sexta-feira, 15 de agosto de 2014

SAÚDE E EQUILÍBRIO - FIBROMIALGIA E DOENÇAS DA TIREÓIDE

FIBROMIALGIA E DOENÇAS DA TIREÓIDE



Para pacientes com Fibromialgia invariavelmente é pedido o exame TSH (hormônio tireo-estimulante), para a avaliação da glândula tireoide. Mas existe alguma relação das doenças desta glândula, localizada no pescoço, com a Fibromialgia?
Esta relação é incerta por várias razões. Acredita-se que pacientes com Hipotireoidismo, isto é, um mau funcionamento da tireoide, pode apresentar sintomas semelhantes ao da Fibromialgia, como fadiga, alterações do sono, alterações intestinais, ganho de peso e dores pelo corpo.
Na prática, só pacientes com uma função muito baixa da tireoide apresentam estes sintomas. O que mais se observa em pacientes com Fibromialgia é que uma proporção razoável dos mesmos apresenta alterações nos testes da tireoide, tanto para o Hipotireoidismo como para o Hipertireoidismo (aumento da função da glândula). Muitas vezes, as alterações encontradas são ditas “sub- clínicas”, consistindo apenas nos achados laboratoriais.
O tratamento do Hipotireoidismo e do Hipertireoidismo é feito de maneira bastante diferente; quando a glândula diminui a produção do hormônio da tireoide, este geralmente é causado por uma inflamação silenciosa na tireoide, causada por auto-anticorpos (Tireoidite de Hashimoto). O tratamento consiste em substituir o hormônio que a glândula deveria produzir através de um comprimido diário. A dose ideal do hormônio da tireoide para cada paciente é controlada pelo TSH. No Hipertireoidismo, há um excesso de produção de hormônio, pela presença de auto-anticorpos estimulatórios (Doença de Graves). Neste caso, há a necessidade de bloqueio da glândula com medicações ou até mesmo a administração de iodo radioativo, para diminuir o tamanho e a função da tireoide.
O funcionamento da tireoide é vital para a função de todo o organismo. Ela é responsável pelo “ritmo de trabalho” do corpo. Se o ritmo fica muito lento, como no Hipotireoidismo, há diminuição da rapidez do pensamento, o coração bate devagar, o intestino para de funcionar, existe uma intolerância ao frio e o paciente aumenta de peso. No caso do Hipertireoidismo, acontece o contrário: a pessoa perde peso, existe um aumento da frequência cardíaca, com o risco de arritmias, intolerância ao calor e aumento da velocidade de pensamento. Em resumo, hoje se acredita que pacientes com Fibromialgia apresentam uma maior chance de problemas da tireoide, mas é difícil dizer se o tratamento destas condições melhorará os sintomas de Fibromialgia. Porém, é imprescindível que estes problemas sejam tratados, em prol da saúde geral do paciente.


Eduardo S. Paiva
Reumatologista
Chefe do Ambulatório de Fibromialgia do HC-UFPR, Curitiba.
Diagnóstico de tireoide por termografia
A disfunção da glândula tireoide pode aumentar o fluxo sanguíneo e sua atividade química e produzir mais calor o que é detectável por câmeras térmicas ultrassensíveis. A identificação de doenças da tireoide é fundamental para seu correto tratamento e a termografia permite isto de forma precoce e não invasiva.