sexta-feira, 24 de junho de 2016

DESPERTANDO O CONHECIMENTO - ENTENDENDO A LINGUAGEM CORPORAL - QUANDO A BOCA CALA, O CORPO GRITA…

O CORPO FALA

QUANDO A BOCA CALA, O CORPO GRITA…



"A enfermidade é um conflito entre a personalidade e a alma.

O resfriado escorre quando o corpo não chora.

A dor de garganta entope quando não é possível comunicar as aflições.

O estômago arde quando as raivas não conseguem sair.

O diabetes invade quando a solidão dói.

O corpo engorda quando a insatisfação aperta.

A dor de cabeça deprime quando as dúvidas aumentam.

O coração desiste quando o sentido da vida parece terminar.

A alergia perece quando o perfeccionismo fica intolerável.

As unhas quebram quando as defesas ficam ameaçadas.

O peito aperta quando o orgulho escraviza.

A pressão sobe quando o medo aprisiona.

As neuroses paralisam quando a “criança interna” tiraniza.

A febre esquenta quando as defesas detonam as fronteiras da imunidade.

Os joelhos doem quando o orgulho não se dobra.

O câncer mata quando não se perdoa e/ou cansa de viver.

E as dores caladas? Como falam em nosso corpo?

A enfermidade não é má, ela avisa quando erramos a direção. O caminho para a felicidade não é reto, existem curvas chamadas Equívocos, existem semáforos chamados Amigos, luzes de precaução chamadas Família, e ajudará muito ter no caminho uma peça de reposição chamada Decisão, um potente motor chamado Amor, um bom seguro chamado Fé, abundante combustível chamado Paciência. Mas principalmente um maravilhoso Condutor chamado DEUS, ou como O queiram chamar." -  Nelson Torres.



O Corpo Fala sem Palavras

Desde tempos imemoriais, usamos símbolos - mensagens sintéticas de significado convencional. São como ferramentas especializadas que a inteligência humana cria e procura padronizar para facilitar a sua própria tarefa - a imensa e incansável tarefa de compreender.

O ato de movimentar merece nossa atenção, pois as pessoas se comunicam através de uma fascinante linguagem corporal, baseadas nos símbolos.

Pela linguagem do corpo, você diz muitas coisas aos outros. E eles têm muitas coisas a dizer para você. Também nosso corpo é antes de tudo um centro de informações para nós mesmos.



Não compreender o que nossos gestos e postura comunicam, faz as pessoas terem uma visão errada sobre você, gera interpretações falsas e mal-entendidos.

É uma linguagem que não mente, e cuja estrutura é claramente demonstrada na comunicação pessoal. A grande maioria das pessoas ignora a existência da linguagem do corpo quando se relacionam. Gestos, olhares, posições do corpo, etc. comunicam normalmente à verdade que as palavras não conseguem dizer.

O corpo grita, agita, chora, ri, sente e se emociona. É uma maneira misteriosa e não verbal de comunicar. Muitas vezes nosso corpo dá sinais que dizem muito mais que nossa boca. O corpo mostra o que está latente no ser humano, expressa as nossas ansiedades,desejos e conquistas de forma natural mesmo que nossas palavras digam o contrário. Os gestos podem significar mais que você imagina.



Muito da linguagem corporal é inconsciente — e o movimento da sobrancelha, a inclinação da cabeça, a virada do braço podem e costumam dizer muito mais do que a palavra emitida verbalmente. Então, é sensato tentar entender melhor a linguagem corporal.

O seu corpo é um espelho revelador do seu inconsciente, é a projeção da sua mente. Ele mostra através de gestos inconscientes, algo que estamos sentindo, ou mesmo tentando esconder ou disfarçar, e não queremos falar.

A comunicação é fundamental nas relações pessoais. Pode ser feita de várias maneiras, entretanto, só existe realmente quando a mensagem é recebida com o mesmo sentido com o qual ela foi transmitida. O importante na observação e aplicação da linguagem não verbal é que ela esteja em concordância com a linguagem verbal, de forma que a comunicação seja um processo completo e coerente.


O corpo fala e fala mesmo. Aponta as mentiras, expõe verdades inconscientes, reforça as idéias, dá ênfase à comunicação. Devemos estar atentos para o fato que muitas vezes transmitimos sem perceber uma mensagem verbal diferente da mensagem corporal. As duas formas devem contribuir para o fortalecimento uma da outra, aumentando a credibilidade nas informações transmitidas.

