terça-feira, 4 de julho de 2017

SAÚDE E EQUILÍBRIO - Conheça causas e soluções para a perda da libido

Conheça causas e soluções para a perda da libido



Problema pode ser amenizado com adaptações no cardápio

Resultado de imagem para SAÚDE E EQUILÍBRIO - Conheça causas e soluções para a perda da libido
O papel da sexualidade é de fundamental importância para a saúde física e psíquica de homens e mulheres e qualquer disfunção nesta área - em qualquer momento da vida - merece ser avaliada com cuidado.
Dos diversos fatores que podem ocasionar a perda ou diminuição da libido, o mais comum é o desequilíbrio hormonal. Entretanto, é preciso avaliar com cuidado outras possíveis causas orgânicas ou decorrentes do uso de algum medicamento, que, como efeito colateral, pode provocar a diminuição do desejo sexual.
O desejo sexual feminino é influenciado por problemas multifatoriais. Nas mulheres jovens, uma das principais causas do problema são problemas de ordem emocional, como baixa autoestima e a depressão. Em mulheres na terceira etapa da vida, a perda da libido pode estar associada a uma progressiva diminuição da produção dos androgênios. Isso ocorre até a fase de transição para a menopausa. Depois disso, a curva de diminuição se estabiliza.
Para se ter uma idéia, nesta terceira fase da vida os níveis hormonais caem até 30% em relação aos níveis de quando esta mulher tinha 20 anos de idade. Infelizmente é o próprio processo de envelhecimento que causa essas mudanças no desejo sexual feminino.
Veja as causas mais comuns para a queda da Libido:
Imagem relacionada

- Declínio Hormonal;
- Depressão;
- Problemas tireoide;
- Uso de medicamentos.

O que fazer

Se, por acaso, você sentir que sua relação está passando por algo parecido com a perda do desejo sexual, tenha uma conversa franca com o seu parceiro e, depois, com seu médico. Quanto menos tempo o casal passar sem o auxílio de um profissional da área, melhor.
Como os problemas podem ser hormonais, isso indica que a perda do desejo sexualtalvez não seja o único sintoma perceptível. Mesmo que pareça drástico, a perda do desejo sexual afeta de forma direta o casamento e pode estragar por completo o interesse entre ambas as pessoas se for negligenciada.
Uma saída, um tanto quanto mais caseira, para ajudar a reverter a perda do desejo sexual é adequar uma dieta para que alimentos considerados afrodisíacos estejam mais presentes do seu cotidiano. Atenção: essa técnica não é comprovada cientificamente e não existe qualquer alimento que tenha efeito direto e imediato sobre a libido. Entretanto, há alguns que melhoram a circulação sanguínea e a produção de serotonina, o hormônio ligado à sensação de bem-estar e ao prazer.
Um cardápio com variados frutos do mar garante mais zinco e ferro na corrente sanguínea, tornando mais fácil a produção de testosterona, por exemplo. Ômega 6, arginina, selênio, boro, todos esses nutrientes também podem colaborar de uma forma positiva no seu sistema.
Apesar de não ter comprovação científica, muitos alimentos são citados como afrodisíacos. Entretanto, não existem alimentos que tenham efeito direto e imediato na potência e no prazer. Há, entretanto, alguns alimentos cujas propriedades ajudam a melhorar a circulação e a produção de serotonina e neurotransmissores que estão diretamente ligados à sensação de bem estar e prazer do prazer.
Esse é o caso da ostra, rica em zinco e ferro. Ela é conhecida pela estimulação do metabolismo e transporte de oxigênio. Os frutos do mar, em geral, são ricos em zinco, mineral que contribui para a formação de testosterona, por exemplo.
Assim como eles, há muitas outras opções de excelentes fontes nutricionais. Por isso, quem quer manter a chama do desejo acesa deve cultivar uma dieta equilibrada e rica em nutrientes. Veja as dicas que separamos para melhorar sua saúde sexual:
Resultado de imagem para SAÚDE E EQUILÍBRIO - Conheça causas e soluções para a perda da libido
  • Mantenha uma dieta rica em nutrientes como o zinco, vitamina B3, ômega 6, arginina, tirosina, vitamina E, selênio, vitaminas do complexo B, boro, vitamina C e cálcio
  • Pratique exercícios físicos de maneira regular. Eles ajudam a liberar hormônios relacionados ao bem estar
Roberto Navarro
Nutrologia