sábado, 30 de julho de 2016

SAÚDE E EQUILÍBRIO - Baixa auto-estima, aprenda como pode se libertar - 16 SUGESTÕES PARA CONSTRUIR AUTOCONFIANÇA E AUTOESTIMA

Baixa auto-estima, aprenda como pode se libertar...




Baixa auto-estima, aprenda como pode libertar

A Baixa auto-estima não pode sobreviver se nos responsabilizarmos a seguir alguns passos básicos. Qualquer pessoa pode superar os seus dramas de baixa-auto estima e conseguir uma mudança significativa em todas as áreas de vida ao reconhecer e aceitar o seu poder interior.
Em primeiro lugar é necessário ter uma noção clara sobre o que é verdadeiramente a  Auto-estima e o que é para depois começar a trabalhar as limitações internas e começar a libertar a negatividade, e a viver uma vida cheia de felicidade e com mais sentido.

Características da baixa auto-estima:

  1. Insegurança
  2. Perfeccionismo
  3. Sentimento de inadequação
  4. Dúvidas constantes
  5. Incerto de si mesmo
  6. Não se permitir errar
  7. Necessidade de: agradar aprovação, reconhecimento
  8. Sentimento vago de não ser capaz de realizar nada –  depressão

O que diminui a auto-estima?

  1. Constantes críticas e autocríticas
  2. Sentimento de culpa
  3. Medo do abandono
  4. Receio da rejeição
  5. Sentimento de carência
  6. Frustração
  7. Vergonha
  8. Sentir inveja
  9. Timidez
  10. Insegurança
  11. Medo
  12. Humilhação
  13. Raiva
  14. Perdas e dependência (financeira)

Baixa auto-estima – Veja o que fazer para superar:

  • Baixa auto-estima alimenta-se de pensamentos negativos e crenças de falta de valor próprio, é essêncial ter muito cuidado com as palavras negativas que usamos sobre nós e evitar entrar em auto-crítica. Sempre que nos classificamos de “burra”, “desastrada” ou qualquer forma de depreciação, estamos a criar um programa neurológico que nos vai limitar nos comportamentos e na vida. Por que razão travamos guerras connosco mesmos? Nunca devemos esquecer que o nosso subconsciente não tem sentido de humor e leva a sério qualquer ameaça e as torna verdades internas. É muito importante aprender a confiar em si e na vida.
  • Escolher para agradar a nós mesmos diminui a sensação de baixa auto estimaÉ bonito sermos “bonzinhos” para os outros e nos preocuparmos com os sentimentos dos outros, mas nada disso faz sentido se estivermos a negligenciar a nossa sensibilidade e as nossas necessidades tão importantes? Não negligencie a si mesmo!
  • Baixa-auto estima pode ser sinónimo de copiar pessoas que admiramos e Isso torna-nos vulneráveis e artificiais e todas as pessoas que nos rodeiam vão sentir isso e vão-nos por em causa. Cada pessoa tem um potencial infinito único apenas tem de o trabalhar e evidenciar. Esforce-se para melhorar, mas não critique a si mesmo por não ser tão bem sucedido, bonito, magro ou tão popular quanto alguém. Use afirmações positivas para trabalhar o “músculo da positividade” e exercer poder na sua vida.
  • A vida é importante mas não devemos leva-la demasiado a sério e descontrairTodos falhamos antes de sermos bem sucedidos, a tentativa erro é a formula secreta de todos os grandes sucessos, assim como a não desistência e a consecutiva transformação positiva. Um erro não é um fracasso, mas como uma maravilhosa forma de aprendizagem. Quando algo parece estar errado e parece não funcionar é importante sabermos redireccionar o nosso caminho e a experiência é sempre um reforço à sabedoria e estrutura pessoal, social ou profissional. Os desafios tornam-nos mais fortes isto dependendo se escolhemos ser o sábio ou o coitadinho.
  • O valor próprio e a confiança são reforçados quando nós damos valor às nossas necessidades e desejos. Sempre que esperamos que sejam outros a suprir estas questões a nossa auto-estima está minada. Ninguém melhor que nós sabes o quê e quando precisamos de suprir as nossas necessidades e desejos e se aprendermos a ser independentes estaremos mais aptos a ter bons relacionamentos sem que haja sentimentos de dependência.
  • Evidencie os seus sucessos, relembre-os sempre que possivel, a baixa-auto estima resulta do facto de só alimentarmos fracassos e inércia. Faça uma lista de tudo o que já conseguiu fazer e tanto se orgulha. E nunca se esqueça que tudo na vida que sempre se esforçou e acreditou você conseguiu.
  • Alimente a sua vida com experiencia aliciantes e motivadores, workshops, equitação, surf, leitura, desporto, alguma coisa que o faça sentir-se feliz e não dependa, nunca de ninguem para iniciar qualquer objectivo senão vai passar a sua vida sentada no sofá à espera do telefonema que vai mudar a sua vida. Seja o exemplo que gostaria de ver.
  • Trace objetivos e esforce-se para conquistá-los, seja responsavel na sua concretização. Nunca nada mudará amanhã se nada fizermos hoje
  • Seja uma pessoa interessante interiormente, liberte-se do peso do passado e da vida, e faça coisas interessantes para se sentir revigorada.
  • O verdadeiro processo de libertação de baixa auto estima está na Auto-valorização. Aprenda a ver-se com os seus próprios olhos e não com os olhos dos outros, não é o facto de alguém pensar algo negativo de si que a vai transformar nessa coisa negativa. O que os outros pensam é uma interpretação de si baseada nos seus traumas e vivências.
  • Dê menos importância aos defeitos do mundo exterior e aproveite essa energia para enriquecer o seu interior e a sua vida.
  • Para fazer um verdadeiro trabalho de transformação e programação neurológica faça um curso de PNL (Programação Neurolinguística) ou de Coachinge transforme o seu sonho na sua vida, está tudo nas suas mãos, use a energia de auto-destruição na construção de um paraíso vivencial e em sabedoria.

