quinta-feira, 26 de junho de 2014

PENSAMENTOS, POESIAS E REFLEXÕES - O AMOR EM TODAS SUAS FORMAS

O AMOR




AMOR PLATÔNICO

É aquele tipo de amor que somente um ama!
Que coloca o seu amado (a) num pedestal, imaginando que é um deus. Um ser de outro mundo.
Esquecendo que é um ser humano igual a ele, que também tem sentimentos.
Transferindo toda sua capacidade de amar, a uma pessoa que não é nada daquilo que imagina ser! Pura ilusão!
O resultado desse tipo de amor é frustração, baixa estima, isolamento!


AMOR POSSESSIVO

Este é o amor ciumento! O que quer mandar!
Aquele que julga que o outro é um pertence seu! Propriedade privada!
E que ninguém, nem mesmo amigos, tem o direito de usufruir da presença de tal pessoa.
Regula até mesmo o que a pessoa veste, come, anda, se comporta..... o que é um desrespeito a natureza humana.
A consequencia desse comportamento é viver sempre sozinho, e muita baixo estima! Insegurança total diante da vida!


AMOR DE ATRAÇÃO

Resume-se mais na pele. A famosa química entre duas pessoas.
Aqueles, do tipo - "pegam fogo quando estão juntos", e, infelizmente sempre se queimam.
É um amor quase que totalmente carnal! Resumido em sexo, tesão - prazer de um modo geral!
Na maioria das vezes são pessoas que visam somente as aparências, e que se acham o máximo, pois são capazes de tudo 'entre quatro paredes', mas incapazes de serem fiéis!
Pois o ego deles, o sabor da conquista é maior do que a possibilidade de realmente amar de verdade!


AMOR INCONDICIONAL

Somente Cristo, Buda, que transmitiram este tipo de amor!
Um amor que estava acima de tudo, acima do bem e do mal.
Onde não envolvia a matéria, o corpo, mas sim, espírito!
Um amor tão puro, que palavras seriam insuficientes para descrevê-lo, tamanha a grandeza!



AMOR VERDADEIRO

Este é o tipo de amor que todos procuram! Que todos desejam, e alguns, supostamente imaginam que tenham!
Vamos mais a fundo, o que viria a ser um amor verdadeiro!
Ele não faz chorar, ele impede que as lágrimas caiam.
Ele não critica, os defeitos do outro, fecha com suaves ataduras.
Ele não se julga nem superior, nem inferior, sabe que são todos iguais.
Ele ama ao outro, porque primeiramente, se ama!
Ele transmite segurança, e nada é baseado nas dúvidas.
Ele é caloroso, inteiro na hora de amar!
Ele não faz sexo, faz literalmente amor, usando todos os seus sentidos! Por este motivo está sempre "presente".
Ele também supera os desejos do sexo, consegue ser ainda mais forte!
Ele se comunica com um olhar, com um gesto, com um sorriso, um toque!
Ele aceita a pessoa como ela é, não lhe impõe regras ou exigências!
Ele é como um pássaro, precisa voar!
Ele não prende, ele solta....

Você percebeu a diferença??
Vou tentar explicar!

Os primeiros tipos de amor (menos o incondicional, claro), são puramente baseados no ego! É apego, é ilusão, efêmero! É igual a paixão: depois de um certo tempo se pergunta: o que eu vi naquilo???

São criações de nossa mente, é que projetamos o que queremos naquele momento, mas se esquece que o outro, é um ser humano igual a gente! E antes de ser seu companheiro (a), também é um ser humano.

Ninguém é dono de ninguém! Isso somente acontece quando permitimos. Ninguém tem poder sobre ninguém, isso é um fato!

E este último, bem, este é um amor quase como o incondicional, somente pelo fato de ter contato corporal íntimo, é que deixa de ser!

Este, mesmo que o outro tenha que ir embora, mesmo que tenha que seguir outra vida, sabe que se é para o melhor de seu amado (a), apóias em todos os sentidos.
E ainda assim, está sempre presente, estão sempre ligados um ao outro!

Mudança de País, de cidade, de estado, não importa, sempre estarão juntos espiritualmente, compartilhando sentimentos a distância!

Injusto?? Não! Pois sabe que o outro está bem.
Não importam os fatores, não importam os motivos. Banais com certeza não seriam, pois uma amor de verdade, jamais usa de banalidade para com seu amado.

É um amor maduro, inteligente, racional! Pois tem consciência, que ninguém é de ninguém!

Por isso, é leve, amável, desejável e procurado por toda pessoa da face da terra.
E sorte daquele que consegue esse tipo de proeza na vida.

Como conseguir?
É um trabalho árduo. Interior! Disciplinado a princípio, e se torna naturalmente, um AMOR VERDADEIRO.

Nada de contos de fadas, Romeu e Julieta...
Me aponte um caso de 'amor' que não tenha algum tipo de impecilho..
Ou é a família, ou uma doença, ou uma separação, que não permita que possa desabrochar este amor.

Então, como saber?
Na convivência diária!
Somente assim, você poderá descobrir quem é seu grande amor!
Não pense em alma gêmea, não idealize o homem ou a mulher perfeita. Eles NÃO EXISTEM.

Olhe ao seu lado! Quem é seu companheiro (a)?
Observe, preste atenção no tesouro que você tem em mãos e não sabe.

Respeite, admire, não passe por cima dos direitos dele. Seja leve, prazeroso, amável! E verá o que é o verdadeiro amor!

Sem amor, a vida não vale a pena!