domingo, 8 de junho de 2014

DESPERTANDO A CONSCIÊNCIA - O SEXO MEDITAÇÃO E RECRIAÇÃO

O SEXO É UMA MEDITAÇÃO



O amor é um grande portão. E para o tantra, o sexo não é algo a ser condenado. Para o tantra, o sexo é a semente e o amor, seu florescimento e, se você condenar a semente. estará condenando a flor

Sexo pode tornar-se amor. Se nunca se tornar amor então estará inválido. Condene o fato de ele estar inválido, não o sexo. O amor precisa florescer, o sexo precisa transformar-se em amor. Se ele não se tornar amor, é culpa nossa.

O sexo não deve permanecer como sexo - esse é o ensinamento tântrico. Precisa ser transformado em amor. E o amor também não pode permanecer como amor. Precisa ser transformado em luz, em experiência meditativa.


Como transformar o amor? Seja o ato e esqueça o ator. Enquanto ama, seja o amor - simplesmente o amor. Então ele não é seu amor ou meu amor ou o de alguém - ele é simplesmente amor.

Meditação é recriação

Eu não sou contra o sexo, e eu não estou dizendo: "abandone o sexo". Estou dizendo para compreendê-lo, para meditar sobre ele — simplesmente, não continue a fazer amor de um modo inconsciente — e essa se tornará sua maior meditação.

Seja mais consciente e alerta, e veja o que realmente está acontecendo. Esse momento de felicidade está vindo através do sexo, ou porque não há mais sexo por alguns momentos e o desejo desapareceu?

Durante algumas horas depois do sexo, você não pensa em sexo; daí a paz, a calma, a tranquilidade. Novamente o desejo virá e perturbará; novamente haverá um redemoinho e a superfície do lago se agitará.

Se uma pessoa meditar sobre a própria sexualidade, ela começará a compreender grandes segredos da vida; eles estão ocultos ali. O sexo está guardando a verdadeira chave. Não só a chave para reproduzir-se, como também a chave para você recriar-se de novo. Não se trata apenas de reprodução; é realmente uma recriação.

Em inglês, a palavra recreation (recriação) perdeu o seu significado original. Agora, recreation (recreação) significa desfrutar um feriado, divertir-se, brincar. Mas, de fato, sempre que você está divertindo-se em um feriado, algo é criado em você — na verdade, é recriação, não apenas recreação. Algo que morre no trabalho e no dia-a-dia nasce novamente.

E o sexo tem se tornado o ato mais recreativo na vida das pessoas. Ele é o seu divertimento. Mas num plano mais elevado, ele é verdadeiramente recriação, não apenas recreação. O sexo guarda grandes segredos e o primeiro deles é — se você meditar, descobrirá isso — que a satisfação chega porque o sexo desaparece.

E sempre que você está naquele momento de satisfação, o tempo também desaparece — se você meditar no momento —, a mente também desaparece. E essas são as qualidades da meditação.

Minha própria observação é a de que o primeiro vislumbre de meditação no mundo deve ter sido através do sexo; não há outro modo. A meditação deve ter entrado na vida através do sexo, porque este é o fenômeno mais meditativo — se você compreendê-lo, aprofundar-se nele, não usá-lo apenas como uma droga.

Então, pouco a pouco, quanto mais a compreensão cresce, mais o desejo desaparece e chega um dia de grande liberdade em que você deixa de ser obcecado pelo sexo. Então, você se torna calmo, silencioso, totalmente você mesmo. A necessidade do outro desapareceu. Você ainda poderá fazer amor se quiser, mas não haverá necessidade.

Então o sexo será um meio de compartilhar.



Osho