sábado, 23 de julho de 2016

DESPERTANDO O CONHECIMENTO - Formas-pensamento - O QUE É? - Entendendo as formas-pensamento - FLUIDOS DO PENSAMENTO, MIASMAS E LARVAS ASTRAIS

Formas-pensamento


FLUIDOS DO PENSAMENTO, MIASMAS E LARVAS 

ASTRAIS



Nossos pensamentos são também fluidos que emanamos pela força mental que vezes carregam nossas emoções e assim, lançadas no espaço acabam criando as chamadas formas pensamento.

As formas pensamento por nós emitidas são capazes de alcançar pessoas, lugares, animais; costumamos ouvir que as preces emitem energia de amparo e amor a quem se destina e é acertada a afirmação.

Pois há uma ligação formada pelo pensamento e a pessoa a que se destina, de forma consciente.

Quando, por pensamento desejamos que alguém se saia bem em suas atividades (entrevistas, novo emprego, desejos de melhora e saúde, e refazimento,etc) estamos sim emanando energias que se tranformam em formas pensamento(com um emissor e um receptor). 

Se o pensamento for negativo o mesmo ocorre e também formam e enviam ao receptor as formas pensamentos do emissor (inveja, raiva, preconceitos,etc) sendo muito comum observarmos que muitos chamam de "mau olhado" o efeito das formas pensamentos criadas.

Observa-se que estas formas pensamentos são além de energias, energias plásticas; pois quando geradas se plastificam em formatos (formas) variados e correspondentes ao tipo de pensamento emanado.

Se forem positivas de fato sentimos suas boas vibrações independente do fator tempo/espaço; se são negativas percebemos ou captamos as vibrações da mesma maneira e podemos percebe-las (já se sentiu mal estando ao lado de alguma pessoa ou lugar? ou quando comenta sobre determinados assuntos?)

Todas essas sensações se dão de acordo com a energia que se emana, reflita aqui, neste ponto sobre sí mesmo, seus pensamentos e o que emana, pois o que emana também atrai na faixa das sintonias. Assim



Formas pensamento ou fluidos (escreve-se  e lê-se fluido e não fluído) partem do pensamento e plastificando-se se tornam miasmas, estes de acordo sempre com a fonte (boa ou não).

Miasmas podem afetar nossa psicosfera (ou aura) por ser uma emanação eletromagnética, capaz de alterar nosso padrão psíquico, nosso estado emocional e físico do momento.

Se estes miasmas forem miasmas deletérios (fluidos negativos) a energia poderá, de acordo com o estado em que nos encontramos, nos acercar e perturbar. Influenciando-nos aos maus pensamentos e atingindo não somente a nós como ao ambiente, carregando-o de negatividade.

Para que tal cenário não aconteça devemos estar conscientes de nossos próprios pensamentos e equilibrados com energias boas (nossos bons atos, bons pensamentos, orações servem de bloqueio para as más energias pois vibram em outra faixa, nos distanciando dos efeitos das faixas vibracionais mais baixas ou densas).     

O Evangelho no Lar, feito constantemente acaba gerando um bloqueio das formas pensamentos emitidas por outros quando nocivas; por questão de afinidade são formadas barreiras de proteção, em que nossos amigos espirituais nos auxiliam a criar para nosso próprio bem.

Outra possibilidade existente é a formação das chamadas larvas astrais. Neste caso a viciação do pensamento negativo (não um simples pensamento negativo,mas um pensamento negativo constante alimentado) são capazes de criá-las.Daí os efeitos são mais nocivos, quem se interessar poderá encontrar material na internet.

Escolhi um para o post para exemplificar, a partir da transcrição do livro pscicografado por Chico Xavier pelo espírito André Luiz, postado no forumespirita.net:

Para entender como surgem as larvas astrais vamos continuar com o que diz o instrutor Alexandre a André Luiz, no capítulo 4 do livro Missionários da Luz: "Você não ignora que, no círculo das enfermidades terrestres, cada espécie de micróbio tem o seu ambiente preferido. ... Acredita você que semelhantes formações microscópicas se circunscrevem à carne transitória? Não sabe que o macrocosmo está repleto de surpresas em suas formas variadas? 

No campo infinitesimal, as revelações obedecem à mesma ordem surpreendente. André, meu amigo, as doenças psíquicas são muito mais deploráveis. A patogênese da alma está dividida em quadros dolorosos. A cólera, a intemperança, os desvarios do sexo, as viciações de vários matizes, formam criações inferiores que afetam profundamente a vida íntima. 

