quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

EQUILÍBRIO E HARMONIA - Quando se perde o interesse pelo Sexo. Por que casais que se dão bem afetivamente acabam perdendo o interesse pelo sexo?

Dor, falta de interesse e desculpas são sintomas de alerta




A FALTA DE DIALOGO PODE SER UM FATOR DECISIVO PARA O DESINTERESSE SEXUAL ENTRE OS CASAIS.

Foto: Reprodução
Segundo especialistas, a saúde sexual pode ter problemas de origem física ou emocional.
O sexo une, alegra e dá mais vida ao relacionamento. Mas quando um começa a evitar o outro, as desculpas se tornam frequentes e a monotonia toma conta da relação sexual, talvez seja a hora de rever atitudes e buscar ajuda para melhorar a vida dois.
O psicólogo Antonio Elmo explica que a perda de desejo acontece com muita frequência porque a novidade do início vai se perdendo ao longo do tempo e os casais acabam se acomodando.
Segundo o especialista, a saúde sexual pode ter problemas de origem física ou emocional. “Quando recebo um paciente com esse tipo de queixa, encaminho primeiro para um médico, para avaliar a parte orgânica. Mas 90% dos casos são psicológicos.”
Novo gás
Se a sua relação já não tem mais aquele fogo do começo, saiba que tem jeito de reverter essa situação. “Toda atividade humana pode, a partir de um certo tempo, deixar de ser estimulante. No entanto, é possível fazer alterações para que esse estímulo positivo volte a acontecer.”
Por exemplo, mesmo uma pessoa muito fissurada em exercício físico, se fizer sempre a mesma série, do mesmo jeito, chega uma hora que ela se cansa e enjoa. Até para ter resultados físicos melhores, é preciso modificar as atividades. Com a sexualidade é a mesma coisa.

Casamento: sexo é importante, mas existe uma frequência ideal?



                                                                                                                  Conversa é mais eficiente na relação do que sexo


“Se os casais insistem em sexo no
mesmo dia, jeito e local, essa falta de novidade pode acabar tornando a relação previsível e massante”, diz Elmo.
Quando a química não está boa, a tendência é evitar o parceiro. Além da falta de novidade, questões de higiene também podem afastar marido e mulher.
“Ir para a cama sem tomar banho, mau hálito, cheiro de álcool e cigarro excessivo são causas comuns. Muitas pessoas não têm coragem de falar com seus parceiros sobre isso. O que já demonstra pouca intimidade no par”, constata a ginecologista da Unimed Vitória, Eliane Reis Cintra, que é especializada em sexologia clínica e terapia sexual.
A médica alerta que, atualmente, a internet e os meios de telefonia, com uso de chats ou pornografia, se tornaram um grande complicador nos relacionamentos conjugais. “Eles têm gerado casos frequentes de crises graves e divórcio.”
A maior causa de problemas, apontada pela médica, é o distanciamento afetivo gerado pelas frustrações de expectativas não atingidas e não resolvidas. “Quanto maior o ressentimento, menor a intimidade. E a outra grande causa é a rotina gerada pela acomodação do par, deixando a vida sexual entrar na rotina.”
Solução
Reconhecer a dificuldade é o primeiro passo para transformá-la. Eliane recomenda conversar com respeito e sem acusações recíprocas sobre os problemas, enfatizando as soluções.
“Encontros de casais realizados por alguns grupos religiosos costumam apoiar e ajudar em situações mais simples. Já profissionais, como médicos sexólogos e psicólogos treinados ou especializados nesta abordagem, farão o diagnóstico e a conduta terapêutica com muito bom resultado.”
1 Interesse Um dos primeiros problemas é a pessoa perder o interesse pelo parceiro (a). Nesse caso, ela não tem uma boa performance com o companheiro, mas tem o desejo por um terceiro. Não é um problema de quem perdeu o desejo, mas da relação, que pode ser trabalhada psicologicamente.
2 Desculpas Quando uma das partes começa a inventar desculpas para evitar o outro é um sinal de que a relação sexual não vai bem. Por exemplo: dor de cabeça, ficar até altas horas na TV para não ir para a cama no mesmo horário e chegar mais tarde do trabalho.
3 Dor durante o ato A causa pode ser orgânica, como uma infecção ou alergia. Mas quando não há nada orgânico, muitas vezes, a dor quer dizer que a mulher está contraindo a vagina porque não está gostando de estar ali ou não foi estimulada por um período suficiente para relaxar.
4 Prazer solitário Algumas pessoas utilizam a masturbação para ter prazer porque não têm condições de ter uma relação sexual naquele momento. Mas o problema é quando se tem mais prazer sozinho do que com o parceiro (a). É um indicativo severo de que as coisas não vão bem.
5 Estímulos externos Quando a relação sexual do casal começa a necessitar de outros estímulos, como pensar em outra pessoa na hora “H” e exigir comportamentos diferentes do que os dois estão acostumados são sinais de que esse desejo está alterado.
6 Ajuda Quando o casal identifica esses sintomas, pode procurar ajuda psicológica, para que seja avaliado o que está acontecendo e descoberta algumas soluções. Conversar abertamente sobre o tema e inovar podem ser alternativas.
Fonte: psicólogo Antonio Elmo