Algumas questões que ajudam a baixar a nossa auto-estima:

  • Se formos improdutivos no emprego, chegamos ao fim do dia com sentimento de culpa por sermos inuteis. O sentimento de inutilidade é um dos factores que mais baixa a auto-estima.
  • Ter situações de vida pendentes, como situações emocionais não resolvidas, o sentimento de ser um peso. para alguém, dependências de qualquer espécie. É essencial sermos seres independentes e individuados.
  • A falta de iniciativa para resolver questões que nos estão a incomodar.
Para estarmos em paz connosco e com a vida é necessário iniciar um processo de limpeza emocional e resolver tudo o que está pendente e limpar dentro de nós o que já não está a ser importante para sermos livres e felizes.
Baixa auto-estima  pode ser libertada com muita vontade e trabalho diário, acreditar que merecemos algo de bom na vida é o melhor trampolim para nos motivarmos a iniciar um processo de mudança milagrosa….se os outros podem e conseguem, o que me impede a mim de também poder e conseguir???????

Texto original de Love Dolhpin para o site www.tratamentodadepressao.org
“Reprodução permitida desde que citada autoria e fonte com hiperligação (link)”

16 SUGESTÕES PARA CONSTRUIR AUTOCONFIANÇA E AUTOESTIMA



A nossa autoestima é um conceito ou noção do valor de nós mesmos que pode ser afetada por fatores como a saúde física e psicológica, eventos negativos da vida, como perder o emprego ou relacionamentos mal sucedidos, disfuncionais ou frustrantes, e um senso geral de falta de controle. Este sentimento de falta de controle é, muitas vezes particularmente acentuado em pessoas que são vítimas de abuso emocional, físico ou sexual, ou de discriminação relativamente à religião, cultura, raça, sexo ou orientação sexual. Na grande maioria das vezes, para melhorar a autoconfiança ou autoestima é necessário resolver alguns problemas relacionados com o passado que minam o bem-estar e a paz de espirito no presente.

BAIXA AUTOESTIMA, UMA PONTE COM O 

PASSADO

Às vezes, a baixa autoestima pode ter sido profundamente enraizada ou ter as suas origens em experiências infantis traumáticas, como a separação prolongada de figuras parentais, negligência ou abuso emocional, físico ou sexual. Se você acha que isso é um problema particular para você, fale com um profissional de saúde mental. A terapia ou aconselhamento pode permitir-lhe falar sobre essas experiências, aceitá-las e deixarem de ser um impeditivo ao seu bem-estar e valorização pessoal. Infelizmente, a terapia ou aconselhamento pode ser difícil de obter, e pode provar-se não ser eficaz e adequada para todas as pessoas. Evidentemente que a eficácia da terapia está relacionada com a gravidade da situação vivida e igualmente com a abordagem e profissionalismo praticado pelo profissional.
Uma técnica que tenho vindo a verificar ser eficaz, em alguns cenários considerados traumáticos ou angustiantes por parte de quem sofre, é a resignificação dos acontecimentos passados. A pessoa é conduzida às memórias negativas do seu passado, sendo orientada a dar um novo significado ao impacto do seu sofrimento, curando alguns dos seus sentimentos e pensamentos negativos. Descrevi este processo no artigo: Curar o passado, resignifique os acontecimentos traumáticos numa história capacitadora.
confiança

