segunda-feira, 9 de junho de 2014

DESPERTANDO A CONSCIÊNCIA - A Luz Libertadora do Desapego - Arcanjo Ezequiel (Zadquiel)

A Luz Libertadora do Desapego

 
Que a luz da sabedoria e a sensibilidade espiritual iluminem seu caminho e santuário interior.
Existem diversos fatores condicionantes que são obstáculos ao progresso espiritual e, ainda que tenhamos conhecimentos, se não fomentarmos indiferença quanto a tudo o que nos impede de expandir e de nos sintonizarmos com o plano divino, não progrediremos espiritualmente.

Sua condição existencial atual é a síntese dos processos de experimentação evolutiva em que as ancoragens são diversas. As duas ancoragens mais relevantes no seu processo espiritual são o ego mental, ou percepção errônea da realidade e a identificação com os objetos, circunstâncias e pessoas que são mecanismos de aprendizagem evolutivos.

Muitos Trabalhadores da Luz estão identificados com seu corpo físico e, portanto, com tudo aquilo que está relacionado a ele. Seu sentido de propriedade é uma inflação do ego que se produz quando o identificam com as circunstâncias, objetos, pessoas e o espaço-tempo em que vivem. Mesmo tendo informação espiritual, não as estão usando corretamente, porque seu ego está ancorado em parâmetros reacionários de propriedade, exploração e manipulação dos recursos energéticos e humanos que estão à sua disposição. Portanto, não compreendem a lei cósmica da transitoriedade e término das coisas, processos e circunstâncias.

O universo se rege pela lei axiomática da mutação constante como princípio de evolução, caso contrário, se produziria a estagnação e a regressão. Isto é o que ocorre a muitos trabalhadores espirituais que alcançaram certo nível evolutivo e cujas tendências de imobilização estão mascaradas por falsos conceitos e auto-engano.

Apesar da informação que estão recebendo, são muito poucos os que compreendem que a finalidade da evolução não é criar algumas condições existenciais melhores e mais estáveis, e sim descobrir que o que vocês denominam vida é um lapso fugaz na eternidade do tempo e uma oportunidade para se sintonizar com o plano divino.

Todos os objetivos que atingiram e que não contribuem com o seu crescimento interior estão fadados inexoravelmente ao fracasso e à frustração. É necessário que compreendam que a única bagagem que portam em cada processo evolutivo são os paradigmas espirituais que tenham integrado em seu Ser Essencial. Vocês são expressões divinas que receberam a oportunidade de recuperar seu status espiritual e sintonizar-se com o mundo do serviço mediante o amor incondicional e a colaboração fraternal, sem expectativas de nenhum tipo. Sua Essência Divina é intrinsecamente uma unidade de serviço e seu único bem, alegria e sabedoria estão em ser um instrumento de crescimento, orientação e inspiração para os demais.

Suas práticas espirituais não darão o fruto desejado enquanto continuarem nutrindo padrões e conceitos errôneos que nada têm a ver com a expansão da consciência e com o serviço divino. Mesmo praticando determinadas disciplinas de crescimento espiritual, continuam ancorados às práticas rotineiras cuja motivação e finalidade são errôneas. Sejam de qual tipo for, as práticas têm finalidade específica, que é desenvolver maior conexão com o plano divino e se desvincular do plano físico-mental em que vivem.

A felicidade que tanto almejam como aspecto consubstancial de ser, repousa no grau de desapego que desenvolvem em relação a tudo que obstrui a conexão com Deus e com o serviço divino.

O universo funciona baseado no serviço, e os seres de luz mais evoluídos do universo são os guardiões e mentores evolutivos encarregados de que a corrente de serviço divino flua plenamente no universo. Para progredir espiritualmente é preciso compreender que, como seres de luz, estão destinados a integrar os paradigmas do amor divino que implica serviço desinteressado, colaboração fraternal e desapego de conceitos, atitudes, hábitos e valores que ofuscam sua sensibilidade e visão espiritual.

O crescimento espiritual não está relacionado com objetivos de engrandecimento pessoal, reconhecimento social, status econômico, etc. O nível espiritual de uma pessoa se estabelece em função de sua indiferença aos prazeres sensuais e a não identificação com circunstâncias, lugares, pessoas e objetos; não porque sintam repulsa em relação a eles, mas porque conhecem perfeitamente como utilizá-los para o serviço divino e contribuir com o despertar e o crescimento espiritual pessoal e dos demais.