Quase sempre o corpo doente assinala a mente enfermiça. A organização fisiológica, segundo conhecemos no campo das cogitações terrestres, não vai além do vaso de barro, dentro do molde preexistente do corpo espiritual. Atingido o molde em sua estrutura pelos golpes das vibrações inferiores, o vaso refletirá imediatamente."

Ainda no mesmo capítulo, Alexandre continua: "Primeiramente a semeadura, depois a colheita; ... Não tenha dúvida. Nas moléstias da alma, como nas enfermidades do corpo físico, antes da afecção existe o ambiente. As ações produzem efeitos, os sentimentos geram criações, os pensamentos dão origem a formas e conseqüências de infinitas expressões. 

E, em virtude de cada Espírito representar um universo por si, cada um de nós é responsável pela emissão das forças que lança em circulação nas coerentes da vida. A cólera, a desesperação, o ódio e o vício oferecem campo a perigosos germens psíquicos na esfera da alma. 

E, qual acontece no terreno das enfermidades do corpo, o contágio aqui é fato consumado, desde que a imprevidência ou a necessidade de luta estabeleça ambiente propício, entre companheiros do mesmo nível. ... 

Cada viciação particular da personalidade produz as formas sombrias que lhe são conseqüentes, e estas, como as plantas inferiores que se alastram no solo, por relaxamento do responsável, são extensivas às regiões próximas, onde não prevalece o espírito de vigilância e defesa."

Como vemos, as larvas astrais surgem dos excessos e desequilíbrios físicos, emocionais e espirituais de toda sorte, pela repetição contínua de uma mesma conduta, física e/ ou mental, o que causa o acúmulo de energias mais densas em determinadas regiões do organismo, as quais se organizam na forma de colônias de microorganismos astrais.

As conseqüências são as mais variadas, podendo ir desde problemas físicos, graves ou não, até perturbações espirituais que, se não combatidas a tempo, podem se transformar em sérios distúrbios psíquicos, acarretando sérias complicações para o encarnado, nesta vida e nas próximas. Larvas astrais são bastante "aderentes" e se multiplicam com muita facilidade, bastando, para isso, que se lhes ofereçam as mínimas condições mentais e energéticas.

Dependendo da extensão do problema, serão necessárias muitas aplicações energéticas para limpeza, desinfecção e re-harmonização da região afetada, o que pode exigir a atuação de vários aplicadores, em várias sessões, para que estas colônias sejam enfraquecidas e não possam mais se expandir, vindo a desaparecer. 

Mas, como em qualquer tratamento físico, a colaboração do "paciente" é imprescindível, uma vez que estas larvas são criadas e alimentadas pelas energias geradas pelos seus próprios pensamentos e sentimentos. 

Assim, além das aplicações energéticas, é necessário que se oriente e conscientize a pessoa sobre como e porque mudar os seus hábitos mentais e as suas atitudes, garantindo que ela mesma não mais oferecerá condições para que estas larvas se instalem e espalhem.

Se larvas astrais são criações mentais, geradas a partir de pensamentos e sentimentos desequilibrados, a prevenção se faz, também aqui, pelo equilíbrio e o controle do que pensamos e sentimos. Não há outro meio. Como já dito muitas vezes, sintonia é a "alma" do universo. Tudo funciona segundo as suas leis e só viveremos com aquilo que nós mesmos criarmos ou atrairmos a partir do que geramos dentro de nós.

Entendendo as formas-pensamento


Nosso corpo físico é apenas a manifestação densa de um conjunto de corpos energéticos mais sutis, ou seja, corpos de luz. A nossa verdadeira identidade é essa energia primordial, moldando-se de acordo com os nossos sentimentos, emoções e pensamentos. É possível concluir que o corpo físico de qualquer ser é apenas o veículo para a alma, ou seja, onde a essência se aloja e mora por um período para que ela possa adquirir conhecimento e evoluir. Esse período é conhecido como vida ou encarnação.

O corpo denso é a resultante física manifestada do nível evolutivo do nosso espírito, dos nossos pensamentos, nossas emoções. Não é o corpo físico que molda o nosso espírito ou nossa essência, mas o nosso espírito que molda nosso corpo físico, graças à capacidade que nossas emoções e pensamentos têm de modificar esse padrão vibrátil a todo instante. 

