sábado, 18 de março de 2017

EQUILÍBRIO E HARMONIA - Sua casa é o cenário principal da sua vida - Feng Shui

Sua casa é o cenário principal da sua vida 



Se você quiser dar um passo mais longe, tente usar feng shui com a lei da atração. Você pode usar o  Poder natureza que há na mente sobre a matéria  com o Feng shui - é a arte da ciência de organizar e utilizar elementos na sua ambiente para permitir que o fluxo de energia, também chamada de Chi.

O livro de Rhonda Byrne O Segredo da Lei da Atração segue os princípios "semelhante atrai semelhante" e "pensamentos se tornam coisas." Ele afirma que tudo no mundo é feito de energia e você pode usar seus pensamentos para atrair energias que trazem felicidade, saúde, amor e riqueza. Usados ​​em conjunto, feng shui e a lei da atração são poderosas ferramentas para melhorar sua vida.



A Desordem dos papéis 
0 que é que os papéis têm que os tomam tão atraentes? Foi previsto que a era eletrônica reduziria a quantidade de papel em uso mas, para espanto de todos, estamos usando mais papel do que jamais o fizemos antes. Eis como lidar com algumas das áreas mais cheias de truques.

Livros
Apegar-se a livros antigos é um problema muito comum, espe­cialmente entre pessoas de mente indagadora. Para muitos, os livros são como companheiros fiéis. Estão sempre lá para lhes fazer companhia quando precisam deles, para lhes proporcio­nar conhecimento, inspiração, entretenimento e estímulo numa miríade de maneiras diferentes.

 Pode representar a sabedoria que você procura, e os livros  podem estar no lugar de Professor que nunca libera o aluno para a Vitória, assim, você precisa passar na prova e ler e estudar tudo aquilo que você acumulou. Pode ser que você nunca seja aprovada no final da estória.

Mas o problema de se apegar a velhos livros, pode ser  que é  isso não deixa que você crie espaço para que novas ideias e novas maneiras de pensar,  que você conheça novos amigos, novos espaços em sua vida.  Será que você está trancada na casa dos livros, como uma punição para um aluno que nunca termina a lição.

Seus livros represen­tam simbolicamente suas ideias e suas crenças, e quando você os tem em número demasiado, assentados nas prateleiras da sua casa, você pode se enrijecer em seu modo de ser, com a arrogância do saber, ou da busca do saber e da razão, e desenvolve energia embolorada como os velhos livros embolorados dos quais você se cerca.


Com frequência, quando sou chamada para fazer uma con­sulta para uma pessoa instruída que está tendo dificuldade para encontrar um parceiro amoroso, descubro que no canto dos relacionamentos da casa, ou no canto dos relacionamentos de um compartimento muito usado da casa, há uma grande estan­te entupida de livros antigos.

 Sem nada conhecer a respeito do Feng Shui, essa pessoa fará isso porque lhe “parece certo” deixá-los ali — porque na realidade seu relacionamento básico é com os livros!

Também são esses os tipos de pessoas que têm uma pilha de livros junto à cama para ler à noite — mais uma vez, um substituto para o relacionamento.

 Mudando a estante ou, pelo menos, abrindo espaço nas prateleiras, também se cria espaço para que novos interesses e novos relacionamentos in­gressem na sua vida.
Talvez você tenha tantos livros que eles extravasaram das prateleiras e fizeram residência em outras locações. Estão empilhados no alto da escrivaninha, na mesa do café, junto à sua poltrona favorita ou no banheiro.

Aprenda a se livrar dos seus livros quando chegar a hora. Comece com livros de cozinha que você nunca usou (não, não os abra à procura de receitas!).

Passe agora para os manuais e livros de referência que você nunca tocou durante anos, livros infantis que você ou os seus já deixaram para trás, romances pelos quais você não se interessou o bastante para começar ou para terminar, livros com teorias com as quais você não con­corda.

Prossiga com os volumes que estão em lugares tão ina­cessíveis que você não toca neles há décadas ou são tão antigos que se desintegraram com o tempo. Em seguida, há livros que o inspiraram profundamente anos atrás mas cujas ideias agora estão tão incorporadas em você que você não tem mais neces­sidade de lê-los.

 Proponha-se a se limitar a uma coleção de livros que o representam como você é agora, bem como o seu almejado “eu” de amanhã; Acrescente alguns livros de referên­cia que você usa comumente, dê-se ao luxo de possuir alguns outros livros simplesmente porque você gosta deles, ou porque gosta de suas associações com eles, e se desfaça do restante.