É importante não confundir o desapego com indolência, como estratégia evasiva que o ego espiritual utiliza para não assumir responsabilidade por seu processo evolutivo. Tudo o que existe no universo é energia criativa divina que deve ser utilizada para fomentar amor, harmonia e beleza em nossa vida, mas não para explorá-la com fins pessoais.

Conhecimento implica em ser consciente de que o universo é o mecanismo que o Criador Infinito utiliza para manifestar sua grandeza, amor e beleza e para nos convidar para que colaboremos com o plano cósmico da evolução. Quando utilizam sua energia criativa com finalidades pessoais, estão ultrajando seu Ser Essencial e ofuscando sua sensibilidade espiritual. Uma das leis axiomáticas cósmicas é compreender que tudo o que existe no universo é uma emanação do poder criativo de Deus e, por conseguinte, devemos utilizá-lo para gerar laços de conexão e sinergia amorosa entre “Todos e Tudo” o que existe.

Enquanto continuarem se identificando com o que os rodeia, com seu corpo e mente inferior, sua percepção da realidade será errônea e desenvolverão a tendência de possuírem tudo aquilo que satisfaça os desejos perniciosos do ego. Desta forma, os delírios de grandeza ofuscarão sua sensibilidade espiritual, desenvolvendo tendências regressivas que os levarão fatalmente à exploração e manipulação da energia criativa, pessoas e demais formas de vida.

Um dos sintomas mais relevantes da estagnação e deterioração espiritual é quando se desenvolve uma forte atração em relação a prazer sensorial e a posse de tudo aquilo que o promova. Na atualidade, o hedonismo com matizes espirituais é uma tendência muito difundida entre os trabalhadores espirituais. Esta é outra das estratégias do ego espiritual para justificar condutas e atitudes dissonantes que nada têm a ver com o crescimento e transformação interior.

Segundo o nível de crescimento espiritual, assim se manifestará maior desapego em relação àquelas práticas, atitudes, conceitos, hábitos e valores que não desenvolvem pureza de coração, desapego, compaixão, e colaboração fraternal.

Sua vida está fundamentada em uma rede letal de apegos que vão desde o mais rústico ao mais sutil, e o ego mental é a origem de todos eles. O mais simples é se justificar com premissas de crescimento espiritual e não abordar com integridade e sinceridade os lacres evolutivos que, como parasitas, absorvem sua sensibilidade espiritual e ofuscam sua percepção da realidade. Os apegos mais rústicos são os que estão relacionados com o seu corpo físico, e a identificação com ele gera atitudes agressivas e exploradoras. Exemplo de apego rústico é o senso de propriedade exagerado que se tem em relação a objetos, circunstâncias e pessoas.

Os apegos sutis estão relacionados com o plano mental-intelectual ao se identificar com ideologias pseudo-espirituais, com atitudes discordantes e ególatras, com hábitos perniciosos e com conceitos errôneos. Desta forma, vocês entram num labirinto existencial que acaba devorando sua integridade e sensibilidade espiritual, provocando uma desconexão com o seu Ser Essencial e com o plano divino. Esta é a dinâmica habitual que pode se produzir na vida dos investigadores espirituais se seus propósitos não são honestos e sua sinceridade não é capaz de discernir entre auto-engano e desafio evolutivo.

O auto-engano é a ferramenta que o ego espiritual utiliza para que se enfrente os processos de transformação que costumam ser dolorosos devido à resistência à mudança. O desafio evolutivo é o mecanismo que o Ser Essencial emprega para recuperar seu status divino e despojar-se dos lacres que o obscurece.

A luz libertadora do desapego é o suporte espiritual que os ajudará a despojá-los dos lastros evolutivos que os impedem de recuperar sua glória e plenitude divina.

O desapego é uma faculdade do Ser Essencial que está à sua disposição, e quando o ativam, experimenta-se uma leveza, harmonia e júbilo interior indescritíveis. Os grandes mestres do passado foram um símbolo do desapego porque viviam em sintonia e sinergia com Deus, o universo e a evolução.

Desapego é afrontar conscientemente os desafios evolutivos com a atitude de gratidão, assumindo plena responsabilidade e com a convicção de que o esplendor, a beleza e o amor divinos se manifestarão em seu interior.

Vocês são luz divina imortal, e a atração para a luz infinita do Criador é a finalidade da evolução.