sexta-feira, 1 de julho de 2016

EQUILÍBRIO E HARMONIA - EXERCÍCIO PARA ILUMINAR E HARMONIZAR O RELACIONAMENTO - 4 passos para encontrar Felicidade em todos os seus relacionamentos

 EXERCÍCIO PARA ILUMINAR E HARMONIZAR O RELACIONAMENTO



Faça o exercício de imagens mentais sugerido abaixo e permita que uma reprogramação positiva seja gravada em seu inconsciente.

Sente num ambiente calmo e tranqüilo....
Os pés devem estar firmes no chão, as mãos colocadas sobre as pernas e os olhos fechados do começo ao fim.


Imagine-se olhando de frente para o seu companheiro(a), esposo(a), amante ou a pessoa com a qual você se relaciona e veja que este relacionamento se passa em vários níveis de troca.

Veja em sua parte sexual uma luz vermelha entrando na parte sexual da outra pessoa, que também emana uma luz vermelha.
Confira a luminosidade, a intensidade e as sensações.


Se houver algo que incomoda, corrija usando as ferramentas de sua mente.

Faça a mesma coisa com uma luz laranja que invada o umbigo da outra pessoa e confira a luminosidade, a intensidade e as sensações.
Se houver algo que incomoda, corrija.


Agora visualize uma luz verde saindo do peito desta pessoa e vice-versa.
Confira a luminosidade, a intensidade e as sensações.
Se houver algo que incomoda, corrija.


Em seguida uma luz cor azul índigo saindo da garganta e proceda da mesma forma.
Depois uma luz lilás saindo da testa.


E por fim uma luz dourada saindo do topo da cabeça... sempre conferindo e corrigindo.

Harmonize todas estas energias para harmonizar o todo.
Respire e abra os olhos.

Repita o exercício por 3 ciclos de 21 dias respeitando um intervalo obrigatório de 7 dias entre cada ciclo.

DICA: Para fazer os exercícios com imagens mentais sem ter que ficar lendo ou decorando você pode gravá-los numa fita e apertar o play sempre que quiser fazê-los. Desta forma você garante o mesmo comando...

Afinal, você sabe que a mente aprende por repetição.
Não foi assim que você aprendeu a tabuada?


4 passos para encontrar Felicidade em todos os seus 

relacionamentos

 
Normalmente entramos em relacionamentos à espera que nos façam felizes. Acreditamos que essa pessoa é a pessoa certa, que não estamos repetindo erros do passado, e que finalmente vamos receber o amor, apoio, companheirismo e admiração que temos estado à espera. Cada pessoa tem uma lista de compras de esperanças e expectativas, exigências secretas que ele / ela esperam do seu parceiro e do relacionamento.

Quando essas exigências forem cumpridas, e continuarem a ser cumpridas, então estamos dispostos a dizer que encontrámos um bom relacionamento e estamos felizes. Embora este seja o tipo de abordagem para as relações, é normal e comum, que normalmente tragam decepção. Esta abordagem não leva em conta algumas verdades fundamentais da nossa natureza humana, e o que nós realmente precisamos para encontrar contentamento e alegria.

Para começar, a ALEGRIA é sempre fugaz. Vem e vai. Tem que ser. A alegria depende de circunstâncias. Quando as coisas estão bem, estamos alegres, quando conseguimos o que queremos e que nos façam sentir cuidados e compreendidos. Esses momentos são lindos – que guardamos todos com muito carinho na memória. A única coisa errada com esse tipo de alegria é que as coisas vão depender do nosso caminho, das circunstâncias que nos rodeiam e do que esperamos obter.

A FELICIDADE é diferente. Ela não vem e vai. Ela não depende de circunstâncias externas. Quando as coisas são difíceis e as nossas esperanças não estão preenchidas, ainda é possível sentir-se feliz. A Felicidade surge de dentro. É uma atitude de espírito que pode ser desenvolvida e nutrida. Isso representa um crescimento de ser uma criança, querendo ser cuidada e admirada, a um adulto, capaz de assumir a responsabilidade por suas vidas. Felicidade não é reativa. É uma decisão positiva que fazemos sobre nós mesmos e o mundo em que vivemos. É a nossa única resposta para a vida.