Doar livros para a biblioteca local é uma excelente solução se você está realmente preocupado com a possibilidade de perdê-los. É muito confortador saber que, se voltar a precisar deles, poderá pedi-los de volta por algum tempo.

 Enquanto isso, eles estão sendo úteis para outras pessoas, em vez de fica­rem entupindo suas prateleiras e entupindo a sua vida. O que é interessante a respeito de doar livros para a biblioteca local é que as pessoas muito raramente precisam pedi-los de volta para novas consultas.

 Depois de se desfazer deles, as pessoas mu­dam para algo novo e se esquecem de tudo a respeito desses velhos tomos.

Revistas, Jornais e Recortes
Numa casa que visitei, havia todo um quarto cheio de revistas sobre aviões, que estiveram esperando mais de vinte anos para serem postas em ordem, de modo que o dono pudesse desco­brir que números estavam faltando para completar a coleção.

 Quando lhe perguntei o que ele faria quando a coleção estives­se completa, ficou confuso. Teve de pensar durante um longo tempo para se lembrar da razão por que queria essas revistas.

 Colecionar tomou-se o seu objetivo, em vez de elas serem utili­zadas paia algum propósito. Quando resolveu parar com a coleção e desfazer-se dela, escreveu para me contar a respeito do enorme alivio que sentira ao levá-las para um depósito de reciclagem local e como era maravilhoso ter um quarto extra em sua casa, de modo que podería agora convidar hóspedes!

O estúdio de outra cliente desaparecera sob um mar de jornais e de revistas que ela estivera conservando até que tives­se tempo para selecionar artigos que a interessavam.

Também havia três enormes, pilhas de recortes junto da escrivaninha, à espera de uma posterior seleção e arquivamento. Quando su­geri que ela podería jogar todas àquelas pilhas no lixo, o que lhe proporcionaria um revigorado reinicio, o pânico subiu-lhe aos olhos, como se isso pudesse ter consequências que amea­çassem a sua vida!

Quando dedicamos um minuto para as exa­minarmos juntas, objetivamente, ela percebeu que estava de fato com medo de que, inadvertidamente, jogasse fora algum artigo que se comprovaria vital para a sua existência.

Trata-se de uma variação da síndrome “isto-pode-vir-a-ser-útil-algum-dia”, que se baseia mais no medo que na confiança de que a vida lhe trará exatamente aquilo de que necessita, quando necessitar.

E maravilhoso querer continuar aprendendo ao longo de todos os dias da vida. Porém, nós hoje somos bombardeados com tantas informações que precisamos ser seletivos. Se você quer guardar recortes, crie um sistema de arquivamento para eles e mantenha-os atualizados.

 Faça triagens periódicas e livre- se de informações que não tenham mais validade. Se você tem uma pilha de recortes à espera de serem arquivados, estabele­ça para si mesmo um lapso de tempo razoável (digamos, até por volta do fim do mês) e, se não forem arquivados até então, arquive-os na cesta de lixo.

 Quando tiver acabado com suas revistas, não passe a tesoura nelas. Leia-as e doe-as para hospi­tais, dentistas, casas de enfermagem, escolas e outros lugares públicos onde possam ser utilizadas, ofereça-as a parentes, amigos ou colegas que poderão desfrutar delas, ou então ape­nas as recicle.

Encorajei essa cliente a se sentar e fazer uma lista das mui­tas coisas que ela queria fazer na vida, mas que não se decidia a fazer devido a tarefas não incluídas como essa. Isso abriu-lhe uma perspectiva completamente nova, na qual pôde rever to­das as tarefas que estabelecera para si mesma, e tomou-se uma decisão fácil para ela manter apenas uma pilha recente de re­vistas e enviar o restante para o seu destino.

 Na vez seguinte em que a vi, a mudança era notável. A melancolia cinzenta que pairava ao seu redor tinha sumido, e até mesmo o inchaço sob os seus olhos desaparecera completamente, e tudo perto dela se tomara animado e vivo.

Parecia que ela não havia se limita­do aos recortes de papel, mas acabara fazendo uma limpeza em todo o seu estúdio e em seguida em toda a casa. Isso revitalizou totalmente a sua vida.

As rotinas podem desconectar-nos. As vezes elas são adotadas para dis­farçar medos ou falta de controle ou para expor uma falsa imagem ao mundo. Cabe a você verificar se uma rotina é exagerada ou normal ou se ela exerce um impacto positivo ou negativo sobre a vida da pessoa obser­vada.

