quarta-feira, 27 de abril de 2016

SAÚDE E EQUILÍBRIO - VESÍCULA REVELA COMO ENFRENTAMOS OS OBSTÁCULOS DA VIDA - Sintomas de uma doença na vesícula biliar

VESÍCULA REVELA COMO ENFRENTAMOS OS OBSTÁCULOS DA VIDA

Vesícula - O PODER DE ENFRENTAR OS GRANDES OBSTÁCULOS DA VIDA

 

ENFRENTAR OS GRANDES OBSTÁCULOS DA VIDA





A vesícula biliar é uma estrutura secular que serve como reservatório para a bile. 

A presença de certos alimentos no duodeno, particularmente a gordura, causa a liberação de um hormônio que alcança a vesícula biliar por via sangüínea, produzindo a contração da vesícula e a expulsão da bile para o duodeno. 

Metafisicamente, a vesícula reflete a disposição com que a pessoa enfrenta as dificuldades da vida, sentindo-se livre para se impor diante dos obstáculos. 

A vesícula biliar mantém armazenada a bile, que, no âmbito metafísico, representa a expressão de nossos conteúdos internos para resolver os problemas da vida. 

Nas pessoas que não liberam seus impulsos agressivos, acarretarão complicações na vesícula ou no duto que conduz a bile até o duodeno. 

A complicação mais comum resume-se na formação de cálculos nessa região, representando a calcificação da agressividade. 

Os problemas na vesícula surgem nas pessoas rígidas, intolerantes, contrárias a tudo que acontece. 

Têm dificuldade em digerir o novo e negam os fatos. 

Sentem-se presas e sufocadas pelas situações que as pressionam constantemente, não conseguem se soltar, liberando sua força para resolver as complicações. 

Só não conseguem colocar adequadamente sua capacidade resolutiva, comprometendo a vesícula. 

Outros dois problemas bastante conhecidos na vesícula são a vesícula preguiçosa e as pedras na vesícula. 

A vesícula preguiçosa é muito comum em pessoas lentas nas mudanças, que demoram para se adaptar ao novo. 

Quando requisitadas para algo de que não gostam, reclamam demasiadamente. 

Acham que ninguém faria nada se não fossem elas para resolver as coisas. 

Essa resistência em fazer aquilo que lhes cabe gera um desejo inconsciente de conter sua preparação interna, ocasionando-se a redução na função da vesícula. 

As pedras na vesícula são constantes em pessoas que param diante das dificuldades, não admitindo serem conduzidas pela natureza. Elas exigem que tudo seja do seu jeito. 

Quando não conseguem, relutam nas situações, impedindo que as circunstâncias sigam o fluxo normal. 

Essas insistências tanto prolongam as dificuldades quanto provocam a formação das pedras. 

A capacidade de atuação da pessoa termina por calcificar-se. A incapacidade de alguém em manter as coisas do seu modo gera um impasse que origina freqüentes dificuldades. 

Por meio delas a vida ensina a pessoa a ser menos rígida e intransigente, liberando seus potenciais e deixando a vida se fazer nela com toda a perfeição e abundância inerentes à natureza. 

Além disso, a liberação da energia presa também sugere a decomposição dos cálculos biliares. 

Conter-se diante dos obstáculos e dificuldades da vida é perder a habilidade em usar os próprios potenciais e capacidades de resolução, distanciando-se da ação direta na situação.


Quem precisou extrair a vesícula, acometida por algum tipo de problema, desenvolveu a estrutura interna causadora da disfunção que levou a retirar esse órgão. 

A ausência da vesícula no corpo provoca uma sensação de perda do referencial físico, de armazenagem metafísica da agressividade, deixando a pessoa mais propensa a se impor na situação, falando logo sobre o que pensa a respeito das coisas que acontecem à sua volta. 

Já não consegue mais guardar nada daquilo que outrora não conseguia expor, nem medir suas palavras para falar sobre aquilo que a incomoda na situação. 

A maneira que encontra para isso normalmente é por intermédio das brincadeiras e "gozações". 

Como podemos perceber na grande maioria das pessoas que extraíram a vesícula, elas passaram a ser bem diferentes de antes. 

