sexta-feira, 18 de março de 2016

DESPERTANDO A CONSCIÊNCIA - Você ainda acredita ser vítima das circunstâncias?

VOCÊ É UMA VITIMA?


Não podemos mais perder tempo em nos considerar como vítimas do mundo, vítimas das circunstâncias, vítimas da vida. 
O sentimento de vítima nos impregna de mesquinhez. 
É muito pobre acreditar em vítimas e algozes. Ao observar atentamente a si mesmo, ficará claro que existe a lei da auto-responsabilidade, a vida traz exatamente a energia que você emite fundamentada nas crenças guardadas no seu consciente e inconsciente.
Rotular-se como vítima de qualquer situação é o mesmo que abrir mão do próprio Poder.
 
Sim, nós temos o Poder. 

Existem variáveis do conceito de Poder, dentre elas, a conotação negativa e a positiva. 

Geralmente quando nos referimos ao Poder, atrelamos a ideia de abuso da força, contudo, a verdade é que essa é tão-somente uma força distorcida da verdade sobre o Poder. 

Note-se que o Poder quando exercido pelo ego humano não é um Poder propriamente dito, é uma fragilidade e, fragilidade, é antagônica à ideia de Poder.   

Em verdade, o Poder está na essência do homem, que é a única verdade que existe. As crenças limitantes que constroem nossas máscaras ao longo da vida não definem quem somos nós. 
Nossa verdadeira natureza transcende, ultrapassa toda a nossa fragilidade e sofrimento.

Nossa realidade é eterna e indestrutível. 

Nossa realidade é força e Poder. 

Contudo, a menos que você desperte do sono dos vivos-mortos, que chacoalhe suas crenças para olhar a vida pelo olhar da consciência espiritual, continuará se permitindo afundar nas incoerências criadas pela própria mente e sofridas pela própria mente. 

O Poder Interior entra em ação quando corpo, mente e alma estão alinhados e a Vida colabora para isso, traz inúmeras situações de modo a despertar o manancial espiritual inerente à natureza dos seres. 

Nosso Eu Verdadeiro nada sofre, nada teme, é apenas a nossa mente quem cria sofrimentos e teme desgraças porque absorveu conceitos limitantes da família e da sociedade em si. 

Temos tanto Poder e ao mesmo tempo desperdiçamos tanto Poder por não enxergá-lo e não saber usá-lo.

Somos fortes quando observamos as nossas fraquezas e incoerências sem nos identificarmos com elas.
 
Nosso ego herdado pela Inconsciência Coletiva tem o objetivo de nos defender e não de nos prejudicar, contudo, o ego é frágil, mesquinho e medroso e, desta forma, ao negligenciar a nossa melhor parte, a nossa ESSÊNCIA DIVINA, nós passamos a julgar o nosso Ego e tratá-lo como um inimigo. 

A partir desse momento, o Ego, por se sentir ameaçado e desprovido de amor, nos boicotará em diversas situações, seja nos relacionamentos amorosos, familiares, profissionais e, em diversas situações.

O verdadeiro Poder está em abraçar as próprias limitações, os próprios medos para levar luz à escuridão.
Todas as nossas partes merecem ser tratadas com amor, paciência e aceitação. 

O ego cresce em nós quando nos criticamos. 
Saliente-se que autocrítica se difere de auto-análise; quem analisa não julga. Julgar é alimentar o ego, é colocar-se inconscientemente ou não, em comparação com um padrão que você acredita ser melhor.

 Entretanto, o padrão é criado pela mente coletiva, pode ser que o que acreditamos que seja certo aqui, não o seja em outro país por exemplo, ou, o que é certo hoje, pode não ser amanhã. Tudo é muito fluídico, mas a mente humana dá seu toque de rigidez e, paulatinamente, concretiza a alma dos seres.

Por isso, abra a mente, tome doses cavalares de humildade para reconhecer as fraquezas do seu ego e o Poder do seu espírito.  

O nosso Verdadeiro Eu é poderoso porque nada tem a ver com a matéria, é uma força que emana do coração e pode ser sentida a quilômetros de distância, afinal, a força eletromagnética do coração é infinitamente superior a qualquer aparente força construída pelo ego.

A nossa verdade está sempre nos fazendo enxergar a nós mesmos no outro, projetando no mundo da matéria as nossas incoerências e nossas virtudes inconscientemente rejeitadas por nós mesmos. 

Por isso, não existe e jamais existiu vítimas ou algozes, tudo é seguido pela lei mental, a lei da atração, nossas crenças adormecidas no inconsciente controlam as nossas vidas e, até o momento em que optarmos por transformar a nossa realidade, nos sujeitaremos aos mandos e desmandos das crendices que nós mesmos alimentamos.

A verdade absoluta é o AMOR, eu sou o AMOR, você é o AMOR. Enxergue-se como tal, sinta-se como tal. Só o que pode ser reconhecido pode ser expressado. Aceitar e sentir o AMOR é o antídoto para qualquer realidade indesejada, seja ela interior ou exterior.