Como o nosso espírito sofre influência direta dos nossos pensamentos e sentimentos, tudo o que pensamos e sentimos fica impregnado em nossa essência.Dessa forma, se pensamos coisas boas, expandimos e ampliamos a nossa energia. Obedecendo a mesma regra, se pensamos e nos ligamos em coisas negativas, perdemos energia, vitalidade. Assim sendo, temos a nossa essência alterada negativamente pela influência de aspectos pessimistas, densos, mesquinhos, materialistas, dentre outros.

O corpo físico é apenas o sinalizador das condições em que o espírito se encontra. A doença é a indicação de que algo está errado, pois mesmo se manifestando no corpo físico, a causa primária sempre será uma desarmonia no espírito que impregnou-se (somatizou) de energias negativas oriundas dos sentimentos, pensamentos conflitantes.

As causas espirituais de doenças também são de ordem vibrátil. Se o campo energético desses corpos de luz estiverem abalados pela influência dos sentimentos e pensamentos que rebaixam a freqüência vibratória, consequentemente assumiram padrão similar aos intrusos espirituais. O corpo físico é a exposição da essência interior, é uma espécie de “mapa” da alma, pois externa o que ocorre no nosso “Eu interior”.

A aura é a condensação das energias da alma. Pode se expandir, tornar-se maior ou menor de acordo com o nível de consciência, evolução espiritual e estado de espíritoQuanto menos expandido é esse campo energético, mais sensível e delicada é a saúde física do indivíduo. Uma pessoa com qualquer doença física tem seu campo de energia debilitado, frágil e com falhas energéticas (causa primária). 

Essas falhas ou falta de energia na aura é o início da doença que muitas vezes ainda nem se manifestou no corpo físico. Analisando por esse ponto de vista, quanto mais expandida e irradiante for a aura de uma pessoa, mais saúde em todos os aspectos ela terá. O contrário será igualmente verdade: quanto mais reprimida e menos expandida a aura for, maior será a tendência da pessoa adquirir doenças de qualquer espécie.

Quando se atinge uma expansão da energia pessoal, naturalmente obtida através de uma prece sincera, possibilita-se uma conexão com a consciência divina, presente em uma freqüência muito mais sutil da que vivemos. 

Essa sintonia torna a aura mais sutil também e isso a compatibiliza com as energias superiores, o que traz para a pessoa bem estar, equilíbrio, plenitude, auto-realização, saúde geral, criatividade, felicidade e muito prazer pela vida.
Em resumo, a sintonia mental tem o poder de moldar o corpo de luz, criando vibrações específicas que se manifestam a ponto de criar formas condensadas. Essas formas energéticas produzidas pelo pensamento a partir do corpo mental do emissor se revestem da energia circundante no plano extrafísico, onde se manifestam, tornando-se, assim, criaturas artificiais temporariamente vivas que podem influenciar as pessoas de maneiras variadas. Uma esplêndida gama de cores a acompanha, com intensidades e variedades incrivelmente intensas. 

O corpo mental projeta para o exterior uma porção energética vibrante de si mesmo que toma uma forma determinada pela própria natureza dessas vibrações. Essa atividade mental produz uma espécie de atração da matéria elementar do mundo mental, cuja natureza é particularmente sutil.

Dessa maneira, temos uma forma-pensamento pura e simples: uma entidade vivente, de uma atividade intensa, criada por uma idéia que lhe deu nascimento. Se essa forma é constituída pela matéria mais sutil será tão poderosa quanto enérgica e poderá, sob a direção de uma vontade definida, equilibrada e firme, desempenhar um papel de alta transcendência. 

“Formas-pensamento são causadas pelo pensamento atuante que gera uma forma. Essa forma passa a ser uma energia acoplada ao campo energético. Quando combinadas com a projeção das emoções interiores tendem a se potencializar e se vitalizar como entidades pensantes. Ocorrem normalmente na região dos chacras principais. Se instalam na aura da pessoa, exercendo forte influência em seu modo de agir e atrair acontecimentos”.

Toda forma-pensamento criada ganha potência e intensidade de acordo com a natureza dos desejos do campo emocional que amplifica a significância da entidade criada pelo mentalismo, ou seja, a combinação da projeção do pensamento com os desejos fortalece e vivifica a forma pensamento ativa.

O corpo emocional desse corpo de luz ou aura é constituído de uma matéria mais densa, porque é peculiar ao homem de pouca evolução espiritual, de baixo nível de consciência, ainda viciado nas paixões mundanas, nos sentimentos de caráter animalizados e egoístas. À medida que a evolução espiritual e o altruísmo vai fazendo parte da essência dessa pessoa, seu corpo emocional, antes delgado e predominante, refina-se e clarifica-se dos tons sombrios característicos dos desejos primitivos e das paixões terrenas. A conseqüência nesse caso é que as nuances escurecidas se dissipam, manifestando elevação de consciência.