Às vezes, até exageram um pouco em suas colocações, como se quisessem tirar o atraso do tempo em que se calaram, não conseguindo impor suas vontades. 

Aqueles que conseguem liberar sua força agressiva, mesmo depois de perderem a vesícula, atingem um estado de saúde interior graças ao equilíbrio das ações. 

Mesmo percorrendo um caminho de dor e deterioração de um órgão de seu corpo, isso é imprescindível para o restabelecimento físico, psíquico e emocional.



 Resultado de imagem para OS SENTIMENTOS E A VESICULA BILIAR

Sintomas de uma doença na vesícula biliar

1. Inchaços e gases

 

Como você já sabe a vesícula está associada a nossa digestão. Quando existe algum tipo de problema e não canaliza adequadamente a bílis, ou está inflamada, ou inclusive obstruída, é normal que comecemos a sentir que a nossa digestão é mais pesada, nos sentimos inchados e mais pesados.
São muito habituais os gases e os eructações contínuas. Para que seja verdadeiramente significativo, estes sintomas você deve tê-los com frequência todos os dias. É normal nos sentir mal um dia isolado, ou inclusive dois. Mas, quando passam de dez dias seguidos e você vê como o seu abdômen segue inchado e endurecido, vale a pena comentar com o seu médico.

2. Enjoo e tontura

 

Preste atenção em como você se sente no meio da tarde, especialmente como duas horas depois de ter almoçado ou ter comido a refeição principal do dia. É o momento no qual a nossa digestão deve ter finalizado. Se você notar uma certa fraqueza, com enjoos etontura, então o melhor é que se sente e coloque a mão no seu abdômen. Está duro? Arrota com facilidade?
Se além da má digestão você reparar que todos os dias sente tonturas e enjoos provavelmente há um problema na vesícula.

3. Dores pontuais nas costas, abdômen e no braço direito

 É muito característico. Uma sensação de peso no abdômen, e uma dor que se estende tanto da parte direita das costas como no braço de esse mesmo lado. Temos que lembrar que a vesícula está situada no lado direito do abdômen e ao lado do fígado. Se se inflama, toda essa região será afetada, e a dor é muito particular. É preciso levar em conta que às vezes, por exemplo, a dor pode começar de repente e na forma de ataque como se fosse, por exemplo, um cálculo biliar. Uma dor intensa que pode durar 15 minutos, e em seguida desaparecer e voltar a aparecer, uma situação que pode se estender por até 15 horas. A dor pode piorar com a respiração.

 

Se a nossa doença biliar estiver muito avançada, e temos vários cálculos, a dor pode ser verdadeiramente severa, afetando inclusive nossas omoplatas.

4. Preste atenção na sua urina

 

Nós sabemos, não é nada agradável prestar atenção a nossas intimidades quando estamos no banheiro, mas garantimos que é imprescindível observar a tonalidade da urina para advertir possíveis doenças. No caso que aurina esteja muito branca, e que as fezes sejam muito cinzentas, sem muita cor e um pouco soltas, então isso está associado a um problema da vesícula biliar, devido exatamente a um baixo nível da bílis.
É normal que as pessoas com problemas na vesícula, sofram de numerosos episódios de diarreia. Devemos levar isso em conta.

5. Mau hálito e febre

  Se você notar que tem começado a sentir um mal-estar na boca, um sabor estranho e um hálito desagradável,do qual você não consegue se livrar, anote quando tempo dura. Foi somente um dia ou dois? Então não tem problema. Mas se são já 10 dias, então fale com o seu médico, especialmente quando você se levanta de manhã, e nota que tem um pouco de febre. A febre se costuma ter de manhã e ao final da tarde.

6. Icterícia

 Você tem notado que talvez o tom da sua pele tem estado um pouco amarelado ou que os seus olhos adquiriram de repente essa tonalidade? Então, não hesite e procure o médico. Isso é icterícia, e se deve basicamente a que alguns cálculos biliares bloqueiam o conduto biliar, causando que a bílis volte ao fígado, e assim à corrente sanguínea. É um assunto sério e temos que levar em conta pela a nossa saúde. Não se descuide!

 




Fonte: Melhor com Saúde


 por Arlete Funaro