 Uma rotina inflexível que, quando quebrada ou interrompida, leva a pessoa a ficar em pânico, irritada ou aborrecida, geralmente é uma rotina que sepa­ra dos ritmos normais da vida. Esses ritmos precisam de certa flexibilidade para que a diversidade não nos cause temores. O Tao é o equilíbrio e a harmonia .

Sinais de Rotinas Preocupantes

- ter só certos produtos na geladeira
- ter uma hora fixa imutável para jantar
- limpar compulsivamente

- ter de manter uma determinada porta (não incluindo as de banheiros e armários) aberta ou fechada o tempo todo
- ter de deixar o telefone tocar um número determinado de vezes antes de atender

- baixar as persianas até uma posição exata ou abrir as cortinas precisamente até um determinado ponto.
- separar um quarto para guardar jornais e papeis velhos.

Falta de Relacionamentos Passados
Bart conheceu Annabelle através de um anúncio pessoal. Nem um nem outro acreditava na sorte de encontrar um companheiro inteligente, comu­nicativo e adulto, e ambos procuravam um ao outro.

 Os dois gostavam de música e de filmes e sentiam um prazer especial em viajar. Suas diferenças, porém, eram bem visíveis em suas respectivas casas.

Aos quarenta e poucos anos, Annabelle acumulara dois animais de esti­mação, uma casa cheia de plantas e de peças artísticas e muitos, móveis con­fortáveis e bem cuidados.

 Bart, por sua vez, apesar de ser da mesma idade, chegara à cidade recentemente apenas com o que cabia no porta-malas do carro. O apartamento, alugado, dispunha de pouca coisa, e ele não acres­centou nada para personalizá-lo.

Ele se alimentava em pratos de polis descartável e não tinha nada que lhe lembrasse a família ou os amigos passados. Eles se casaram, mas quando os problemas de Bart — sua incapacidade de relacionar-se com amigos ou com um trabalho — não puderam mais ser desconsiderados, eles se separaram, dolorosamente.

 Se Annabelle tivesse entendido os sinais evidentes da dificuldade de Bart para estabelecer vínculos, na casa de Bart, ela teria evitado um erro desastroso.

O Tao é oniabrangente, e quando ignoramos partes que compõem esse todo, em algum momento pagamos o preço. Como a melodia de uma canção  bem elaborada, o Tao do espaço pessoal tem notas que, quando toca­das, devem produzir um refrão harmonioso.

 "Três tipos de sorte Segundo Marie Diamante, uma mestra de feng shui e o, cada pessoa tem três tipos de sorte:

 Sorte do Céu que depende do tempo, local, data e circunstâncias.

 Sorte individualizada é construída por suas atitudes, comportamentos, palavras e visão do mundo. vida. 

Sorte da Terra , que é afetada por seu ambiente: sua casa, seu local de trabalho e seu entorno Diamante acredita que os três tipos de sorte estão interligados e melhoria pode-se positivamente afetar os outros. 

Melhore a sua casa, e você vai pensar, sentir e agir de forma diferente. (Sorte – raiz- Terra) melhorar a forma como você pensa, sente e age, e você vai melhorar o seu destino. (Sorte Humano).

 Melhore o seu destino, e você vai atrair seus maiores sonhos. (Céu - sorte) Entre os três tipos de sorte,  o mais fácil de mudar de imediato é a sorte da Terra, mais especificamente em sua casa. Enquanto mudar uma vida inteira de comportamentos e pensamentos pode levar anos, melhorando o seu entorno para permitir o bom fluxo de energia pode ser feito em questão de minutos.

 Como usar o feng shui e Lei da Atração (LOA) para melhorar a sua vida.

A lei da atração envolve três processos básico: Peça, acredite e receba. Você precisa se concentrar no que você quer e assim, você atrai  o que quer para sua vida. Isso não significa que você esperar passivamente que as coisas aconteçam. 

 Juntamente com a fé, você também tem que tomar medidas inspiradas para realizar seus objetivos, para  realização ocorra. Você precisa unificar a mensagem que você está enviando para o Universo: "Você pode atrair felicidade e riqueza com o espírito, com a mente, mas se sua casa não está refletindo a harmonia que move o universo, o universo não pode realizar "
 Este é o lugar onde feng shui entra. Use-o para melhorar e aproveitar a energia em seu entorno, criando harmonia entre você e seu ambiente. 

J. Brucal