“O poder da forma de pensamento depende da energia mental combinada com a força da paixão ou desejo”.



Princípios gerais das formas-pensamentos

Três princípios gerais governam a produção de todas as formas-pensamento: 
1. A qualidade dos pensamentos determina a sua cor;
2. A natureza dos pensamentos determina a sua forma;
3. A precisão dos pensamentos determina a nitidez dos seus contornos.

Cada pensamento bem definido produz um duplo efeito: 
1. uma vibrante radiação (energia);
2. uma forma suscetível de flutuar pelo espaço.

Tipos de formas-pensamento

Do ponto de vista das formas que os pensamentos criam, podemos dividi-las em três tipos:
1. As formas que produzem a imagem do pensador;
2. As formas que produzem a imagem de alguma pessoa ou objeto material;
3. As formas com feição inteiramente própria, expressando as suas inerentes qualidades na matéria que atraem ao seu redor.

Do ponto de vista das formas que os pensamentos criam, podemos classificar a sua composição em dois tipos:
1. Forma de pensamento pura;
2. Forma de pensamento composta.

Do ponto de vista das formas que os pensamentos criam, podemos classificar o seu campo de ação em três tipos:
1. Formas de pensamento que gravitam em torno do seu próprio criador;
2. Que gravitam em torno de egrégoras compatíveis com o seu padrão energético;
3. Que gravitam em torno de um alvo específico.



Como eliminar formas pensamento

Durante nosso estudo e prática da meditação, nos distanciamos do corpo físico e buscamos refúgio em nosso corpo mental. Através da prática, eventualmente este se torna o centro da consciência e passa a funcionar como ponto de partida para a polarização no corpo causal, e mesmo na tríade superior.
 
Porém existem alguns perigos contra os quais devemos nos resguardar. Um deles é o da inibição, através da força de vontade, do funcionamento dos corpos inferiores.
 
Imagine que o corpo mental é um ovóide, englobando o corpo físico e se extendendo muito além dele. Circulando nesta área ocupada pelo corpo mental estão muitas formas pensamentos, sejam nossas ou do ambiente que nos cerca, colorindo o corpo mental de acordo com as atrações predominantes e diversificando-o por muitas formas geométricas, todas em um estado de "fluxo", em movimento constante. Quando alguém tenta inibir ou suprimir o movimento do corpo mental através da força de vontade, essas formas se "cristalizam", causando fadiga (pois isso tem um efeito sobre o cérebro físico) e trazendo toda sorte de consequências caso essa condição persista ou se repita por muito tempo.
 
Mas todos que estão começando a meditar fazem isso, em maior ou menor grau. Como então eliminar essas formas que circulam em nosso corpo mental, em especial no inferior, e que nos desviam do propósito da meditação - quando não de nossas atividades cotidianas? A sugestão abaixo ("Cartas Sobre Meditação Ocultista", Alice Bailey) é uma forma simples e segura de procedermos:
 
  • Traga sua consciência para um ponto dentro do cérebro
  • Visualize o corpo mental como um ovóide, através do qual circulam as formas mentais que criamos e as do ambiente que nos cerca, colorido pela tônica dessas atrações e diversificado por muitas formas geométricas, todas em um estado de constante circulação
  • Entoe a Palavra Sagrada (OM) gentilmente por três vezes
  • Visualize a sua expiração ao entoar o mantra como uma força clarificadora, que em seu progresso adiante expurga as formas pensamento circulando dentro do ovóide mental, varrendo-as para longe.
  • Ao final desse processo, perceba que o seu corpo mental está limpo, livre das formas pensamento
  • Eleve então sua vibração o máximo que puder, buscando transferi-la do corpo mental para o causal, trazendo a ação direta do Ego sobre os três veículos inferiores.

Enquanto conseguir manter sua vibração desta forma, o corpo mental permanecerá em um estado de equilíbrio, livre das formas pensamento do ambiente e de vibrações mais baixas. A força do Ego irá circular no ovóide mental, não permitindo a entrada de outras formas mentais, e o perigo da inibição terá sido evitado.
 
Neste processo, a matéria mental também passará pouco a pouco a estar sintonizada em uma vibração mais alta, até que em algum momento essa vibração se torne estável e automaticamente mantenha afastado o que é mais baixo e indesejável.

Bruno J. Gimenes
Site Somos Todos UM