A fim de encontrar a felicidade em nossas vidas e nossos relacionamentos, certas coisas têm de ser desenvolvidas e outras têm que ser abandonadas. Há uma frase que descreve isto lindamente: “Quando somos crianças, brincamos com os brinquedos. Quando crescemos, queremos a coisa real. “A única coisa real é a Felicidade, que surge como base nas ações tomadas, numa maneira de estar consigo mesmo e com os outros. E há passos que podemos praticar diariamente. A Felicidade é uma decisão que tomamos a cada dia.
Aqui estão alguns passos que você pode praticar para encontrar a Felicidade em seus relacionamentos.

1) Desista de culpar a outra pessoa.

É muito fácil encontrar coisas decepcionantes sobre a pessoa com que você está num relacionamento. Quando estamos chateados, nós atribuímos isso ao seu comportamento. Isso é colocar o nosso bem-estar em outras mãos. É uma das formas mais significativas que destruir a nossa Felicidade. E é também uma das formas mais importantes de prejudicar a outra pessoa.
Desista. Diga a si mesmo, que a outra pessoa tem o direito de ser quem é, e que você tem esse direito também.

2) Aprender a arte da verdadeira doação

Há uma enorme diferença entre realmente dar a outro de coração, e dar à espera que assim possa obter algo em troca. Dar para obter algo em troca nada mais é que a manipulação, e mata rapidamente a nossa Felicidae. Felicidade essa, que é baseada em verdadeira doação, de coração. Há muitas coisas que podem ser dadas, além de objetos físicos – dar tempo, atenção, reconhecimento, deixar o outro ter razão sobre algo. Torne-se sensível ao que uma pessoa possa estar realmente a precisar, para que ela possa recebê-lo facilmente.
Pratique dando livremente. Faça-o em pequenos passos em primeiro lugar.Deixe o carro atrás de você passar, deixe a pessoa ir primeiro numa fila. Dê a alguém uma ajuda com as malas, abra a porta a alguém. Pratique estar lá para outro. Quanto mais fizer isso, mais a sua alegria e felicidade irão crescer.

3) Aprender a realmente ouvir

Não há melhor maneira de dar do que realmente ouvir o que o outro tem para dizer. Na maioria das vezes ouvimos, mas não ouvimos mesmo o que está a ser dito. Ouvir implica sair de seus próprios pensamentos e realmente estar lá com o outro, totalmente presente. Isso significa parar a pequena voz interior que sempre comenta ou pensa sobre o que vai dizer a seguir. Isso significa tornar-se tranquilo e disponível. Este é um presente enorme que faz com que esteja mesmo a dar totalmente.

4) Parar de querer mudar a outra pessoa

Um dos nossos maiores transtornos é causado pelo nosso desejo de corrigir ou mudar a outra pessoa. Uma pessoa sente que não pode amar a menos que a outra pessoa mude. Assim, a outra pessoa sente-se magoada, inadequada e pensa que tem algo de errado com ela. Tantas vezes ouvimos a frase: “Se me amasses de verdade, mudarias por mim.” Mas o verdadeiro amor é a capacidade de amar a outra pessoa como é, (incluindo as partes dela que não lhe agradam).

A melhor maneira de ajudar alguém à mudança é através da aceitação de quem ela é neste momento. (Isto não significa apoiar comportamento destrutivo, isto significa que temos que permitir que a pessoa passe pelo que tem que passar, fazer e ser, sem julgamento). O curioso é que quanto menos nós empurramos e desaprovamos atitudes dos outros, mais eles são capazes de mudar a si mesmos e aproximar de nós próprios.




Izabel Telles é terapeuta holística e sensitiva formada pelo American Institute for Mental Imagery de Nova Iorque.
Tem três livros publicados: “O outro lado da alma”, pela Axis Mundi, “Feche os olhos e veja” e “O livro das transformações” pela Editora Agora.
O que são as Imagens Mentais?
E-mail: izabeltelles@terra.com.br