Por mais clara e assertiva que seja uma mensagem, sempre vai envolver subjetividade, pois este processo envolve relações humanas, envolve vários fatores na emissão, recepção e percepção da mensagem.

“A maioria das doenças acontece quando não estamos presentes em nossos corpos. Se o dono não está em casa, todos os tipos suspeitos vão aparecer por lá.” -Eckhart Tolle em O Poder do Agora

Alguns gestos e seus significados:



1. O cumprimento com a mão num forte aperto é sinal de que não há restrições. A mão frouxa é sinal de que a pessoa tem medo de ser envolvida.

2. Sentando com a pasta ou a bolsa sobre o colo, "protegendo o boi". Significa que você não está à vontade.

3. Pés em direção a pessoa indicam que você se interessa por ela. Se eles estiverem voltados para a porta, é a direção em que o corpo quer ir.

4. Com braços cruzados no peito, você não quer mudar a opinião e nem aceitar o que estão lhe falando.




5. Puxar os cabelos significa que você busca uma grande idéia. Cotovelos apoiados fazem a delimitação de espaço quando a pessoa sente-se invadida, intimidada.

6. Morder a caneta e mexer no queixo mostram que a pessoa está estimando a situação proposta.




7.As mãos na frente da boca geralmente significam que a pessoa deseja falar algo, mas não tem a oportunidade ou não sabe ao certo o quê.

8. As mãos cruzadas para trás é um sinal que não se concorda muito com o alvo da discussão.




9. As mãos fechadas mostram insegurança, como se agarrasse algo para não cair.

10. Com as mãos abertas significa que concorda com a situação.

11.Se a estufa o tórax, ela quer se impor e se afirmar diante dos outros. O contrário mostra pessoas reprimidas, tímidas ou dominadas pela situação naquele momento.

12. Aumento da respiração significa tensão e emoções fortes.

 

13.Roer unhas e estar com as mãos que sempre mexem em tudo, é sinal de tensão.

14. Cabeça encolhida entre os ombros significa agressividade.

15. Queixo apoiado nas mãos mostra uma espera paciente.



Quando aprendemos a prestar atenção em nossa linguagem corporal e a interpretar corretamente a dos outros, passamos a ter maior controle sobre as situações. Passamos a identificar sinais de abertura, de tédio, de atração ou de rivalidade e agir de forma adequada para a condução de todos à escolha da melhor opção naquele momento.

Não é só por meio de palavras que a gente pode se comunicar. Muitas vezes nosso corpo dá sinais que dizem muito mais que nossa boca. O corpo fala o que a mente contém. O olhar que nos evita, o sorriso que não chega são muitos os sinais que o corpo pode estar revelando a todo momento nossos sentimentos, até mesmos nossos pensamentos.

Quando sentimos uma dor seja ela qual for, a última coisa que pensamos é que ela é um aviso de nosso corpo nos alertando que em algum setor de nossa vida existe alguma coisa errada.

Mas é isso, toda e qualquer dor ou alteração no nosso organismo, tenha ela surgido naturalmente ou em decorrência de acidentes, têm como origem um desajuste no campo emocional.



Existem situações na vida com as quais dizemos, aprendemos a conviver, porém são situações que nos incomodam, que não resolvemos nem aceitamos. A convivência inadequada com tais situações, mais dias menos dias, vai alterando o estado emocional da pessoa e essas alterações vão pouco a pouco refletindo no seu estado psicológico, apresentando sintomas de depressão, síndrome do pânico, etc.

Outra forma de manifestação desses desequilíbrios é a somatização no corpo físico em formas de dores e outros desajustes orgânicos. Por isso é muito importante aprendermos a conhecer bem nosso corpo, estando atentos às alterações que ele apresenta, pois ele nos diz exatamente onde estamos falhando e em que precisamos mudar. O corpo fala e não mente.



Em última análise, está comprovada que através dos movimentos dos olhos, cor da pele, temperatura do corpo, ou movimentos sutis dos músculos, são reveladas a verdadeira intenção de uma personalidade. Ficou comprovado que doenças e infelicidades têm como causa a consciência de culpa e contrariedades profundas.


Se você continuar de olhos fechados para novas idéias, com medo de se arriscar, também continuará a sofrer dentro de um mundo restrito, criado por você mesmo. Abra-se sem medo e saiba aceitar os primeiros erros de sua nova vida. Errar faz parte do processo normal para se aprender algo. Aos poucos você ficará admirado com sua capacidade de mudança e até ajudará outras pessoas que estavam na mesma situação em que você se encontrava.