sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

EQUILÍBRIO E HARMONIA - VIVENDO O VERDADEIRO SENTIDO DO NATAL

Aprenda a curtir uma data tão especial como o natal, à sua maneira


Resultado de imagem para O VERDADEIRO SENTIDO DO NATAL

Todo fim de ano, o mesmo ritmo: Shopping lotado, trânsito, preparativo de ceia, compra de presentes. É nessa hora que vale a pena tirar a lista de compras da frente e entender os significados mais originais dessa data.

Qual é a origem?

O Natal é herdeiro de uma homenagem ao deus Sol, que acontecia no hemisfério norte. Era um festa para marcar o solstício de inverno, quer dizer, o dia mais curto e escuro do ano, que cai perto de 22 de dezembro. Representava uma comemoração pela chegada da luz, pois depois daquela data os dias ficavam mais ensolarados. No fim do século 4, o papa Júlio I decreta o dia 25 de dezembro como data para celebrar o nascimento de Cristo.

A figura do Papai Noel só se integrou aos rituais depois. Veio de Nicolau, bispo da região da Turquia, que tinha fama de presenteiro. Depois, sua fama se espalhou pela Europa e ele virou santo. O nome Noel vem da expressão francesa usada para designar o Natal. Em Portugal, ele é Papai Natal. Em inglês, é Santa Claus. As roupas vermelhas e a carinha rechonchuda do bom velhinho se popularizaram graças à publicidade.

O sentido do Natal

Cada um de nós pode dar seu próprio sentido ao Natal. Quem vai negar a importância da renovação, do encontro com quem a gente gosta, da exaltação da paz? Pois esses são alguns dos significados do Natal, que às vezes se perdem no meio dos afazeres e da sensação de que não sabemos direito o que estamos festejando.

Esse sentimento de renovação fica ainda mais presente por conta do fim do ano, quando as pessoas fazem balanço de suas vidas. É hora de festejar o que deu certo, de fazer planos para o futuro, mas também de encarar perdas e frustrações com aquilo que não aconteceu como se desejava. Como as festinhas de Natal promovem o reencontro entre as pessoas e as famílias, essa revisão passa também pelas relações com os outros. O que não dá é para ficar feliz por obrigação, só porque o Natal simboliza a alegria.

Nossas dicas:

Recorde a infância. Lembre-se do que você mais gostava nos Natais da sua infância e tente repetir o que traz boas lembranças.

Não se obrigue. Descubra do que você não gosta no Natal e evite. Não se obrigue a participar e fazer coisas que sejam desagradáveis.

Experimente experimentar. Reduza os gastos e convide outras pessoas a fazer o mesmo, buscando alternativas a despesas tradicionais. Será divertido experimentar algo mais criativo.

Deixe a culpa. Ao menos neste dia, você não é o responsável pela miséria do mundo, pelos desentendimentos da família, pela roupa que sua filha diz que não tem, por isso, por aquilo...

Dê vida às tradições. Considere as origens e tradições que fazem sentido para você, sua família ou amigos e vá fundo nesse resgate. Isso dará mais sabor a tudo.

Respeite sua vontade. Se você realmente não está a fim de Natal, diga para as pessoas que resolveu fazer um retiro, que continua gostando muito de todos e vá.

Faça menos. Uma ceia não precisa ter dez pratos diferentes, para fazer sucesso. Um pequeno menu bem saboroso basta para uma noite e um dia seguinte de muitos prazeres à mesa.

O Verdadeiro Sentido do Natal

Imagem relacionada

Com a chegada do período natalino podemos perceber o aumento do movimento das ruas, lojas, e shoppings, devido à aquisição dos presentes para parentes e amigos.
É muito comum, nessa época, comerciais anunciando presentes, brinquedos, utensílios domésticos, móveis e artigos decorativos, carros, enfim, uma grande variedade de produtos, onde os lojistas mais criativos se destacam com preços melhores e algumas promoções para atrair maior quantidade de clientes, tendo um crescimento considerável das mesmas.
Acontece que o importante no natal não são os presentes nem tampouco o luxo das festas, mas sim relembrarmos o nascimento de Jesus Cristo, nosso salvador, aproveitando esse momento para agradecermos por nossas vidas, por nossas famílias, pela saúde, pelo trabalho, etc.
Porém, na sociedade capitalista e consumista em que vivemos, vemos que esses princípios andam bem esquecidos, onde as festas perdem seu verdadeiro sentido: união, paz, amor, momento de reflexão e oração, agradecendo por tudo de bom que recebemos e conquistamos ao longo de mais um ano que se passou.


Nascimento de Jesus – momento sagrado que deve ser respeitado
O que vemos são pessoas preocupadas com a aparência física da festa, os luxos das mesas natalinas, dos enfeites e arranjos dispostos sobre suas casas, numa ceia com cardápio tão exagerado e variado que sobram grandes quantidades de alimentos que são jogados no lixo, no dia seguinte. Enfim, um exagero total, onde se perde o verdadeiro sentido da festa, tão bonita, que deveria servir como instrumento de união, harmonia, paz e doação entre as pessoas.
Há alguns anos era comum as famílias trocarem cartões desejando boas festas, onde os mesmos eram dispostos no pé da árvore de natal, com o objetivo de trazer sorte, de acontecer tudo o que lhes era desejado nos mesmos. Mas devido à modernidade do mundo virtual, essa prática foi esquecida. Hoje as pessoas enviam cartões virtuais, que não têm o mesmo significado nem a beleza dos cartões tradicionais. Essa seria uma boa forma de surpreender as pessoas de seu convívio.
Além disso, outra boa sugestão é de fazer uma arrecadação de brinquedos, roupas e alimentos para serem doados em instituições de caridade ou mesmo para pessoas abandonadas, sem lares, que vagam pelas ruas da cidade.



Responder cartinhas de crianças também 
é uma forma de presentear 
Outra forma de viver o verdadeiro sentido do natal é ir até uma agência dos correios e pegar uma cartinha de criança, destinada ao papai Noel, para respondê-la e enviar o tão desejado presente.
Com certeza fará bem a qualquer coração!

Por: Jussara de Barros
Com informações do site M de Mulher