NÃO DEIXE ARRASTAR O SEU PROBLEMA

Se você sofre ou tem vindo a sofrer de baixa autoconfiança e/ou baixa autoestima, e percebe que isso pode estar relacionado com alguns acontecimentos passados, resultando em sofrimento prolongado e infelicidade, aqui mesmo na Escola Psicologia pode ter acesso a consultas de psicologia online onde pode usufruir de uma terapia que tem-se comprovado eficaz com as pessoas que sofrem com este tipo de problemas. Se pretender mais informação, siga o link: Consultas de Psicologia Online.
A baixa autoestima por períodos prolongados pode predispor ao desenvolvimento de um transtorno mental, e uma vez desenvolvido um transtorno mental pode, por sua vez fazê-lo entrar num ciclo descendente da sua autoestima, prejudicando drasticamente a sua vida. Não pretendo estar a colocar um cenário negativista, mas sim alertá-lo para os perigos que pode enfrentar ao não dar atenção à propagação de uma autoestima diminuida por longos períodos da sua vida. Em alguns casos, a baixa autoestima é em si uma característica central do transtorno mental, por exemplo, nadepressão ou transtorno de pânico.
As pessoas com uma baixa autoestima e uma baixa autoconfiança prolongada, geralmente vêem o mundo como um lugar hostil e percepcionam-se como vítimas. Como resultado, elas sentem-se relutantes em expressar e afirmar-se, fazendo com que percam algumas experiências e oportunidades significativas, podendo ainda sentirem-se impotentes para mudar as coisas que atrapalham a sua vida. Tudo isto contribui para a construção de uma espiral descendente da autoconfiança e autoestima.

