corroendo de dentro para fora, e que causa diversos prejuízos físicos, mentais e espirituais para o próprio enfermo e para as pessoas que a este acompanham. CONSEQUÊNCIAS

  10. 10. Como conseqüências da raiva podemos ter: Violência verbal Violência Física

  11. 11. ÓDIO - Que consiste numa ênfase de raiva, que geralmente dura mais tempo e acompanha um desejo contínuo de mal a alguém. </li></ul>

  12. 12. O comportamento agressivo, que se dá quando o indivíduo assume uma postura contínua de mau humor e raiva, pode ter sua origem em pequenas frustrações que no decorrer da vida se acumulam, e que não foram superadas através de diálogos compreensivos e do perdão ao próximo e a si mesmo. </li></ul>

  13. 13. O importante é saber conviver com ela,  &quot;dando-lhe voz&quot; para que expresse o que não queremos aceitar, o que não aceitamos perder e se estamos onde e com quem realmente desejamos estar. De nada resolverá sufocá-la, negá-la, aprisioná-la tal qual uma fera enjaulada, pois, mais cedo ou mais tarde, ela surgirá de uma forma desajeitada e prejudicial para nós mesmos e para o outro. A RAIVA ESTÁ NO NOSSO DIA-A-DIA http://www.elisabethsalgadoencontrandovoce.com/raiva.htm

  14. 14. A RAIVA É UM SENTIMENTO NATURAL DO SER HUMANO, MAS QUE NÃO DURE MAIS QUE UM RISCO NA ÁGUA. (Jiddu Krishnamurti- filósofo e místico indiano -1895-1986) 

  15. 15. No corpo humano, a raiva gera problemas no sistema nervoso central, disfunção das glândulas de secreção endócrina, distúrbios no aparelho digestivo e desequilíbrio psicológico.

  16. 16. Nenhum dos dois é bom para a saúde; enquanto a raiva, através de seu aspecto agudo e estressante proporciona uma revolução orgânica bastante importante, às vezes suficientemente importante para causar um transtorno físico agudo, do tipo infarte ou derrame (AVC), o ódio consome o equilíbrio interno cronicamente, mais compatível com o câncer, com arteriosclerose, com a diabetes, hipertensão crônica. Em termos práticos podemos dizer que a raiva, como uma emoção, não implica em mágoa, mas em estresse, e o ódio, como sentimento, implica numa mágoa crônica, numa angústia e frustração. http://virtualpsy.locaweb.com.br/index.php?art=322&sec=35

  17. 17. O PERDÃO Consiste em desistir de qualquer ressentimento quando se é, de alguma forma, prejudicado. Por isso existe quem considera o ato de perdoar como uma possível &quot;cura&quot; para a Raiva.

  18.  Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Raiva_%28sentimento%29 http://virtualpsy.locaweb.com.br/index.php?art=322&sec=35 http://www.elisabethsalgadoencontrandovoce.com/raiva.htm Imagens: Google Formatação: Iracema 04-03-2010