terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

SAÚDE E EQUILÍBRIO - Como curar e evitar a candidíase

PREVENINDO E CURANDO 

saude












Antes de falar de como evitar a candidíase, vamos saber do que se trata
O que é a candidíase
A candidíase é fungos que se aloja no pênis na vagina ou na boca..
Como se pega:
A candidíase se pega através de sexo oral e normal quando se pratica sem camisinha, lembrando que o fungos da candidíase  se aloja de uma forma muito mais intensa na região da boca…
A candidíase se manifesta no homem geralmente quando o homem não faz a limpeza correta do pênis, após o sexo ou quando urina ou no seu dia, acumulando sujeira e suor ambiente perfeito para o fungos da candidíase se manifestar.
A candidíase se manifesta geralmente quando o corpo não funciona da forma adquada..
Por isso evite comer muito açúcar e se alimentar mau, pois quando seu corpo não funciona ai o fungo da candidíase se manifesta de uma forma agressiva.
Quando o seu organismo esta mau, seu corpo não funciona e ai qualquer sexo pode transmitir o fungos e ai já viu.
Sinais da candidíase, no homem a candidíase vai se manifestar de duas formas,
Você vai reparar círculos no seu pênis ou pequenas bolinhas, com ardências constante…
Na mulher vai se manifestar de forma de bolinhas causando ardência constante e muito incomodo…


Como evitar:
Homens sempre que urinar seque a região do pênis, use sunga de algodão, sempre lave a  o pênis depois de uma relação sexual.
Mulheres da mesma forma, limpe a vagina sempre…
A boa alimentação é fundamental para manter o corpo saudável, mulheres use calcinhas de algodão sempre branca, pois a tintura das calcinhas causam muitas doenças..
O fungos da candidíase aparece nas mulheres coceira na vagina e no canal vaginal, corrimento, dores para urinar e também nas relações sexuais.
Para a cura, é feito o uso de remédio antifúngico oral e creme vaginal, por mais ou menos uma semana podendo chegar a meses dependendo da situação.
É legal “evitar panos que aumentem o calor local e roupas apertadas, e até mesmo dormir sem calcinha pode ajudar a melhor ventilação local”,
Alinhar uma boa  alimentação é muito importante para que a cura seja alcançada e se evite a manisfestação.

6 hábitos que facilitam a candidíase

Antes que você sofra com ardor, coceira e secreção, alertamos os principais hábitos femininos que desencadeiam problemas


Quando começa aquela coceira interminável lá embaixo, um ardor irritante durante a transa, uma secreção leitosa na calcinha, pode apostar: muito provavelmente você ganhou uma indesejada candidíase, a mais comum das doenças que causam aquele corrimento anormal. Acontece quando o fungo Candida albicans se multiplica demais. Em condições normais, o bichinho vive na nossa vagina sem causar problemas, mas alguns fatores colaboram para esse inquilino inofensivo se transformar em inimigo íntimo. E na maioria das vezes, a culpa é nossa mesmo. Alguns hábitos são prato cheio para o desequilíbrio da flora vaginal e o aparecimento do problema.
Calça jeans apertada
Se quer se ver livre da danada da candidíase, evite: usar calças justérrimas de segunda a segunda. O problema é que calças justas demais elevam a temperatura lá embaixo o que aumenta o risco de você ficar com  o mal. Depois de alguns dias, a coceira e o corrimento leitoso se instalam e começa o tormento. O jeito é procurar o ginecologista às pressas para ele prescrever a pomada que dará fim à tortura. "Apesar de não ser grave, a candidíase é uma urgência para a mulher, pois incomoda demais", observa o dr. Vladimir Taborda, ginecologista do Hospital Albert Einstein, em São Paulo.
Desarme esta armadilha: alternando o skinny com outras peças mais arejadas, como saias e vestidos. Prefira calcinhas de algodão e reserve as de renda para ocasiões em que ficará pouco tempo vestida.
Estresse, estresse!
Acredite: tanto stress pode provocar a candidíase recorrente. Um estudo conduzido por pesquisadores ingleses constatou que mulheres que enfrentam uma infecção vaginal atrás da outra são mais tensas e nervosas e têm uma probabilidade maior de entrar em depressão. "O stress crônico debilita o sistema imunológico, que faz com que haja um desequilíbrio na flora vaginal, e a Candida acaba se multiplicando", explica o doutor Taborda.
Desarme esta armadilha: buscando formas de relaxar. Meditação e ioga são indicadíssimas, mas uma caminhada no parque umas três vezes por semana ajuda bastante. E também vale consumir iogurte natural e leite fermentado (tipo Yakult): ajudam a equilibrar a flora vaginal.
Transar com camisinha aromatizada
Elas são ótimas para o sexo oral, mas evite-as na hora da penetração. "As substâncias que dão sabor ao preservativo podem irritar a vagina", explica o ginecologista José Bento de Souza, de São Paulo.
Desarme esta armadilha: delicie-se enquanto faz sexo oral em seu gato e depois troque o preservativo por um comum. Os com lubrificação extra ajudam a mantê-la longe de corrimentos. Como o pênis desliza melhor, diminuem os riscos de ocorrerem lesões, dificultando a infecção.
Ficar horas com o biquíni molhado
Sendo um lugar quentinho, úmido e escuro o cenário de sonho para esse fungo se multiplicar aos montes, você já pode imaginar o que significa se esquecer da vida na praia ou na piscina aquecida com biquini molhado.
Desarme esta armadilha: seis horas é o período máximo recomendado pela ginecologista Lucila Pires Evangelista, de São Paulo, para ficar com a calcinha do biquini molhada. E jamais sente-se diretamente na areia - ela está infestada de microorganismos que podem causar infecção vaginal.
Muitas horas com absorvente interno
Eles são perfeitos para malhar, nadar e até para dar tranquilidade na balada. Mas atenção! Precisam ser trocados a cada duas horas, sim, mesmo nos dias de pouco fluxo menstrual. Do contrário, o sangue ali parado pode virar banquete para a proliferação de bactérias e desencadear uma infecção.
Desarme esta armadilha: prometendo a si mesma que nunca dormirá com o absorvente interno. E, além de não se esquecer de trocá-lo várias vezes ao dia, lave muito bem as mãos antes de introduzi-lo na vagina para evitar contaminações.
Enfrentar uma maratona sexual
Transar por muitas horas seguidas pode provocar corrimento. A mucosa vaginal foi "projetada" para suportar 15, 20 minutos de penetração, segundo o dr. Bento de Souza. Quando a animação extrapola esse limite, ela fica irritada, facilitando lesões e o desequilíbrio da flora - prato cheio para a multiplicação exagerada da Candida.
Desarme esta armadilha: dedicando bastante tempo às preliminares e usando lubrificante na sua próxima maratona sexual. Quanto mais excitada e molhada você ficar, menor a chance de irritar a região.