AÇÕES BENÉFICAS PARA A AUTOCONFIANÇA E 

AUTOESTIMA

Felizmente, há uma série de ações simples que qualquer pessoa pode fazer para aumentar a sua autoestima e, esperançosamente, romper com esse círculo vicioso. Você pode praticar algumas das coisas sugeridas na lista que se segue, e certamente não precisa fazê-las todas. Basta fazer aquelas em que se sinta mais confortável:
1. Faça três listas. Numa folha de papel escreva as suas forças, uma das suas conquistas mais importantes para si, e uma das coisas que você admira mais em si mesmo. Tente a colaboração de um amigo ou parente para ajudá-lo com essas listas. Mantenha as listas  num lugar seguro e leia-as regularmente.
2. Pense positivamente acerca de si mesmo. Lembre-se que, apesar dos seus problemas, você é uma pessoa única, especial e valiosa, e que você merece e pode vir a sentir-se bem acerca de si mesmo, se fizer coisas nesse sentido. Identifique e conteste os pensamentos negativos que tem acerca de si mesmo, como “Eu sou um perdedor”, “Eu nunca faço nada certo”, ou “Ninguém gosta de mim”. Certamente estas crenças acerca de si mesmo estão distorcidas por erros de pensamento devido à sua baixa autoconfiança e autoestima. Faça um acordo consigo mesmo, sendo o seu principal aliado. Sempre que sirgam na sua mente pensamentos depreciativos acerca de si mesmo, não os siga. Crie outros pensamentos que possam puxar por si, que possam orientá-lo para as coisas que quer alcançar e que o ajudem a transmitir-lhe confiança. A confiança em si mesmo pode ser construída. Para aprofundar o assunto, leia: Como implementar o pensamento positivo na sua vida?
3. Preste especial atenção à sua higiene pessoal e aparência. Por exemplo, cuidar do estilo do seu cabelo, aparar as unhas, usar fio dental nos dentes. Vestir roupas que façam você sentir-se bem consigo mesmo. Cuidar de nós mesmos representa o valor que damos a nós mesmos, mas igualmente à preservação da nossa imagem junto dos outros.
4. Coma boa comida como parte de uma alimentação saudável e equilibrada. Faça refeições a pensar em si mesmo, torne isso um momento especial, mesmo se você estiver comendo sozinho. Desligue a TV ou rádio, ponha a mesa, e prime na disposição da comida no prato para que pareça atraente. Você também merece mimar-se a si mesmo. Se você não cuidar bem de si, quem cuidará? Pense nisso.
5. Exercite-se regularmente. Sair para uma caminhada todos os dias, e fazer exercícios mais vigorosos (exercícios que façam você suar) três vezes por semana é uma prática de enorme retorno e satisfação. A prática do exercício físico regular é um propulsor da autoestima, eleva os níveis de energia, promove o humor, faz libertar na corrente sanguínea endorfina (vulgarmente conhecida por hormona do bem-estar). Para saber mais acerca deste assunto leia: 11 Formas de promover a sua saúde e capacidade física.
auto confiança
6. Verifique se você está dormindo o suficiente. Após um dia de trabalho a nossa energia diminui, é importante repormos os nossos níveis de energia. Para isso, o descanso conseguido através de uma noite bem dormida é um dos principais restauradores do corpo e mente.
7. Aprenda a gerir os seus níveis de stress. Na vida, as exigências por vezes são mais que muitas. Exercem uma enorme pressão sobre os nossos recursos e a nossa capacidade de resposta. É importante perceber a exigência das tarefas que tem de realizar e entender se está preparado para responder-lhes ou resolvê-las de forma eficaz. Caso verifique que a sua ansiedade e irritabilidade estejam a aumentar e consequentemente a sentir uma diminuição no seu humor, provavelmente está a sofrer de stress. O stress faz-se sentir sempre que a sua capacidade de resposta seja inferior às exigência que enfrenta. Se você não é capaz de responder de forma funcional e eficaz às exigências do seu dia-a-dia, a sua autoestima pode sofrer abalos. Para aprofundar este assunto, leia: 6 estratégias para combater os stress.
8. Organize o seu espaço pessoal e profissional,  mantenha-o limpo, confortável e atraente.Sentirmo-nos bem nos espaços onde passamos a grande maioria do nosso tempo é essencial para que possamos receber estímulos de bem-estar. Organize as coisas de forma a que possa ter a maior satisfação possível.
9. Faça coisas que você gosta de fazer. Por vezes, quando andamos mais em baixo, com preocupações a ocuparem-nos a cabeça e na presença de alguns sentimentos negativos, fundimo-nos a isso e deixamos de fazer coisas que nos fazem sentir bem. Este é um problema acrescido para a autoestima. É importante promover atividades que possam ter um retorno positivo, que promovam sentimentos positivos. Ao experienciar boas sensações, certamente isso fará com que todo o seu ser fique mais animado, mais positivo e mais esperançado. Promova aquilo que o faz sentir-se bem, mesmo que esteja a sentir-se mal.
10. Envolva-se em atividades lúdicas como música, pintura, poesia ou dança. Este tipo de atividades lúdicas e artísticas permitem que você possa expressar-se, e adquirir um senso de domínio, levando-o a interagir positivamente com os outros. Procure uma destas atividades ou outras na sua localidade. Invista em si mesmo e na promoção do seu bem-estar.
11. Estabeleça um desafio que você possa realmente conseguir, e não para até alcançá-lo.Por exemplo, fazer yoga, aprender a cantar, ou cozinhar um jantar para um pequeno grupo de pessoas em sua casa. Leia: Espere o melhor e alcance-o.
12. Faça algumas das coisas que você tem adiado constantemente. O sentimento de eficácia e de dever cumprido ao realizarmos algo que nos custa ou que não gostamos muito, mas que é necessário ser feito, produz um retorno de satisfação e de valor de nós mesmos. Por este motivo é um excelente promotor da autoestima. Proponha-se igualmente a fazer algo que lhe gera medo, receio ou dúvida, sobretudo acerca das suas habilidades ou competências necessárias à boa realização. Ao enfrentar o que teme, pode vir a ser bem sucedido, tendo como retorno o aumento e o reforço da confiança em si mesmo. Para aprofundar o assunto, lei: Aproveite o seu medo para atingir os objetivos desejados.
13. Faça algo que beneficie os outros. A prática da compaixão ou do reconhecimento do valor humano é algo que promove a satisfação geral, que nos permite olharmo-nos como benevolentes.  Por exemplo, visitar um amigo que está doente, ou envolver-se com uma instituição de caridade local. Este tipo de ações podem fazê-lo sentir-te bem consigo mesmo só pelo fato de sentir que está a valorizar e a ajudar outras pessoas.
14. Envolva os outros no seu objetivo. Informe alguns dos seus amigos e familiares de confiança pelo que você está passando e peça o seu conselho e apoio. Talvez eles também tenham problemas semelhantes. Passar por momentos difíceis sozinho é algo terrível e pode comprovar-se como destrutivo e traumático.
15. Tente passar mais tempo com as pessoas que você gosta. Não se afaste das pessoas que gostam de si, não restrinja a sua vida social. Afastar-se das as pessoas que lhe são queridas poderia conduzi-lo ao isolamento e piorar ainda mais o estado que possa estar a passar neste momento. Esforce-se por promover ações sociais com os seus amigos, ou conhecer pessoas novas.
16. Por outro lado, evite as pessoas ou lugares que o façam sentir-se mal acerca de si mesmo. Não recomendo que faça isto durante toda a sua vida, mas se está a travessar por um período de baixa autoconfiança e baixa autoestima, este é o momento de fazê-lo. É importante que se proteja no sentido de não piorar o seu estado, nem comprovar algumas das dúvidas que possa ter acerca de si mesmo.
“A saúde é a maior posse. O contentamento é o maior tesouro. A confiança é o maior amigo”. -Lao Tzu
Miguel Lucas